Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31027
Title: Atores sub-estatais, identidade e transformação : um modelo de análise intermédio em política internacional
Authors: Lourenço, José Carlos Pereira 
Orientador: Freire, Maria Raquel
Keywords: Construtivismo; Atores sub-estatais; Identidade regional; Segurança; Política externa
Issue Date: 29-Feb-2016
Publisher: FEUC
Citation: Lourenço, José Carlos Pereira - Atores sub-estatais, identidade e transformação : um modelo de análise intermédio em política internacional, oimbra, 2016.
Abstract: O estudo da política internacional continua, ainda que em menor escala, a ser dominado por uma abordagem com raízes na tradicional análise do ator estado. Com o objetivo de contribuir para uma maior pluralidade no entendimento dos atores, esta dissertação procura colocar o seu objeto de estudo, num plano intermédio entre o local e o nacional, seguindo uma matriz não materialista e conferindo especial foco ao valor das ideias na análise do comportamento dos atores. Como tal, pretende-se sublinhar a importância do fator identidade ao nível dos atores subestatais, uma vez que estes, entendidos como atores ativos na vida política e social, e dotados de estruturas políticas e administrativas, podem ser uma estratégia para o consenso e mobilização, em torno dos interesses locais e nacionais. Assim, entendendo aqui local como regional, e entendendo identidade regional como identidade subestatal, escolheu-se a região de Krasdodar, um subestado da Federação Russa, como o estudo de caso desta dissertação. Através da análise da identidade de Krasnodar, procura-se saber em que medida a identidade regional influência a segurança, a estabilidade regional e a política externa da Federação, bem como em que medida a região pode ser um agente de transformação. Este trabalho argumenta que os atores subestatais desempenham um papel fundamental na procura da segurança e estabilidade regional, sendo a identidade comum, uma estrutura basilar. Assim sendo, quando esta estrutura é característica da região, permite por um lado encontrar formas inclusivas e tolerantes, que estão acima das diferenças culturais, tornando as regiões, atores de segurança e política externa. Esta característica por outro lado, impede que as instituições regionais adotem uma postura que implemente medidas securitárias, essencialistas e discursos dominantes, que não são mais que a procura de segurança através da produção de insegurança, com vista a atingir objetivos elitistas que produzem o separatismo e a marginalidade. Neste sentido, os atores subestatais ao ocuparem uma posição intermédia têm um papel determinante enquanto agentes ativos de transformação da realidade imposta.
Description: Dissertação de mestrado em Relações Internacionais (Estudos da Paz e da Segurança), apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Maria Raquel Freire.
URI: http://hdl.handle.net/10316/31027
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação.pdf25.46 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

271
checked on Nov 13, 2019

Download(s) 50

344
checked on Nov 13, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.