Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/84859
Title: Valor prognóstico da biópsia do gânglio sentinela nos doentes com melanoma
Authors: Martins, Joana Maria dos Reis Mata Albuquerque 
Orientador: Vieira, Ricardo
Keywords: melanoma cutâneo; biopsia gânglio sentinela; prognóstico
Issue Date: Mar-2012
Abstract: O melanoma é uma neoplasia cutânea maligna de incidência crescente, responsável pela maioria das mortes por cancro cutâneo. O diagnóstico e tratamento precoces têm uma enorme importância, sendo o correcto estadiamento fundamental para a decisão terapêutica e estratificação prognóstica. A biopsia do gânglio sentinela é um procedimento utilizado no melanoma há cerca de 20 anos, com o objectivo de evidenciar metástases ganglionares clinicamente ocultas. Embora seja uma técnica amplamente aceite, permanecem algumas dúvidas acerca do seu real impacto na sobrevivência dos doentes com melanoma. O objectivo deste trabalho é debater o impacto da biopsia do gânglio sentinela na estratificação prognóstica dos doentes com melanoma, bem como os seus benefícios terapêuticos e potencial efeito na sobrevivência global, reunindo alguns dos principais estudos realizados até ao momento. Vários estudos demonstraram haver uma relação forte entre a positividade do gânglio sentinela e um mau prognóstico. No entanto, o impacto desta positividade é diferente consoante a espessura do tumor primário, estando melhor definido para melanomas de espessura intermédia (1-4 mm). A sua utilização em melanomas de espessura muito pequena (<1 mm) ou muito elevada (>4 mm) é contestada: no primeiro caso pela baixa probabilidade de metástases à distância e no segundo caso pela elevada probabilidade de metástases disseminadas por via hematogénea. O principal estudo realizado nesta área, o MSLT-I, revelou que a taxa de sobrevivência global aos 5 anos foi significativamente maior no grupo cujas metástases ganglionares foram detectadas pela biopsia do gânglio sentinela do que no grupo de observação, entre aqueles com recorrência ganglionar (66% vs 54%, p=0,02). No entanto, alguns autores argumentam contra a realização desta técnica afirmando que lesões descobertas na biopsia do gânglio sentinela poderiam nunca ter tido potencial para se tornarem clinicamente relevantes. Outros apontam o facto de existirem alguns resultados falsamente negativos. Embora as recomendações internacionais apoiem o esvaziamento ganglionar completo quando a biopsia do gânglio sentinela é positiva, alguns autores são da opinião que o esvaziamento poderá ser evitado num subgrupo de doentes se a carga tumoral do gânglio sentinela for muito pequena. A globalidade dos estudos analisados suporta a utilidade da biopsia do gânglio sentinela como um dos factores prognósticos mais significativos, que poderá servir para uma melhor adequação terapêutica se integrada num contexto clínico mais abrangente. É necessária a realização de mais estudos nesta área, aguardando-se particularmente os resultados do estudo MSLT-II.
Melanoma is a malignant cutaneous tumor of increasing incidence, responsible for most deaths from skin cancer. The early diagnosis and treatment are of great importance, being essential for the proper staging and therapeutic decision prognostic stratification. The sentinel node biopsy is a procedure used in melanoma about 20 years, with the purpose of demonstrating clinically occult nodal metastases. In spite of being widely accepted, there are some doubts about its real impact on survival of patients with melanoma. The aim of this paper is to discuss the impact of sentinel node biopsy in the prognostic stratification of patients with melanoma, as well as their therapeutic benefits and potential effect on overall survival, bringing together some of the major studies conducted to date Several studies have shown a strong relationship between the positivity of sentinel node and a poor prognosis. However, this positive impact is different depending on the thickness of the primary tumor and is better defined for intermediate thickness melanomas (1-4 mm). Their use in very thin melanomas (<1 mm) or very thick (> 4 mm) is questioned: in the first case due to the low probability of having distant metastases, and in the second case due to the high probability of metastasis via hematogenous spread. The main study in this area, the MSLT-I study, revealed that the rate of overall survival at 5 years was significantly higher in the group whose nodal metastases were detected by sentinel node biopsy than in the observation group, among those with lymph node recurrence (66% vs 54%, p = 0.02). However, some authors argue against the implementation of this technique, stating that lesions discovered in the sentinel lymph node biopsy could never have had the potential to become clinically relevant. Others state that there are some false negative results. Although international recommendations support the complete lymph node dissection when the sentinel node biopsy is positive, some authors are of the opinion that complete lymph node dissection can be avoided in the case of existing a very small tumor burden on the sentinel lymph node. The whole of the analyzed studies support the usefulness of sentinel lymph node biopsy as an important prognostic factor, which can be used to find the most appropriated therapy if integrated into a broader clinical context. It is necessary to perform more research in this area and the results of the MSLT-II are particularly expected
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Dermatologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/84859
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
Show full item record

Page view(s) 20

1,681
checked on May 21, 2024

Download(s)

269
checked on May 21, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.