Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84033
Title: Relação entre Matutinidade–Vespertinidade e insónia inicial, intermédia e final em adultos
Other Titles: The relationships between morningness-eveningness and the initial, maintenance and late insomnia in adults
Authors: Marques, Sara Isabel Ruela 
Orientador: Gomes, Ana Cardoso Allen
Keywords: Matutinidade-Vespertinidade; Cronótipo; Insónia; Adultos; QCM; Morningness-Eveningness; Chronotype; Insomnia; Adults; SMC
Issue Date: 25-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Relação entre Matutinidade–Vespertinidade e insónia inicial, intermédia e final em adultos
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: São cada vez mais os indivíduos que se queixam de problemas de sono, nomeadamente, queixas referentes à insónia. Desta forma, é pertinente averiguar a relação destas queixas relativamente ao cronótipo dos indivíduos. A presente investigação teve como objetivo de analisar a probabilidade de, em indivíduos adultos, existirem associações entre Matutinidade-vespertinidade e os três principais subtipos de insónia (i.e., insónia inicial, intermédia e final/terminal), definidos pela Classificação Internacional dos Distúrbios de Sono (3ª Edição). Paralelamente, foram estudados outros padrões de sono de matutinos e vespertinos, nomeadamente ao nível da duração de sono e horários de deitar e levantar durante a semana e fim-de-semana, comparando-os entre si.Desta forma, foi selecionada uma amostra final uma amostra de 584 indivíduos entre os 18 e 63 anos, em que 70% eram do sexo feminino e 30% do sexo masculino. Os participantes preencheram o Questionário Compósito de Matutinidade (QCM), Escala Básica de Sintomas de Insónia e Qualidade de Sono (BaSIQS) e o Inventário de Sintomas Psicopatológicos-18 (BSI-18).Constatou-se que existe uma correlação estatisticamente significativa entre os matutinos e as queixas de insónia final (i.e., acordar antes da hora desejada) e uma correlação também estatisticamente significativa entre os vespertinos e as queixas de insónia inicial (i.e., dificuldade em adormecer). Este estudo também comprovou que os vespertinos têm uma duração de sono menor que os matutinos durante a semana, mas o contrário verifica-se durante o fim-de-semana. Além disso, a análise também revelou que os matutinos se deitam e acordam mais cedo, tanto à semana como ao fim-de-semana, mas o contrário verifica-se nos vespertinos.Em suma, pode-se concluir que a presente investigação contribuiu para uma melhor compreensão dos subtipos de queixas de insónia através do tipo diurno dos indivíduos.
More and more individuals complain of sleep problems, namely insomnia complaints. This way, it is pertinent to investigate the relationship of these complaints regarding the chronotype in adults. The present study aimed to analyze the likelihood of associations between morningness-eveningness and the three major subtypes of insomnia (i.e., initial, maintenance and late insomnia) as defined, for instance, by the International Classification of Sleep Disorders (3rd ed.). A complementary aim consisted in comparing other sleep patterns between morning and evening types, such as sleep durations and schedules during the week and the weekend.This way, a final sample of 584 individuals between 18 and 63 years old was selected, 70% women and 30% men, all non students, subjected to daytime schedules (shift/night workers were excluded). Participants completed the Composite Scale of Morningness (QCM), Basic Scale on Insomnia Complaints and Quality of Sleep (BaSIQS) and the Brief Symptoms Inventory-18 (BSI-18).It was found that there were statistically significant associations between morningness and late insomnia complaints (i.e., wake up before the desired time) and between eveningness and initial insomnia complaints (i.e., difficulty falling asleep). This study also showed that evening-types obtained shorter sleep duration than morning ones during the week, but the opposite occurs during the weekend. Besides, the morning-types showed early bedtimes and risetimes, both at weekdays and weekends, whereas the opposite was found in the evening-type ones.In summary, it can be concluded that the present investigation contributed to a better understanding of the subtypes of insomnia complaints depending on the diurnal type of individuals.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/84033
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE final_Sara Marques.pdf870.9 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

419
checked on May 20, 2020

Download(s) 50

401
checked on May 20, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons