Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31061
Title: Estudo da capacidade antioxidante de cogumelos comestíveis
Authors: Silva, Nuno Gomes
Orientador: Ramos, Fernando
Keywords: Cogumelos comestíveis; Compostos fenólicos; Flavonóides; Antioxidante
Issue Date: 2015
Abstract: Os cogumelos comestíveis têm vindo assumir um papel importante na alimentação humana, tanto pelas suas características nutricionais e organoléticas singulares como pelas propriedades terapêuticas que possuem. A inclusão deste produto na dieta do Homem, com um consumo regular, provocou um aumento significativo da produção mundial nos últimos 20 anos, passando de 2,5 milhões de toneladas para cerca de 10 milhões de toneladas. O presente trabalho teve como objetivos, estudar a influência da aplicação de subprodutos agroindustriais, durante o processo de produção, na capacidade antioxidante de cogumelos P. eryngii, P. ostreatus e A. cylindracea, e avaliar a capacidade antioxidante de cogumelos comercializados em grandes superfícies comerciais da Região de Coimbra. Para tal foi determinado o conteúdo em compostos fenólicos totais, o conteúdo em flavonóides totais, a capacidade de capturar eletrões pelo radical DPPH e a inibição do branqueamento do β- caroteno. Os resultados obtidos para as espécies comercializadas, em termos de conteúdo em compostos fenólicos totais, foram os seguintes, em ordem decrescente: B. edulis >> F. velutipes > A. bisporus (castanho) > P. eryngii ≈ M. oreades > A. bisporus (branco) ≈ L. edodes > P. ostreatus > C. cibarius, dos quais o valor mais elevado foi 19,7 mg GAE/g extrato e o mais baixo 3,45 mg GAE/g extrato. A capacidade de capturar radicais DPPH foi a seguinte em ordem crescente do EC50: B. edulis >> F. velutipes > A. bisporus (branco) > P. ostreatus ≈ L. edodes > A. bisporus (castanho) > P. eryngii > M. oreades, em que os EC50 variaram entre 2,01 mg/mL e 13,5 mg/mL. Em termos de inibição do branqueamento do β-caroteno, os valores dos AAC variaram entre 352 e 986 com a seguinte ordem decrescente: A. bisporus (castanho) > B. edulis > L. edodes > F. velutipes > A. bisporus (branco) > P. eryngii > P. ostreatus > M. oreades >> C. cibarius. Nos resultados obtidos para os cogumelos em que o processo de produção foi otimizado com a aplicação de subprodutos agroindustriais, em termos do conteúdo em compostos fenólicos totais, foi obtida a seguinte ordem decrescente: A. cylindracea (13,6 a 15,4 mg GAE/g extrato) > P. ostreatus (8,02 a 10,0 mg GAE/g extrato) > P. eryngii (4,04 a 6,75 mg GAE/g extrato). No que respeita à capacidade de capturar radicais DPPH foram obtidos os seguintes EC50 em ordem crescente: A. cylindracea (3,08 - 4,49 mg/mL) > P. ostreatus (4,09 - 5,11 mg/mL) > P. eryngii (8,34 - 22,9 mg/mL). Relativamente à inibição do branqueamento do β-caroteno, o AAC foi superior para a A. cylindracea (796 a 818) seguido do P. ostreatus (440 a 554) e do P. eryngii (312 a 645). VII Os resultados obtidos para as várias amostras de cada espécie sugerem que a aplicação de subprodutos agroindustriais poderá melhorar a capacidade antioxidante dos cogumelos. No estudo dos micélios destas espécies, o micélio de A. cylindracea possui a melhor capacidade antioxidante, seguido pelo micélio de P. eryngii e depois o micélio de P. ostreatus. O conteúdo em flavonóides totais foi quantificado apenas em B. edulis (4,32 mg ECE/g extrato), A. cylindracea (13,8 - 15,9 mg ECE/g extrato) e micélio de A. cylindracea (3,76 mg GAE/g extrato). Em conclusão, os resultados obtidos demonstram que os cogumelos são uma boa fonte de compostos com capacidade antioxidante, apresentando variações entre espécies e tipo de processo de cultivo.
Edible mushrooms have come to play an important role in human diet, both for its unique nutritional and organoleptic characteristics as well as for their therapeutic properties. The inclusion of mushrooms in diet, on regular basis, caused a significant increase in world production over the last 20 years, increasing from 2.5 million tonnes to about 10 million tonnes. This work aimed to study the influence of application agro-industrial by-products during the cultivation process, in the antioxidant capacity of mushrooms P. eryngii, P. ostreatus and A. cylindracea, and to evaluate the antioxidant capacity of mushrooms commercialized in major supermarket chains of the region of Coimbra, Portugal. In order to achieve these the total phenolics content, total flavonoids content, the ability of capturing electrons by DPPH radical and inhibition of the β-carotene bleaching (AAC) were determined. The results for commercialized mushrooms, in terms of total phenolics content were the following in descending order: B. edulis >> F. velutipes > A. bisporus (brown) > P. eryngii ≈ M. oreades > A. bisporus (white) ≈ L. edodes > P. ostreatus > C. cibarius, where the highest value was 19.7 mg GAE/g extract and the lowest 3.45 mg GAE /g extract. The ability to capture DPPH radicals was in following in ascending order of EC50: B. edulis >> F. velutipes > A. bisporus (white) > P. ostreatus ≈ L. edodes > A. bisporus (brown) > P. eryngii > M. oreades, where EC50 ranged from 2.01 mg/ mL and 13.5 mg/ml. In terms of inhibition of the β- carotene bleaching, the results of AAC varied between 352 and 986 with the following descending order: A. bisporus (brown) > B. edulis > L. edodes > F. velutipes > A. bisporus (white) > P. eryngii > P. ostreatus > M. oreades >> C. cibarius. The results obtained for the mushrooms in which the optimized growing process applied agro-industrial by-products was in the following in descending order of the total phenolics content: A. cylindracea (13.6 to 15.4 mg GAE/g extract) > P. ostreatus (8.02 to 10.0 mg GAE/g extract) > P. eryngii (4.04 to 6.75 mg GAE/g extract). In what respects to the ability to capture DPPH radicals the following results were achieved in ascending order of EC50: A. cylindracea (3.08 - 4.49 mg/ml) > P. ostreatus (4.09 - 5.11 mg/ml) > P. eryngii (8.34 - 22 9 mg/ml). In relation to the inhibition of the β-carotene bleaching, the results of AAC was higher for A. cylindracea (796 - 818), following P. ostreatus (440 - 554) and P. eryngii (312 - 645). The results obtained for several samples suggested that the application of agro-industrial byproducts can improve the antioxidant capacity of mushrooms. In the study of mycelia of IX these species, the mycelium of A. cylindracea has the highest antioxidant capacity, followed by P. eryngii mycelium, and then by the mycelium of P. ostreatus. The total flavonoids content was quantified, only, in B. edulis (4.32 mg ECE/g extract), A. cylindracea (13.8 - 15.9 mg ECE/g extract) and mycelium of A. cylindracea (3.76 mg GAE/g extract). In conclusion, the results show that the mushrooms are a good source of compounds with antioxidant capacity, with variations among species and type of cultivation proces
Description: Dissertação de mestrado em Segurança Alimentar, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/31061
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Nuno Silva.pdf1.62 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,140
checked on Nov 28, 2022

Download(s) 20

1,080
checked on Nov 28, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.