Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83988
Title: Dificuldades de regulação emocional: O seu papel na explicação da relação entre representações de vinculação e sintomatologia depressiva e ansiosa no período pós-parto
Other Titles: Difficulties of emotional regulation: Their role in explaining the association between attachment representations and depressive and anxious symptomatology in the postpartum period
Authors: Marques, Rita Alexandra dos Santos 
Orientador: Fonseca, Ana Dias da
Canavarro, Maria Cristina Cruz Sousa Portocarrero
Keywords: Representações de Vinculação; Dificuldades de Regulação Emocional; Sintomatologia Depressiva; Sintomatologia Ansiosa; Período Pós-parto; Attachment Representations; Difficulties of Emotional Regulation; Depressive Symptoms; Anxious Symptoms; Postpartum Period
Issue Date: 19-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Dificuldades de regulação emocional: O seu papel na explicação da relação entre representações de vinculação e sintomatologia depressiva e ansiosa no período pós-parto
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: Objetivos: O presente estudo procurou explorar as semelhanças e diferenças das representações de vinculação e das dificuldades de regulação emocional nas mulheres com e sem sintomatologia depressiva e ansiosa clinicamente significativa no período pós-parto. Para além disso, teve como objetivo examinar se as representações de vinculação estão associadas à sintomatologia depressiva e ansiosa das mulheres neste período, e se essa relação ocorre através das dificuldades de regulação emocional. Método: A amostra incluiu 450 mulheres no período pós-parto, que responderam a um protocolo de avaliação disponível online, constituído por quatro instrumentos de autorresposta: a Escala de Experiências nas Relações Próximas-Estruturas Relacionais, a Escala de Dificuldades na Regulação Emocional, a Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo e a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar. Resultados: Verificou-se a existência de comorbilidade entre sintomatologia ansiosa e depressiva (33.3%). As mulheres com sintomatologia comórbida apresentaram representações de vinculação mais inseguras (p < .001) e mais dificuldades de regulação emocional (p < .001) do que as mulheres com sintomatologia depressiva e do que as mulheres sem sintomatologia clinicamente significativa. Os resultados demonstraram ainda um efeito indireto das representações de vinculação mais inseguras acerca do self e dos outros na sintomatologia depressiva e ansiosa, através das dificuldades de regulação emocional, nomeadamente através do acesso limitado a estratégias de regulação emocional que são percebidas como efetivas (Estratégias), da não aceitação das respostas emocionais (Não Aceitação) e da falta de clareza emocional (Clareza). Conclusões: Os resultados encontrados sublinham a importância da atenção que deve ser dada também à sintomatologia ansiosa, uma vez que é uma condição que co-ocorre frequentemente neste período. Intervenções que se foquem na promoção de estratégias adaptativas de regulação emocional mostram-se relevantes, em vez de intervenções mais intensivas para alterar representações de vinculação.
Objectives: The present study aimed to explore the similarities and differences between the representations of attachment and the difficulties of emotional regulation in women with and without clinically significant depressive and anxious symptoms in the postpartum period. In addition, it aimed to understand if attachment representations are associated with the women’s depressive and anxious symptoms in the postpartum period, and if this association occurs through the difficulties of emotional regulation. Methods: The sample included 450 women in the postpartum period, who responded to an online assessment protocol, consisting of four self-response instruments: the Experience in Close Relationships – Relationship Structure Questionnaire, the Difficulties in Emotion Regulation Scale, the Edinburg Postnatal Depression Scale and the Hospital Anxiety and Depression Scale. Results: The existence of comorbility between anxious and depressive symptomatology was verified (33.3%), and women with comorbid symptoms had more insecure attachment representations (p < .001) and more difficulties of emotional regulation (p < .001) than women presenting only depressive symptoms and women without clinically significant symptoms. The results also demonstrated an indirect effect of the insecure attachment representations of self and others in depressive and anxious symptomatology, through the difficulties of emotional regulation, namely through the limited access to emotional regulation strategies that are perceived as effective (Strategies), the nonacceptance of emotional responses (Non Acceptance) and lack of emotional clarity (Clarity). Conclusions: The results found underline the importance of the attention that should be given also to the anxious symptomatology, since it is a condition that co-occurs frequently in this period. Interventions to focus on promoting adaptive strategies of emotional regulation are relevant, rather than more intensive interventions to change attachment representations.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/83988
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE MIP 2017 - RitaMarques.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

408
checked on Jun 2, 2020

Download(s) 50

367
checked on Jun 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons