Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/23312
Title: Tur'n to green
Authors: Melo, Daniela Alexandra 
Orientador: Cardielos, João Paulo
Keywords: Edifício Industrial; Arqueologia Industrial; Urbanismo; Espaços Verdes
Issue Date: Dec-2012
Citation: Melo, Daniela Alexandra dos Santos -Tur'n to green : revitalização e reconversão de áreas industriais obsoletas. Coimbra, 2012
Abstract: A reconversão de antigas estruturas que se encontram obsoletas ou em ruína é, actualmente, e será cada vez mais, uma problemática pertinente. Considerando a situação contemporânea do mundo industrializado, onde se assiste cada vez mais ao declínio e falência de vários modos de produção industrial, muitas vezes coincidentes com a debilitação da economia e da política, mostra-se importante ensinar à sociedade maioritariamente consumista, em tempos de crescente escassez financeira, que importa reutilizar o que já existe. Nos dias de hoje mais de metade da população mundial vive nas cidades ou em zonas urbanas e, nas próximas décadas, esse número poderá crescer para cerca de dois terços1; é preciso aprender a considerar a cidade que envelhece como um recurso a acarinhar, como algo em extinção, e não como um jogo de legos que se monta e desmonta quando não queremos brincar mais. No panorama português actual, e face à crise que o país está a atravessar, é incontornável que se pensem maneiras de reaproveitar o vasto património construído pré-existente (de um modo geral, e industrial em particular), conservando ao mesmo tempo a materialidade e a memória histórica que lhe deu origem. Para estes espaços serem reabilitados torna-se necessário percebê-los, com os seus aspectos positivos e negativos, de forma a evoluírem e responderem aos propósitos de uma evolução presente. Apesar de, com a criação da Expo’98, Portugal se ter colocado no mapa no que toca á regeneração urbana territorial, ainda demonstra ser um país com pouca experiência a este nível; as revitalizações e reconversões que se têm realizado são mais frequentemente direccionadas a um objecto específico, não tratando o território no seu conjunto.Esta dissertação tem como objectivo apresentar e perceber algumas formas de intervir no património industrial, mais particularmente as reconversões que promovem novos espaços verdes, confrontando e reagindo aos problemas produzidos pelos vazios e ruínas urbanas, frutos da desindustrialização a que temos vindo a assistir com início evidente a partir das décadas de 70 e 80 do século XX. Num desejo de responder positivamente a este acontecimento crescente, nas últimas décadas, sempre que possível, as sociedades têm vindo a procurar soluções para valorizar estas arqueologias industriais. Fazem-no com a ambição de melhorar as condições de vida nas cidades, quer seja pela substituição de alguns elementos originais, que pela reutilização do espaço para outros fins. De que forma podem então estas estruturas industriais ser transformadas? Que paisagens urbanas permitem construir, a fim de corresponder aos novos modos de vida da sociedade contemporânea? A sua transformação em espaços verdes responde às necessidades das cidades onde se inserem? Através da análise de casos específicos – o IBA EMscher Park, o High Line e o Paddington Reservoir Gardens –, tentamos compreender algumas soluções experimentadas no âmbito paisagístico/urbano, na última década, a fim de concluir se a reconversão destes espaços em novas áreas verdes urbanas poderá constituir uma solução para responder proveitosa e criativamente à obsolescência e/ou ruína das estruturas industriais, tanto a nível internacional como (e principalmente) a nível nacional. A pertinência deste trabalho prende-se com a análise e o reconhecimento da importância das intervenções feitas em antigas estruturas industriais, convertidas para parques públicos verdes, que actualmente representam pontos de desenvolvimento importantes em áreas específicas. As soluções apresentadas pretendem despertar a consciência para um problema crescente no meio urbano, em vários países incluindo o nosso, e assim mostrar que é possível devolver aos habitantes uma parte relevante da cidade, enriquecida com as memórias industriais que aí se cristalizaram. É importante reflectir sobre o que despoletou a necessidade de metamorfose da área devoluta, os processos pelos quais passaram até ao que são hoje, as características (positivas ou negativas) que inseriram no território, e qual o futuro que estes parques nos reservam ou permitem aspirar. Esta análise será realizada tendo em vista uma possível aplicação ao nosso país, uma vez que não existe aqui uma conjugação directa entre a obsolescência e as áreas verdes urbanas. A metodologia para a realização deste trabalho apoia-se em bibliografia especializada de história da indústria, de desenvolvimento do território e da arquitectura, bem como na análise de obras que tratam reconversões ou reutilizações de edifícios industriais. Uma vez que apenas foi possível a visita ao caso de estudo nova-iorquino, o parque urbano High Line, tornou-se imprescindível proceder à recolha de informações detalhadas dos demais projectos e dos testemunhos dos autores, ou de moradores da zona, sempre que possível. Do conjunto destas leituras resultaram três capítulos: Herança Industrial, Preservação e Memória e Old Spaces New Ideas. No primeiro – Herança Industrial – é descrito, de uma forma sintetizada o aparecimento da indústria, e as principais mudanças que as sociedades e os territórios sofreram com este acontecimento. O segundo capítulo – Preservação e Memória – aborda as consequências do aparecimento e, mais tarde, a obsolescência dos produtos construídos do processo industrial, e expõe os procedimentos actuais de valorização do património, face às estruturas abandonadas. É, igualmente, explicada a importância da preservação deste património arqueológico, dando especial destaque à memória. No último capítulo – Old Spaces, New Ideas – são analisados três exemplos, que retratam antigas estruturas industriais, obsoletas ou em ruína, que através de um processo de reconversão e revitalização foram transformadas em parques verdes urbanos. Ao estudar estes casos específicos procurou-se compreender se o resultado produzido, se essas reconversões de zonas industriais urbanas em novos espaços verdes, respondia a novas e reais necessidades das cidades onde se inserem, e de que maneira o factor localização deve, ou pode, ser determinante para o despoletar de acções futuras, de novas expansões ou realizações, ou se será um factor simplesmente irrelevante.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitectura, apresentada ao Departamento de Arquitectura da F. C. T. da Univ. de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/23312
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
tur’nto green - Daniela Melo.pdf28.11 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

75
checked on Oct 16, 2019

Download(s) 50

279
checked on Oct 16, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.