Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/30714
Title: Padrão de utilização de videojogos e sintomas de hiperatividade e défice de atenção em adolescentes
Authors: Carvalho, Rúben de Melo 
Orientador: Pedroso, Sara Rita Rodrigues
Santos, Gustavo Machado Guimarães Januário
Keywords: Deficiência de atenção com hiperatividade; Jogos de video
Issue Date: 2015
Abstract: O tempo de utilização de videojogos tem sido relacionado com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) em adolescentes. Está por explorar a possibilidade de uma associação similar com outros fatores relacionados com a exposição a videojogos. No nosso estudo, investigámos o padrão de utilização de videojogos numa amostra de adolescentes e a sua relação com sintomatologia de PHDA. O estudo baseou-se em questionários realizados a estudantes com 11 a 18 anos de idade e a seus pais (n = 430 adolescentes, 430 pais). A análise estatística foi realizada aplicando o teste de Kruskal-Wallis, tendo como variáveis dependentes as subescalas da Conners' Parent Rating Scale – Revised: Short Form, preenchidas pelos pais. As variáveis independentes investigadas foram: tempo de utilização e evolução da utilização de videojogos, internet e televisão; número e tipo de videojogos; plataforma utilizada; número de modos de jogo; jogo em modo singleplayer ou multiplayer; tipo de multiplayer e evolução dos resultados escolares. Verificámos um aumento, ao fim de semana, dos adolescentes com tempo de utilização superior a duas horas diárias de videojogos (12,3% em dias de semana para 30,7% ao fim de semana), internet (19,5% para 40,5%) e televisão (24,9% para 51,7%). Observámos diferenças nos padrões de utilização entre rapazes e raparigas: os rapazes apresentaram tendência para jogar mais videojogos, mais modos de jogo e mais videojogos em modo multiplayer, assim como preferência por videojogos de desporto e ação-aventura/role-playing games (as raparigas preferiram casual games e videojogos de ação). O resultado mais relevante deste estudo foi o aumento da sintomatologia de PHDA dos adolescentes com tempo de utilização diário de videojogos ou de televisão superior a duas horas, que jogavam casual games, que utilizavam PC ou smartphones/tablets ou que tinham preferência por multiplayer. 2 Para além da esperada relação com o tempo de utilização de videojogos, a sintomatologia de PHDA apresentou associação com outros fatores do padrão de utilização de videojogos. A investigação futura focada nos videojogos como potenciais fatores de risco da PHDA em adolescentes deve ser alargada para incluir o tipo de videojogo, a plataforma e os modos de jogo.
Video game exposure time has been associated with Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder (ADHD) in adolescents. The possibility of a similar association between ADHD and other factors related to video game use has not been explored. In this study, we analyzed the video game usage pattern of a sample of adolescents and its association with ADHD symptoms. The study was based on questionnaires given to students 11 to 18 years old and their parents (n = 430 adolescents, 430 parents). The statistical analysis was conducted using the Kruskal-Wallis test, considering the Conners' Parent Rating Scale – Revised: Short Form subscales, answered by parents, as the dependent variables. The assessed independent variables were: video game, internet and television exposure time and evolution of exposure time; number of video games; video game genre; gaming platform; number of game modes; singleplayer or multiplayer game mode; type of multiplayer and evolution of academic performance. We reported an increase, on weekends, in adolescents with an exposure time lasting more than two daily hours of video games (12,3% on workweek to 30,7% on weekend), internet (19,5% to 40,5%) and television (24,9% to 51,7%). We identified differences in the usage patterns of males and females: boys had a tendency to play an increased number of video games, game modes and multiplayer video games, and favored sports video games and action-adventure/role-playing games (girls’ favorites were casual games and action video games). The most relevant finding of this study was the increase of ADHD symptoms in adolescents with a daily video game or television exposure time greater than two hours, who played casual games, used PC or smartphones/tablets or had a preference for multiplayer mode. 4 In addition to the anticipated connection with video game exposure time, ADHD symptoms were also associated with several usage pattern factors. Future research focused on video games as a potential risk factor for ADHD should be expanded to include video game genre, gaming platform and video game mode.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina (Pediatria), apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/30714
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho - Versão Final.pdf869.35 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

872
checked on Jan 22, 2020

Download(s) 50

429
checked on Jan 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.