Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/84160
Title: O impacto da autoaversão no processamento de expressões faciais de emoção
Other Titles: The impact of self-disgust in the processing of facial expressions of emotion
Authors: Ferreira, António Rafael Henriques 
Orientador: Dantos, Isabel Maria
Freitas, Paula Cristina Oliveira Castilho
Keywords: Autoaversão; Emoções; Expressões faciais de emoção; Reconhecimento e Processamento Emocional; Self-disgust; Emotions; Facial expressions of emotion; Recognition and emotional processing
Issue Date: 13-Oct-2017
Serial title, monograph or event: O impacto da autoaversão no processamento de expressões faciais de emoção
Place of publication or event: Universidade de Coimbra - Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação
Abstract: O reconhecimento e processamento de expressões faciais de emoção são essenciais para o funcionamento e regulação interpessoal. A literatura sugere que a psicopatologia pode influenciar tais funções, demonstrando um enviesamento para emoções de valência negativa. Igualmente, a autoaversão, definida como um estado afetivo de repugnância sentida face a atributos psicológicos ou físicos individuais, pode apresentar-se como um preditor para a psicopatologia e, assim, pode comprometer o processamento das expressões faciais de emoção. Todavia, os estudos acerca da autoaversão são diminutos e acerca da sua influência no reconhecimento e processamento emocional são inexistentes. O presente estudo teve como principal objetivo explorar a influência da autoaversão na acurácia e no tempo de reação face à visualização de expressões faciais de emoção. Numa amostra comunitária, utilizou-se um protocolo com instrumentos de autorrelato que avaliavam a presença de autoaversão, sendo posteriormente recrutados 49 participantes para uma tarefa laboratorial de reconhecimento e processamento de expressões faciais de emoção, categorizados consoante o seu nível de autoaversão. Os resultados indicaram que o grupo de elevada autoaversão demonstrou tempos de reação maiores nas emoções básicas de medo, nojo, raiva e surpresa, comparativamente ao grupo de baixa autoaversão. Igualmente, existe uma correlação positiva e significativa entre autoaversão e a proporção de acertos na emoção de medo. Estes resultados sugerem que a autoaversão influencia o reconhecimento e processamento das expressões faciais das emoções referidas e corroboram as hipóteses em estudo. Em suma, este estudo sugere a necessidade de intervenção psicoeducativa acerca das expressões emocionais, em indivíduos com elevada autoaversão.
The recognition and processing of facial expressions of emotion are essential to the interpersonal functioning and regulation. Research suggests that psychopathology can affect such functions, creating a bias to negative valence emotions. Moreover, self-disgust, i.e., a feeling of disgust towards their own psychological and physical traits, can represent a predictor of psychopathology and thus compromise the processing of facial expressions of emotion. Nevertheless, research about self-disgust is scarce and, in what concerns its influence in emotional processing and recognition, may even be non-existent. Therefore, the present study aims to explore the influence of self-disgust on subjects’ response accuracy and reaction time when shown facial expressions portraying various emotions. In a community sample, we used a self-report scale to evaluate the presence of self-disgust, being subsequently recruited, based on their self-disgust scores, 49 participants for a laboratorial task about the recognition and processing of facial expressions of emotion. Results highlighted that Fear, Disgust, Anger and Surprise took longer reaction times to be recognized and processed in high self-disgust group, in comparison to a low self-disgust group. In addition, there is a positive and significant correlation between self-disgust and accuracy in fearful faces. These results suggest that self-disgust has an impact on the recognition and processing of facial expressions of such emotions, corroborating our hypothesis. In conclusion, our study suggests that psychoeducation concerning the recognition of emotional expressions in others may be beneficial to high self-disgust patients.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: https://hdl.handle.net/10316/84160
Rights: closedAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
TESE_Rafael_Ferreira_2011179971.pdf839.89 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 50

405
checked on May 21, 2024

Download(s) 50

339
checked on May 21, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons