Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84163
Title: O ambiente familiar, crenças e representações sociais dos papéis de género como preditores de violência doméstica.
Other Titles: The family environment, beliefs and social representations of gender roles as predictors of domestic violence.
Authors: Rocha, Cláudia Costa Leite 
Orientador: Paixão, Rui Alexandre Paquete
Keywords: Violência Doméstica; Vítimas; Sexismo Ambivalente; Ambiente Familiar; Ideologias Feministas; Domestic Violence; Victims; Ambivalent Sexism; Family environment; Feminist ideologies
Issue Date: 9-Oct-2017
Serial title, monograph or event: O ambiente familiar, crenças e representações sociais dos papéis de género como preditores de violência doméstica.
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: A violência doméstica e a sua etiologia enquanto campo de estudo continuam, ainda, a ser alvo e motivo de discussão e investigação.Na verdade, a vitimologia contemporânea deve ser repensada tendo em consideração as transformações sociais que a estrutura familiar tem vindo a sofrer.Neste sentido, o presente estudo tem como principal objetivo estudar as crenças e representações sociais dos papéis de género e o ambiente familiar na família de origem como preditores da violência entre íntimos.Foram inquiridas um total de 119 mulheres. Dezanove destas mulheres (grupo clínico) eram vítimas de violência doméstica e recorreram a serviços de atendimento a vítimas ou estavam a residir, no momento, em casas-abrigo. As restantes 100 mulheres constituíam o grupo de controlo. Os resultados das diferenças entre grupos revelaram existir diferenças estatisticamente significativas em todas as dimensões que avaliam as crenças e representações sociais dos papéis de género (sexismo ambivalente em relação aos homens (AMI) e mulheres (ASI), divisão igualitária e tradicional dos papéis de género (EAPG)) à exceção do fator sexismo hostil em relação às mulheres avaliado através do ASI (Ambivalent Sexism Inventory). Também não se verificaram diferenças estatisticamente significativas em relação ao ambiente familiar na família de origem (QHF). Em relação ao estudo de predição, à exceção do sexismo hostil em relação às mulheres e à divisão igualitária dos papéis de género, todas as variáveis se mostraram preditoras de violência doméstica, nomeadamente o ambiente familiar na família de origem, o sexismo benevolente em relação às mulheres, o sexismo hostil em relação aos homens, o sexismo benevolente em relação aos homens e a divisão tradicional dos papéis de género. Este estudo é mais um que sustenta o caráter biopsicossocial da violência entre íntimos tendo por base teórica o Modelo Ecológico da Violência Doméstica e as Ideologias Feministas.
Domestic violence and its etiology as a field of study still remains the target and cause for much discussion and investigation.In fact, contemporary victimology must be rethought taking into account the social transformations that the family structure is suffering.The main objective of this study was to study the beliefs and social representations of gender roles and the family environment in the family of origin as predictors of intimate partner violence.A total of 119 women were surveyed. Nineteen of these women (clinical group) were victims of domestic violence and used victim assistance services or were currently residing in shelters. The remaining 100 women were the control group.The results of the differences between groups revealed that there are statistically significant differences in all dimensions that assess the social beliefs and representations of gender roles (ambivalent sexismo toward men (AMI) and women (ASI) and gender and traditional division of gender roles (EAPG)) with the exception of the factor hostile sexism toward women evaluated through the ASI (Ambivalent Sexism Inventory). There were also no statistically significant differences in relation to the family environment in the family of origin (QHF).In the prediction study, with the exception of hostile sexism in relation to women and the equal division of gender roles, all of them proved to be predictors of domestic violence (family environment in the family of origin, benevolent sexism toward women, sexism hostile toward men, benevolent sexism towards men, and traditional division of gender roles).This study is one more that demonstrates the biopsychosocial character of intimate violence based on the Ecological Model of Domestic Violence and Feminist Ideologies.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/84163
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TeseFinal_Claudia_Rocha-1.pdf1.21 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

402
checked on Jan 22, 2020

Download(s) 50

367
checked on Jan 22, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons