Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26216
Title: Orientação clínica das mulheres com teste positivo para mutações em BRCA 1 ou BRCA 2
Authors: Raposo, Raquel Patrícia Silva 
Orientador: Vieira, Luísa Maria Quental Mota
Dias, Maria Margarida de Oliveira Figueiredo
Keywords: Neoplasias genitais femininas; Genes BRCA1; Genes BRCA2; Mutação
Issue Date: Sep-2009
Abstract: Enquadramento: Os avanços na compreensão dos mecanismos moleculares e genéticos do cancro levaram a uma gestão mais “personalizada” da doença. Este conceito aplicado ao cancro da mama e/ou ovário permitiu revelar que as mulheres portadoras de mutações germinativas em BRCA apresentam uma maior probabiliade de desenvolver este tipo de cancro. Além disso, essa informação contribuiu para a elaboração de guidelines direccionadas para a orientação clínica destas mulheres, uma vez que a decisão a tomar é complexa. Objectivos e métodos: A presente revisão visa abordar a problemática da prevenção do cancro da mama e/ou ovário, bem como o acompanhamento – clínico e psicológico – das mulheres portadoras de mutações em BRCA, após a realização do teste genético. A metodologia escolhida baseou-se em artigos indexados na PubMed e guidelines disponíveis em websites clínicos. Resultados: A orientação clínica destas pacientes inclui a profilaxia e vigilância do cancro. A cirurgia profilática é a estratégia actualmente mais recomendada, tendo a anexectomia bilateral profilática uma eficácia superior à mastectomia bilateral profilática. As alternativas que podem ser consideradas abrangem a vigilância e quimioprevenção. A vigilância mamária apresenta bons resultados comparativamente à ginecológica. A quimioprevenção está reservada para as mulheres que optam por participar em ensaios clínicos com os fármacos disponíveis (i.e., tamoxifeno e raloxifeno). Conclusões: A orientação clínica das portadoras saudáveis de mutações em BRCA requere uma estratégia preventiva individual, na qual a intervenção de uma equipa multidisciplinar e especializada é fundamental. A decisão não cabe ao clínico, mas sim à própria paciente após esta ter sido totalmente informada e esclarecida em consultas de aconselhamento genético.
URI: http://hdl.handle.net/10316/26216
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Resumo_Abstract.docResumo-Abstract29 kBMicrosoft WordView/Open
Orientação Clínica das Mulheres com Teste Positivo para Mutações em BRCA1 ou BRCA2.pdfDissertação477.44 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

401
checked on May 15, 2019

Download(s) 10

1,108
checked on May 15, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.