Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/86275
Title: As Clarissas da Ordem de Santa Clara: alterações tafonómicas de uma amostra antropológica do Convento de Santa Clara-a-Velha de Coimbra.
Other Titles: The "Clarissas" of the Order of Saint Claire: taphonomic alterations of an anthropological sample of the Convent of Santa Clara-a-Velha from Coimbra.
Authors: Cruz, Ana Sofia Ramos Morgado da 
Orientador: Cunha, Eugénia Maria Guedes Pinto Antunes da
Ferreira, Maria Teresa dos Santos
Keywords: Tafonomia; Índice de Conservação Anatómica; Ambiente de Enterramento; Mosteiro de Santa Clara-a-Velha; Taphonomy; Anatomical Conservation Index; Environment Burial; Convent of Santa Clara-a-Velha
Issue Date: 28-Feb-2018
Serial title, monograph or event: As Clarissas da Ordem de Santa Clara: alterações tafonómicas de uma amostra antropológica do Convento de Santa Clara-a-Velha de Coimbra.
Place of publication or event: Departamento de Ciências da Vida
Abstract: O Mosteiro de Santa Clara-a-Velha é considerado um importante marco da cidade de Coimbra por toda a sua história integrante, nomeadamente por ter sido o primeiro mosteiro da Ordem de Santa Clara, estando associado à carismática Rainha Santa Isabel e pelas vivências conventuais. Neste emblemático complexo monástico, durante os anos de 1996 e 2000, procedeu-se à intervenção arqueológica do espaço com propósito da recuperação de espólio arqueológico e osteológico humano. Esta amostra osteológica, já alvo de vários estudos, concebe a possibilidade de análise e permite uma da reconstituição e conhecimento de uma população portuguesa passada e uma compreensão biocultural.Os principais objetivos deste trabalho foram a determinação do estado de conservação de uma amostra esquelética dos séculos XV e XVI, proveniente do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra, assim como a análise das suas alterações tafonómicas.Foram analisados 80 indivíduos, 3 dos quais classificados como indivíduos não-adultos e 77 como indivíduos adultos, sendo estes últimos pertencentes ao sexo feminino. Nesta análise da amostra avaliaram-se todos os elementos ósseos do esqueleto, procedendo-se à determinação do Índice de Conservação Anatómica (ICA), através do método de Garcia (2005/2006) e à identificação de alterações tafonómicas (a saber, o estado da superfície óssea, as alterações cromáticas, as manchas, a degradação, as fissuras e as escamações).Os resultados mostram que o espólio osteológico humano demonstrou estar em bom estado de conservação, apresentando um Índice de Conservação Anatómico de valor Bom em 36% da amostra e apenas 4% com valor Mau. As alterações tafonómicas foram registadas a partir da análise dos esqueletos da amostra, sendo que das caraterísticas selecionadas para análise, as mais frequentes foram as manchas e a degradação observada na totalidade da amostra e as alterações cromáticas observadas em 99% dos casos.Os restos esqueléticos estiveram inumados durante vários séculos num ambiente húmido, causando o desenvolvimento de adipocera, embora nesta análise tafonómica não tenha sido possível observá-la dado que os restos foram limpos aquando do primeiro estudo.Existem vários agentes responsáveis pelas alterações cromáticas e sendo esta uma caraterística que é potenciada aquando o contato direto com o solo (neste caso, a maior parte dos enterramentos foram feitos diretamente no solo), ocorreram modificações na cor dos ossos, essencialmente, para os tons castanhos. Relativamente às manchas foram detetadas principalmente manchas pretas, castanhas e verdes, justificando-se estas marcações na superfície óssea através do espólio arqueológico associado, do qual faziam parte objetos de metal associados às sepulturas ou objetos de adorno pessoal, constituídos por cobre ou azeviche. Os esqueletos ficaram propensos a uma maior degradação devido às condições de inumação e à composição das peças ósseas mais degradadas, o crânio e o úmero. Procedeu-se ainda à análise das fissuras observando-se que sua ausência prevaleceu em relação à sua presença, tal como as escamações. De uma forma geral, o ICA elevado está de acordo com a ausência de degradação, de fissuras e de escamações.
The Convent of Santa Clara-a-Velha is an important city mark in Coimbra history. This monastery was the first one of the Saint Clare’s Order, due to the association with the charismatic Queen Saint Isabel and for the conventual life-style. In this emblematic and monastic complex were started archaeological intervention procedures, between 1996 and 2000, being the purpose the recovery of an archaeological and osteological sample. This osteological sample, had been aimed in many studies before, gives the possibility of reconstitution and data acquaintance of a Portuguese population and its biocultural comprehension.The main goals of this paper were to set a conservation state for the 15th and 16th centuries skeletal sample, from the Convent of Santa Clara-a-Velha, Coimbra, as well as an analysis of taphonomic alterations.A total of 80 individuals were observed, of which 3 were labeled as non-adult individuals and 77 adult individuals, being these last ones all of the female sex. In this sample aimed the survey of all skeletal bones, proceeding the determination of the Anatomical Conservation Index, through Garcia’s method (2005/2006), and identification of the taphonomic alterations (the bone surface state, the chromatic alterations, stain marks, the degradation, bone fractures and bone exfoliation/scaling).Regarding the results, this human osteological sample shows evidence of good conservation condition, presenting an Anatomical Conservation Index of 36% maximum value and a minimum value of 4%. All selected taphonomic alterations were recorded in this sample skeletons, the more often seen alterations were bone stain as well as bone degradation, aiming most observed chromatic alterations on 99%.The skeletal remains were buried during several centuries in a humid environment, causing the development of adipocere, although not observed in this taphonomic analysis.Chromatic alterations occur due to several agents and this feature is empowered by the direct contact with the soil (in this case, most of the graves were in direct contact with the soil), leading to modifications in the color of the bones, mainly, to brown tones. Relatively to the stains, were mostly observed black, brown and green stains, justifying these marks on bone surface through the associated archaeological material, as metal objects associated to the graves or personal objects, constituted by copper or “azeviche”. The skeletons were prone to a bigger deterioration due to the conditions of inhumane and the constitution of the bones more degraded, the cranium and the humerus. Bone fractures were also observed, where the absence of this feature prevailed upon their presence, as well as exfoliation/scaling. In general, the high ICA result is in accordance with the absence of the degradation, of the post-mortem fractures and exfoliation/scaling.
Description: Dissertação de Mestrado em Evolução e Biologia Humanas apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/86275
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação_MEBH_SofiaCruz.pdf2.35 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

375
checked on Jun 2, 2020

Download(s) 50

368
checked on Jun 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons