Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92927
Title: Análise sistemática dos ensaios clínicos em Esclerose Múltipla e Demências num serviço de Neurologia
Other Titles: Systematic analysis of Multiple Sclerosis and Dementia clinical trials in a Neurology service
Authors: Fontainhas, Inês Santos
Orientador: Cavadas, Cláudia Margarida Gonçalves
Santos, Sónia Alexandra Pinto Ribeiro Silva
Keywords: Ensaios Clínicos; Esclerose Múltipla; Demências; Clinical Trials; Multiple Sclerosis; Dementia
Issue Date: 4-Dec-2020
Serial title, monograph or event: Análise sistemática dos ensaios clínicos em Esclerose Múltipla e Demências num serviço de Neurologia
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
Abstract: Os ensaios clínicos são estudos conduzidos no Homem, com o intuito de desenvolver novos medicamentos, seguros e eficazes. Nesta dissertação, foram analisados os ensaios clínicos realizados em Portugal, especialmente no âmbito da Esclerose Múltipla e das Demências. A Esclerose Múltipla é uma doença inflamatória crónica, autoimune, desmielinizante do Sistema Nervoso Central, que afeta sobretudo indivíduos com idade compreendida entre os 20 e os 40 anos. O termo Demência representa um conjunto de sintomas caraterísticos de natureza crónica e progressiva, como deterioração da memória, da capacidade de raciocínio, alterações comportamentais e emocionais, que afetam a capacidade de realização das tarefas do quotidiano. A Demência devido a Doença de Alzheimer é o tipo mais frequente, afetando sobretudo indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos. Esta dissertação teve como objetivo reunir informação acerca do paradigma dos ensaios clínicos realizados em Portugal, na última década, permitir a caraterização dos ensaios conduzidos no âmbito da Esclerose Múltipla e das Demências, e por fim identificar as barreiras colocadas à prossecução dos mesmos, procurando enunciar os motivos de descontinuação, no contexto destas patologias. Assim, foram consultadas as Estatísticas da Unidade de Ensaios Clínicos do INFARMED e os sites do ClinicalTrials.gov e EU Clinical Trials Register. Para a análise estatística foram utilizadas tabelas de frequência, teste de Qui-Quadrado, teste de Mann-Whitney e Cross tabulations. Os resultados de uma primeira análise permitiram verificar que na última década o número de ensaios clínicos autorizados em Portugal aumentou, existindo predominância de ensaios de fase III, promovidos pela indústria. A área terapêutica na qual existiu maior desenvolvimento foi a dos Antineoplásicos e Imunomoduladores. Os resultados de uma segunda análise permitiram verificar que apenas existiram diferenças estatisticamente significativas na distribuição da alocação e do tipo de intervenção, entre o grupo dos ensaios clínicos de EM nos quais houve descontinuação ou não houve descontinuação. A análise da distribuição das variáveis que definem as caraterísticas dos ensaios clínicos entre as duas patologias permitiu verificar algumas diferenças estatisticamente significativas na tipologia dos mesmos, nomeadamente na distribuição da ocultação, fase, alocação, modelo deintervenção e idade. No que diz respeito aos ensaios clínicos em neurologia, e especificamente em EM e Demências, predominaram os ensaios abertos numa população com idade entre os 18-64 na EM, enquanto que nas Demências foram mais frequentes os duplamente cegos numa população com idade além dos 18 e acima dos 65 anos. Tanto na EM como nas Demências os ensaios foram principalmente de Fase III, randomizados e de grupos paralelos, porém, foram detetadas algumas diferenças nas restantes categorias destas variáveis. Na EM foram mais frequentes os ensaios de fase IV, aqueles em que todos os participantes pertencem ao mesmo grupo de intervenção, de grupo único ou cross-over. Nas Demências foram mais frequentes os ensaios de fase II, fase não definida porque de intervenção não farmacológica e não randomizados. Relativamente aos motivos reportados de descontinuação de doentes, verificou-se uma maior percentagem de falta de eficácia terapêutica como motivo de descontinuação nos ensaios clínicos de EM (média ± SEM: 7,37 ± 2,00%) comparativamente aos de Demência (média ± SEM: 0,52 ± 0,28). Em suma, este trabalho permitiu caraterizar o paradigma nacional em termos de ensaios clínicos, realizados entre 2009 e 2019, e identificar diferenças estatisticamente significativas em determinadas caraterísticas dos ensaios clínicos conduzidos no âmbito da Esclerose Múltipla e das Demências.
Clinical trials are studies conducted in human subjects that aim to develop new, safe and effective drugs. In this dissertation we analyzed clinical trials paradigm in Portugal, within the scope of Multiple Sclerosis (MS) and Dementia. Multiple Sclerosis is a chronic, autoimmune, demyelinating, inflammatory disease of the Central Nervous System, which mainly affects individuals aged between 20 and 40 years. The term Dementia represents a set of specific symptoms with chronic and progressive nature, such as memory deterioration and reasoning, behavioral and emotional changes, which affect the ability to perform everyday activities. Dementia due to Alzheimer’s Disease is the most common type, affecting mainly individuals aged 65 years and older. This dissertation aims to collect information about national clinical trials paradigm,from 2009 to 2019, also to allow characterization of clinical trials conducted within MS and Dementia pathologies, and finally to identify barriers to clinical trials conduction and reasons for dropouts, in this context. To perform this dissertation, we consulted INFARMED’s ClinicalTrials Unit Statistics, ClinicalTrials.gov and EU Clinical Trials Register websites. For statistical analysis we used frequency tables, Chi-Square and Mann-Whitney tests, and cross tabulations. First analysis results showed an increased number of authorized clinical trials in Portugal, over the last decade, with mostly phase III, promoted by industry trials. Antineoplastic and Immunomodulators was the therapeutic area with greatest development. Second analysis results only showed statistically significant differences in allocation and type of intervention distribution, between MS clinical trials with or without discontinuation. The distribution analysis of variables which define clinical trials characteristics between these two pathologies, showed statistically significant differences in blinding, phase, allocation, interventional model and age distribution, between MS or Dementia clinical trials. Clinical trials in neurology, specifically in MS and Dementia, were mostly open label in a population aged between 18 and 64 years in MS, while in Dementia they were mostly double-blind in a population aged over 18 and over 65 years. Both MS and Dementia trials were mainly phase III, randomized with parallel groups, however, some differences were seen in the other categories of these variables. In MS, trials were mostly phase IV trials, or trials in which all participants belong to the same intervention group, single group or cross-over. While in Dementia, trials were mostly phase II, undefined (due to non-pharmacological intervention) or non-randomized. Regarding the reported reasons for patient discontinuation, there was a higher percentage of lack of efficacy as discontinuation reason in MS clinical trials (mean ± SEM: 7.37 ± 2.00%) compared to Dementia (mean ± SEM: 0.52 ± 0.28%). In conclusion, this dissertation allowed us to characterize national clinical trials paradigm, from 2009 to 2019, and to identify statistically significant differences between certain characteristics of MS and Dementia clinical trials.
Description: Dissertação de Mestrado em Farmacologia Aplicada apresentada à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/92927
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação[MFA] InêsFontainhas.pdf1.06 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

49
checked on Jul 22, 2021

Download(s)

28
checked on Jul 22, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons