Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/83722
Title: Relatórios de Estágio e Monografia intitulada: "As Benzodiazepinas e os Fatores de Risco no Indivíduo Idoso"
Other Titles: Internship reports and Monograph entitled: "Benzodiazepines and Risk Factors in the Elderly Individual"
Authors: Machado, Vanessa Sofia Seco 
Orientador: Custódio, José Barata Antunes
Dias, Margarida Maria Freitas
Pereira, Maria Teresa
Keywords: Benzodiazepinas; Idoso; Sensibilidade; Tratamento; Dependência; Benzodiazepines; Elderly; Sensitivity; Treatment; Drug Dependence
Issue Date: 21-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Relatórios de Estágio e Monografia intitulada: "As Benzodiazepinas e os Fatores de Risco no Indivíduo Idoso"
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
Abstract: The current monograph has as its theme: "Benzodiazepines and Risk Factors in the Elderly Individual". There is now a gradual aging of the population in most European countries, as well as an overuse of medication in the elderly, especially regarding benzodiazepines.Benzodiazepines are medication to avoid in this age group. However, the latest available statistics show that the prevalence of these drugs in individuals over 65 years remains high, in addition to the treatments being prolonged, if not chronic. Because the aging process is associated with a series of pathophysiological changes and multiple pathologies, the elderly's organism is considerably more sensitive to the action of these drugs, being a greater risk of falls, fractures, and dependence. The possibility of cognitive impairment has been a concern. Amnesia, confusion, attention and concentration difficulties are some of the reported complaints. It has been shown that it is important to understand whether these changes may be lasting and / or permanent and may be associated with an increase in the number of reported cases of dementia. Given the lack of effective pharmacological treatments, it is critical to determine whether prolonged benzodiazepine treatment may be a risk factor. Through the analysis of several articles, this monograph sought to present the latest findings of the latest research in addition to allowing a better professional performance, considering that the pharmacist is a promoting the better quality of life in the elderly.The latest studies point to an association between benzodiazepines taking and Alzheimer's disease, with a higher risk for treatments over 6 months and with long acting molecules. Complying with the recommended period (the equivalent of up to 3 months of therapy) the effect is not significant. Despite the lack of an unambiguous biological mechanism to explain this process, this mere statistical association is sufficiently robust for the risk of cognitive impairment to be taken into account by health professionals in the institution of benzodiazepine therapy for the elderly. In the future it is necessary to establish a causal association between these two factors, through experimental studies in animals and cellular models.
A presente monografia tem como tema: “As Benzodiazepinas e os Fatores de Risco no Indivíduo Idoso”. Atualmente, verifica-se um envelhecimento gradual da população na generalidade dos países europeus, bem como uma utilização excessiva de medicamento no idoso, nomeadamente no que respeita à toma de benzodiazepinas. As benzodiazepinas são medicação a evitar nesta faixa etária. Contudo, os últimos dados estatísticos disponíveis demonstram que a prevalência destes fármacos em indivíduos com mais de 65 anos continua bastante elevada, para além de os tratamentos serem prolongados, se não crónicos. Pelo facto de o processo de envelhecimento estar associado a uma série de alterações fisiopatológicas e múltiplas patologias, o organismo do idoso é consideravelmente mais sensível à ação destes fármacos, verificando-se um maior risco de quedas, fraturas e dependência. A possibilidade de comprometimento cognitivo tem sido alvo de preocupação. Amnésia, confusão, dificuldades de atenção e concentração são algumas das queixas reportadas. Revelou-se importante compreender se estas alterações poderão ser duradouras e/ou permanentes, bem como estar associadas ao aumento do número de casos registados de demência. Face à inexistência de tratamentos farmacológicos eficazes, é fundamental determinar se o tratamento prolongado com benzodiazepinas poderá ser um fator de risco. Através da análise de diversos artigos, a presente monografia procurou apresentar as mais recentes conclusões das últimas investigações para além de permitir um melhor desempenho profissional, considerando que o farmacêutico é um agente fundamental na promoção da melhor qualidade de vida nos idosos. Os últimos estudos apontam para uma associação entre a toma de benzodiazepinas e incidência de Alzheimer, com risco superior para tratamentos superiores a 6 meses e com moléculas de longa duração. Cumprindo-se o período máximo recomendado (o equivalente até 3 meses de terapêutica) aquele efeito não é significativo. Apesar da inexistência de um mecanismo biológico inequívoco que explique este processo, esta mera associação estatística é suficientemente sólida para que o risco de comprometimento cognitivo seja tido em consideração pelos profissionais de saúde, na instituição da terapêutica com benzodiazepinas a idosos. No futuro é necessário estabelecer uma associação causal entre estes dois factos, através da realização de estudos experimentais em animais e modelos celulares.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: https://hdl.handle.net/10316/83722
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Vanessa Machado - Monografia 2017 subs.pdf3.75 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

474
checked on Feb 20, 2024

Download(s) 50

550
checked on Feb 20, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons