Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/24655
Title: Os media e a política externa dos EUA : o caso da intervenção na Líbia em 2011
Authors: Santos, Mariana Mesquita e. 
Orientador: Cravo, Teresa
Keywords: Política externa; Media; Discurso; Agenda-setting; Intervenção; EUA; Líbia
Issue Date: 7-Oct-2013
Publisher: FEUC
Citation: Santos, Mariana Mesquita e - Os media e a política externa dos EUA : o caso da intervenção na Líbia em 2011. Coimbra, 2013
Abstract: Nos anos 1990 a Teoria Construtivista introduziu o poder das normas e da identidade no debate das Relações Internacionais. Afastando-se das teorias tradicionais das RI, o seu contributo pós-positivista trouxe para o estudo da Política Externa o poder da identidade e do discurso normativo do Estado na prossecução dos seus objetivos. No estudo dos media, a teoria Agenda-setting de Maxwell McCombs e Donald Shaw reconhecia a capacidade dos meios de comunicação de influenciar o que pensa e como pensa a opinião pública. O conceito de framing associado à teoria Agenda-setting defendia ainda que todas as notícias estão inseridas numa determinada realidade social que influencia a construção do discurso. As duas teorias colocaram a tónica no discurso como produtor de significados sociais, e assumem uma relação co constitutiva entre os media e a Política Externa, princípios que constituem os alicerces teóricos deste estudo. De forma a compreender o papel do discurso dos media no âmbito de um debate em Política Externa foi revisitado o caso da intervenção na Líbia em 2011, no contexto da Revolução Árabe, que representou um grande desafio para a Política Externa dos EUA e pôs a Administração norte-americana sob um enorme escrutínio público. O debate público sobre o tema permitiu que os meios de comunicação ocupassem um papel mais ativo desse debate e a observação do seu discurso tornou-se relevante. Com a aplicação dos princípios e ferramentas da Análise de Discurso, a análise dos editoriais publicados nas semanas anteriores e seguinte à intervenção militar na Líbia permitiu identificar o domínio de uma narrativa moral que apelava à identidade norte-americana enquanto líderes do mundo. Esta imagem histórica construída pelos EUA enquanto guardiões da democracia e da liberdade no mundo refletiu-se no discurso da imprensa que, por sua vez, contribuiu para a manutenção desse status quo.
Description: Dissertação de mestrado em Relações Internacionais (Estudos da Paz e Segurança), apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Teresa Cravo.
URI: http://hdl.handle.net/10316/24655
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_draft_final_1_mariana_novo.pdf1.58 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

374
checked on Sep 17, 2019

Download(s) 50

353
checked on Sep 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.