Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83719
Title: Défices Congénitos da Glicosilação: alguns casos, diagnóstico e tratamento
Other Titles: Congenital Disorders of Glycosylation: some cases, diagnosis and treatment
Authors: Borges, Filipa Amaral 
Orientador: Cavadas, Cláudia Margarida Gonçalves
Osório, Isabel Abreu e Castro
Quelhas, Maria D. Silva
Keywords: Glycosylation; CDG; Phenotype; Transmition; Treatment; Glicosilação; CDG; Fenótipo; Transmissão; Tratamento
Issue Date: 29-Sep-2017
Serial title, monograph or event: Défices Congénitos da Glicosilação: alguns casos, diagnóstico e tratamento
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Glycosylation is a post-translational process that can be found in almost every biological processes, influencing development, growth and the regular function of cells and organisms. Being the product of genome and environment interaction, informations of this interaction can be found in glycosylation analysis.Glycosylation is a process in which sugar residues are added to specific loci in proteins. The different types of glycosylation classification depend on these mentioned loci where the sugar residues are added.Fundamental in biosynthesis, protein folding, enzyme and hormones activity, glycosylation also plays a major role in receptor roles, antibodies and transporters recognition, coagulation factors synthesis and for most of membrane proteins and intercellular proteins.A deficit in glycosylation (CDG) can lead to a serious clinical multisystemic presentation or it can be presented with a softer phenotype, depending on the affected gene. These deficits were first described by Jaeken, in 1980, and are now systematized as a group of 104 subtypes of hereditary diseases. This is still a growing number, as many of these subtypes are under diagnosed and multisystem pathologies with no known diagnoses can be potential CDG.The mode of inheritance is mainly autossomic recessive, some cases being X-linked or autosomal dominant.In many genetic or chronic diseases, protein glycosylation is shown to be greatly altered. Analyzing this process can provide useful information about the current state of the patient, allowing for a early diagnose and therapeutic monitoring. Most of CDG are untreatable. The clinical intervention must then be focused on enhancing the patients' overall life quality and diminishing the associated symptomatology.
A glicosilação é uma modificação pós-traducional que ocorre em quase todos os processos biológicos e que influencia o desenvolvimento, crescimento e funcionamento das células e dos organismos. Sendo o produto da interação entre genoma e fatores ambientais, a análise da glicosilação pode fornecer informações sobre este processo. A glicosilação é um processo no qual resíduos de açúcares são adicionados a proteínas em locais específicos. Consoante o local onde os açúcares são adicionados assim podemos classificar os vários tipos de glicosilação.É essencial para a biossíntese e enrolamento das proteínas, para a atividade de enzimas e hormonas, para o funcionamento de recetores celulares, reconhecimento de anticorpos, transportadores, síntese de fatores de coagulação sanguíneos e ainda para a maioria das proteínas membranares e muitas proteínas intracelulares. Um défice neste processo – CDG - pode levar a uma apresentação clínica multissistémica grave ou pode ter um fenótipo atenuado, dependendo do gene afetado. Estes défices foram descritos pela primeira vez em 1980, por J. Jaeken, e constituem agora um grupo de 104 subtipos de doenças hereditárias. Este é um grupo crescente, uma vez que muitos dos subgrupos se encontram ainda subdiagnosticados e também porque patologias multissistémicas, cujo diagnóstico é ainda desconhecido, podem ser potenciais CDG.São habitualmente patologias com um modo de transmissão de forma autossómica recessiva, havendo alguns casos ligados ao cromossoma X ou com transmissão de forma autossómica dominante.Em muitas doenças genéticas e crónicas, a glicosilação das proteínas está muito alterada. Uma análise da glicosilação tem, então, o benefício de nos fornecer informação sobre o estado atual do doente, permitindo um diagnóstico precoce e consequente monitorização terapêutica. A maioria dos défices congénitos da glicosilação não tem tratamento, sendo que a intervenção clínica passa por minimizar a sintomatologia associada de modo a melhorar a qualidade de vida do doente.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/83719
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho final.pdf4.28 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

549
checked on Jul 21, 2021

Download(s) 20

976
checked on Jul 21, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons