Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/12024
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, José Pedro Leitão-
dc.contributor.advisorCampos, Maria João-
dc.contributor.authorNobre, Marco António Lourenço-
dc.date.accessioned2009-11-18T14:03:49Z-
dc.date.available2009-11-18T14:03:49Z-
dc.date.issued2009-
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10316/12024-
dc.descriptionDisponível em suporte de papel na Biblioteca da FCDEF-UCen_US
dc.description.abstractA integração está dependente da forma como os alunos sem deficiência reagem à inclusão de pares com deficiência. Baseados na teoria do contacto, acreditamos que as atitudes possam ser melhoradas. Pretendemos então, aferir se o contacto entre estes alunos, irá provocar uma alteração favorável nas atitudes dos que não têm nenhuma deficiência. Para este efeito aplicámos um questionário (Children´s Attitudes Towards Integrated Physical Education – revised (CAIPE-R), de Block (1995) traduzido por Campos & Ferreira (2008), a uma amostra de cento e vinte e seis (N=126) alunos da Escola Secundária de Montemor-o-Velho, sendo que setenta e sete (N=77) são do género feminino e os restantes quarenta e nove (N=49) são do género masculino. Esta aplicação teve dois momentos, um pré-teste e um pós-teste. Relativamente à amostra podemos ainda referir que todos os indivíduos estão situados entre os catorze e os dezasseis anos de idade, inclusive (M=15,35; DP=0,570). O tratamento estatístico dos dados, permitiu-nos concluir que os alunos do género feminino não apresentam diferenças significativas no primeiro momento de aplicação (pré-teste), o que se altera no pós-teste, revelando atitudes globais da EF e atitudes face à alteração das regras, significativamente superiores aos indivíduos do género masculino. Outra variável que apresentou também diferenças significativas foi a existência de familiares ou amigos com deficiência, surgindo diferenças significativas para as atitudes específicas da EF. Quando comparámos o grupo experimental com o grupo de controlo no pré-teste, verificámos que existiam diferenças significativas a favor do primeiro em todas as atitudes. Após a intervenção, pudemos verificar que essas diferenças se dissiparam, devido a um aumento favorável das atitudes do grupo experimental, sugerindo que a actividade teve influências positivas.en_US
dc.language.isoporen_US
dc.rightsopenAccessen_US
dc.subjectPopulações especiaisen_US
dc.subjectInclusão socialen_US
dc.subjectEducação física--atitudes dos alunosen_US
dc.titleAtitudes os Alunos Face à Inclusão de Pares com Deficiência nas Aulas de Educação Física: Estudo Exploratório em Alunos dos 14 aos 16 Anosen_US
dc.typebachelorThesisen_US
uc.controloAutoridadeSim-
item.openairecristypehttp://purl.org/coar/resource_type/c_18cf-
item.openairetypebachelorThesis-
item.cerifentitytypePublications-
item.grantfulltextopen-
item.fulltextCom Texto completo-
item.languageiso639-1pt-
crisitem.advisor.researchunitCIDAF - Research Unit for Sport and Physical Activity-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-4427-3276-
crisitem.advisor.orcid0000-0003-2148-3534-
Appears in Collections:FCDEF - Vários
Show simple item record

Page view(s) 50

497
checked on Apr 9, 2024

Download(s) 20

1,855
checked on Apr 9, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.