Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/24401
Title: Fernando Távora : de o problema da casa portuguesa ao da organização do espaço
Authors: Clementino, Luísa Lopes Ribeiro Ramos 
Orientador: Figueira, Jorge
Keywords: Távora, Fernando, 1923-205, obra
Issue Date: Jul-2013
Citation: Clementino, Luísa Lopes Ribeiro Ramos - Fernando Távora : de o problema da casa portuguesa ao da organização do espaço, Coimbra, 2013
Abstract: Abracei este último trabalho – que encerra os meus seis anos académicos – como uma oportunidade para explorar um tema que me interessasse e fosse acrescentar valor pessoal ao meu percurso. O arquitecto Fernando Távora é um tema motivador, pela riqueza do seu contributo arquitectónico – fruto da época em que viveu – que lhe permitiu presenciar e marcar anos muito importantes para a história da arquitectura. Sendo um assunto tão vasto, sentia uma certa ignorância nesta temática, visto que não tinha tido ainda oportunidade de o estudar com a profundidade e tempo que o assunto requer. Assim, ao ler a seguinte afirmação de Nuno Portas, decidi limitar o meu estudo ao intervalo de tempo a que este se refere, entre os anos de 1945 e 1962: “ (…) Pode ser interessante é situar o discurso neste caso de Fernando Távora, na evolução das ideias e práticas arquitectónicas do momento ou da fase em que foi produzido – ideias e práticas em que o seu autor teve especial protagonismo no ambiente português (…) ” 2 Este trabalho não tem o intuito de ser algo inovador, nem superar os inúmeros escritos que já existem sobre esta personagem e esta época. Mas sim uma intersecção de leituras acerca do tema em foco. Apresenta-se como uma breve compilação – em resposta à escala da dissertação proposta – que visa tocar ao de leve os temas fulcrais destes anos, com o intuito de dar a conhecer ao leitor algumas pistas. Desta forma espero despertar o interesse de quem lê, despertando o interesse para irem estudá-los de forma mais detalhada, tal como eu o fiz. O intervalo temporal situa-se numa fase de mudanças, de grande agitação social, económica e política, e acaba por englobar dois momentos distintos na História da arquitectura em Portugal. São anos de novidade, de agitação e sonhos, onde os portugueses procuram informação internacional, Num primeiro momento, aproximadamente de 1948 a 1955, surge uma exaltação do movimento moderno, onde os arquitectos tentam absorver toda a informação nova que este fornecia. Procuravam colocar a arquitectura portuguesa lado a lado com a que se fazia internacionalmente. Nesta fase muitas das referências são provenientes do Brasil e é no ano que inicia este período que surge o Primeiro Congresso Nacional de Arquitectura em Portugal. No momento que se lhe sucede há um período mais meditativo, onde se começa a questionar a validade dos anos anteriores. Surge um grupo de arquitectos que começa a preocupar-se com a contextualização da arquitectura face ao lugar, pondo em causa os modelos internacionais. Não acreditando que o acto de projectar fosse apenas seguir regras pré-estabelecidas – aplicando-as a qualquer sítio e ocasião – defendem que a arquitectura tem que ser emotiva, orgânica e reflexo de diferentes condicionantes. Fernando Távora será um grande defensor destas premissas, que “persegue” ao longo da sua trajectória profissional.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitectura, apresentada ao Departamento de Arquitectura da F. C. T. da Univ. de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/24401
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
FERNANDO TÁVORA De O Problema da Casa Portuguesa ao Da Organização do Espaço..pdf4.12 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

740
checked on Sep 23, 2020

Download(s) 50

487
checked on Sep 23, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.