Title: Cirurgia percutânea renal no tratamento de cálculos renais
Authors: Lages, Rita Ribeiro 
Orientador: Parada, Belmiro
Simões, Pedro
Keywords: cirurgia percutânea renal;;litíase renal;tratamento;nefrolitotomia
Issue Date: Mar-2011
Abstract: Objectivo: A litíase urinária apresenta uma grande incidência a nível mundial. A cirurgia percutânea renal é uma das modalidades de tratamento desta patologia, apresentandose como uma excelente alternativa à litotrícia extracorporal, sobretudo nos casos em que esta falha ou está contra-indicada. Este artigo tem por objectivo uma pesquisa exaustiva sobre a cirurgia percutânea renal, nomeadamente as suas indicações, abordagens técnicas, complicações e respectivo tratamento. Materiais e Métodos: Efectuou-se uma pesquisa na base de dados electrónica MEDLINE via PubMed utilizando-se os termos “percutaneous nephrolithotomy” AND “percutaneous renal surgery”, de 2005 a 2010. Foram obtidas 638 citações das quais foram seleccionadas 70 através da leitura do título. Após a análise do abstract analisaram-se 50 artigos. Para complementação dos artigos seleccionados, efectuou-se uma análise bibliográfica sobre técnicas endourológicas e respectivas guidelines da Associação Europeia e Americana de Urologia. Resultados: A cirurgia percutânea apresenta uma taxa de sucesso de 90%, no entanto esta taxa de sucesso é condicionada por múltiplas variáveis que se prendem com a selecção do doente; com os cuidados pré-operatórios; técnica realizada, englobando o posicionamento do doente, os meios auxiliares de imagem utilizados, o local da punção efectuada, os instrumentos cirúrgicos utilizados; e com o tratamento e prevenção das complicações que possam advir deste procedimento. A taxa de complicações obtida dos artigos revistos é de 83%, sendo na sua maioria devidas a febre e hemorragias clinicamente irrelevantes. A presença de cálculos residuais é frequente, no entanto a sua maioria não tem manifestação clínica significativa. A terapêutica médica para determinadas alterações metabólicas está preconizada na presença de cálculos residuais, na medida em que diminui a taxa de formação de novos cálculos, fazendo com que os doentes não necessitem de nova intervenção cirúrgica. Conclusão: Da análise efectuada podemos concluir que a cirurgia percutânea renal é um método minimamente invasivo, que apesar da sua taxa de complicações, se apresenta como uma alternativa segura e eficaz à litotrícia extracorporal, sobretudo em doentes com cálculos de tamanho superior a 2cm, doentes com malformações renais e em doentes obesos
Objective: Urolithiasis is a disease of high worldwide incidence. Percutaneous renal surgery is one of the existing possibilities for its treatment, and it has proven to be an excellent alternative against extracorporeal shock wave lithotripsy, especially when this type of treatment fails or it is contraindicated. The aim of this article is to perform a wide research concerning percutaneous renal surgery, its indications, surgical techniques, complications and treatment of said complications. Material and methods: Research was carried out in the electronic database MEDLINE via PubMed using the terms “percutaneous nephrolithotomy” AND “percutaneous renal surgery”, including only papers from 2005 to 2010. There were 638 citations obtained, from which 70 articles were selected based the article‟s title only. After reading the abstracts, 50 articles were selected to be further analyzed. A bibliographic review of Endo-urologic techniques and Guidelines on Urolithiasis from the European and American Urologic Associations was performed in order to complement this study. Results: Percutaneous renal surgery has a success rate of 90%. This success rate is influenced by multiple factors such as patient selection, pre-operative care, technical aspects concerning the positioning of the patient, imagiologic guidance method used, puncture site, type of surgical instruments used and treatment and prevention of possible post-procedure complications. The complication rate obtained from the articles reviewed was 83%, mostly due to fever or clinically irrelevant bleeding. The presence of residual fragments is a usual consequence of percutaneous renal surgery, but the majority of such fragments have no clinical repercussions. Adequate medical management of metabolic abnormalities after percutaneous renal surgery is recommended if residual stones are present. It reduces stone formation and recurrence, avoiding the need for another surgical management Conclusion: Percutaneous renal surgery is a minimally invasive procedure that, despite the complication rate associated, provides a safe and effective alternative to extracorporeal shock wave lithotripsy, especially in patients with stones larger than 2 cm, patients with kidney malformations and obese patients.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Urologia apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/85300
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cirurgia Percutânea Renal - Rita Lages.pdf1.14 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.