Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84489
Title: Relatórios de Estágio e Monografia "Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) e Abordagens Terapêuticas Emergentes"
Other Titles: Curricular Intership Reports and Monograph "Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder (ADHD) and Emerging Therapeutic Interventions"
Authors: Ramalho, Bárbara Filipa Fernandes de Castro Morais 
Orientador: Santos, Armanda Emanuela Castro
Bastos, Fernando Luís Seabra
Palma, Sandra Patrícia
Keywords: SWOT; Défice de atenção; Hiperatividade; Tratamento farmacológico; Intervenções não-farmacológicas; SWOT; Attention-deficit; Hyperactivity; Pharmacological treatment; Nonpharmacological interventions
Issue Date: 26-Jul-2018
Serial title, monograph or event: Relatórios de Estágio e Monografia "Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) e Abordagens Terapêuticas Emergentes"
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra; Farmácia Moderna e Expanscience
Abstract: Conhecida há mais de um século, a Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) ganhou relevo especial nas últimas décadas. A PHDA é uma disfunção do do Sistema Nervoso Central (SNC), sendo a perturbação mais comum na infância e adolescência, com uma prevalência global estimada de 5,29%. É caracterizada por um padrão persistente e prejudicial de três sintomas nucleares – desatenção, hiperatividade e impulsividade – que afetam negativamente o desenvolvimento individual, com implicações no bem-estar emocional do indivíduo, nas suas interações interpessoais e no seu desempenho académico e laboral. O aumento da pressão social sobre crianças e adolescentes, no sentido de uma preparação científica e técnica mais profunda, relacionada com a competitividade crescente nas sociedades industrializadas, estará aparentemente a aumentar a sua prevalência. O aumento da escolaridade mínima e a pressão familiar e social para o sucesso académico e profissional estarão a fazer emergir um número significativo de casos antes ignorados. O diagnóstico, e subsequente tratamento assumem contornos de importância social muito significativa, essencialmente por se tratar de uma perturbação que é responsável por manifestações comportamentais confundíveis, com desajustes sociais, na origem de enormes mal-entendidos e também de fenómenos de grande morbilidade. As guidelines são unânimes preconizando uma intervenção multimodal para tratamento da PHDA, no qual as terapêuticas não-farmacológicas devem servir sempre de base a qualquer regime terapêutico, nomeadamente a psicoeducação. Relativamente a intervenções farmacológicas, utilizam-se fármacos da classe dos estimulantes, como primeira linha, e não-estimulantes, como segunda linha. Dentro dos primeiros, o metilfenidato e as anfetaminas são, no contexto dos psico-fármacos, os mais usados e os mais extensamente investigados demonstrando padrões de eficácia e segurança ímpares. É de importância crucial, para a saúde do indivíduo com PHDA, bem como para a Saúde Pública, tratar e monitorizar os indivíduos com esta perturbação, criando paralelamente condições para desmistificar e compreender a natureza da doença, principalmente o grande prejuízo de não a tratar, e potenciar muitas das capacidades manifestadas como vantagens competitivas da mesma.
Known for more than a century, the Attention-Deficit and Hyperactivity Disorder (ADHD), has gained relevance in the past decades. ADHD is a Central Nervous System (CNS) dysfunction, and the most common disorder with childhood and adolescence onset. ADHD worldwide-pooled prevalence is 5,29%. It is characterized by a persistent and perverse pattern of three core symtoms – innatention, hyperactivity and impulsivity – that affects negativelly the individual’s development, compromising his emotional well-being, his social skills and his academic and professional performances. Industrialized societies have been conducting the young, in order to make them technically and scientifically skilled individuals, competitive within their pairs, which seems to be increasing the prevalence of ADHD. Evolution of compulsory education pressures the families and the society for the academic and professional pursuit and success; these aspects seem to be enhancing a number of ADHD cases, imperceptible before, when social conditions were different. ADHD treatment assumes significant social relevance, essentially because it is responsible for a series of misleading behavioral symptoms, socially inadequate, that cause tremendous misunderstanding and morbidity phenomena. The guidelines are unanimous on the multimodal approach for ADHD, where nonpharmacological interventions, such as psychoeducation, play a central role. Pharmacological interventions for ADHD include stimluants, considered first-line agents, and some non-stimulants, as second-line agents. Concerning the stimulant medications, methylphenidate and amphetamines are the most commonly prescbried drugs, widely studied within the scientific community, and demonstrating unpaired security and effectiveness. It is crucial for the individuals with ADHD health status, as well as for Public Health concerns, to treat and efficaciously follow these persons, developing conditions to support the understanding of the disorder, particularly the great perversity of not treating it, and to enhance much of the competitive strengths of ADHD individuals.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/84489
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
DOCUMENTO RELATÓRIOS DE ESTÁGIO E MONOGRAFIA BÁRBARA RAMALHO.pdf4.47 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

443
checked on Jul 7, 2020

Download(s) 50

665
checked on Jul 7, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons