Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/24400
Title: Políticas de autor ou políticas sociais? : Nuno Portas e o papel do arquitecto em Portugal
Authors: Oliveira, Joana Rafaela Fernandes de 
Orientador: Grande, Nuno
Lopes, Diogo Seixas
Keywords: Portas, Nuno, 1934-, obra; Arquitectura, Portugal
Issue Date: Jul-2013
Citation: Oliveira, Joana Rafaela Fernandes de - Políticas de autor ou políticas sociais? : Nuno Portas e o papel do arquitecto em Portugal, Coimbra, 2013
Abstract: POLÍTICAS DE AUTOR, POLÍTICAS SOCIAIS Nuno Portas e o papel do arquitecto em Portugal É em períodos de crise que a crítica aparece mais vincada e mais frontal, como forma de interrogação sobre dúvidas que se levantam. Por estar ligada à construção material do mundo, a Arquitectura é das primeiras áreas do pensamento e das artes a assinalar esses momentos. Por outro lado, procura também outras afirmações para refutar o que tinha sido feito até então. Na segunda metade do século XX, entre o rescaldo do fim dos CIAM (Congresso Internacional de Arquitectura Moderna) e o aparecimento de vias críticas europeias muito fortes (nomeadamente, em Inglaterra e Itália), surge a necessidade de reinterpretar e rever o Movimento Moderno. Nuno Portas foi, em Portugal, umas das pedras basilares para a construção dessa outra via: uma arquitectura moderna construída com uma forte significação contemporânea e social. Numa altura em que a ditadura salazarista deixou de exercer tanto poder na expressão de um estilo de construção, e após o Congresso Nacional de Arquitectos de 1948, os dois maiores pólos de ensino e debate da profissão - Lisboa e Porto - unem-se no Inquérito à Arquitectura Regional Portuguesa. É neste cenário que a crítica de arquitectura ganhou o seu verdadeiro âmago na figura de Nuno Portas e da revista Arquitectura, fundamental na discussão do Movimento Moderno em Portugal. Com os seus textos e entrevistas publicados nas mais variadas revistas nacionais e internacionais da especialidade, mostrou projectos de arquitectos emergentes como Álvaro Siza, Manuel Tainha, Vítor Figueiredo e Nuno Teotónio Pereira. O seu artigo, A responsabilidade de uma novíssima geração no Movimento Moderno em Portugal, foi o mote que deu início à internacionalização da arquitectura nacional. No entanto, Nuno Portas vive o paradoxo de defender esses profissionais enquanto autores, e a convicção de que o arquitecto tem acima de tudo uma função social. Ou seja, está ao serviço da comunidade revogando qualquer tipo de vedetismo. PALAVRAS-CHAVE: Nuno Portas, crítica, políticas de autor, políticas sociais, internacionalização da arquitectura portuguesa.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitectura, apresentada ao Departamento de Arquitectura da F. C. T. da Univ. de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/24400
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
POLÍTICAS DE AUTOR OU POLÍTICAS SOCIAIS.pdf12.75 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

193
checked on Oct 17, 2019

Download(s) 50

221
checked on Oct 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.