Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/82785
Title: Défice Seletivo de IgM
Other Titles: Selective IgM Deficiency
Authors: Borges, Henrique Tomás 
Orientador: Pereira, António Celso Dias Pais
Faria, Emilia Maria Antunes Gomes de
Keywords: Imunodeficiência; imunodeficiência primária; imunoglobulina M; imunodeficiência de anticorpos; défice seletivo de IgM; immunodeficiency; primary immunodeficiency; immunoglobulin M; antibody immunodeficiency; selective igm deficiency
Issue Date: 4-Jun-2018
Serial title, monograph or event: Défice Seletivo de IgM
Place of publication or event: Universidade de Coimbra
Abstract: ResumoA Imunoglobulina M (IgM) é o primeiro anticorpo produzido no recém-nascido e numa resposta imunitária primária, produzido maioritariamente por linfócitos B-1, residentes na cavidade peritoneal, no espaço pleural e no baço. Representa 5-10% da concentração total de imunoglobulinas séricas. É expresso como um monómero, com duas cadeias pesadas e duas leves, e expresso na superfície dos linfócitos B, onde atua como recetor das céluals B. A imunoglodulina M é secretada como um pentâmero, no qual cinco monómeros se ligam através de pontes dissulfídicas, que se liga a uma cadeia-J, que possibilita a sua secreção nas mucosas. Devido à sua grande estrutura é principalmente no plasma que circula, tendo concentrações mais baixas no espaço extracelular. Como pentâmero apresenta 10 parátopos, adquirindo uma avidez muito superior à sua forma monomérica, particularmente quando se tratam de antigénios com epitopos repetidos.Na resposta imunitária primária a IgM é produzida rapidamente, e a sua principal função é a ativação do sistema complemento, atuando também na neutralização e opsonização dos agentes patogénicos, de forma a controlar as infeções.O défice seletivo de IgM (DsIgM) é uma imunodeficiência rara definida por uma diminuição isolada da concentração da IgM sérica superior a dois desvios padrão da normalidade, estando as restantes imunoglobulinas em concentrações séricas normais, e sem outra patologia que possa explicar o défice imunológico. A manifestação mais comum desta patologia são infeções recorrentes, seguidas de manifestações alérgicas, estando também descrito uma maior prevalência de doenças autoimunes. A verdadeira prevalência desta imunodeficiência é ainda desconhecida, no entanto estão descritos valores de 0,1-3,8% em doentes internados, e de 0,37% em estudos comunitários. A antibioterapia utilizada no tratamento das infeções em indivíduos saudáveis é eficaz no tratamento de indivíduos com o DsIgM na maioria dos casos. Pode estar indicada antibioterapia profilática e a vacina anti-pneumocócica nos doentes com infeções recorrentes e graves.Apesar da baixa prevalência desta doença e das suas manifestações estarem associadas a um bom prognóstico, doentes com imunodeficiências de anticorpos podem desenvolver complicações crónicas com impacto na qualidade de vida resultado de diagnósticos errados e/ou tardios, bem como de tratamentos inadequados. O reconhecimento desta entidade clínica é de grande importância de modo a facilitar a realização de diagnósticos precoces e instituir uma terapêutica adequada o mais cedo possível.
Immunoglobulin M is the first antibody produced in the newborn and the first produced in the primary immune response. It is produced mostly by B-1 lymphocytes, a cell population residing in the peritoneal and pleural cavity and the spleen. Immunoglobulin M makes up 5 to 10% of the total serum immunoglobulin. It is expressed in the surface of B cells as a monomer, with two light chains and two heavy chains, and in this form it works as a B cell antigen recetor. It is secreted as a pentamer, composed by 5 monomers connected by disulfide bonds, which in turn bond to the J-chain which allows it to be secreted into mucosa. Due to its size it is present mostly in the serum, having a low concentration in the extracellular space. As a pentamer it possesses 10 paratopes that allow it to have a much higher affinity than as a monomer, notably towards particles with repeating antigens.It is rapidly synthetized in the primary immune response and its main function is the activation of the complement system. It also has neutralizing and opsonizing functions that allow it to contain infections.Selective IgM deficiency is a rare immunodeficiency characterized by isolated low levels of IgM, greater than two standard deviations from what would be expected (0,43mg/ml), with normal levels of all other immunoglobulin classes and subclasses and without any other immune defect. The most common manifestation of this pathology are recurrent infections, followd by allergic manifestations and autoimmune diseases. Its true prevalence is unknown, although there are values reported of Selective IgM Deficiency in 0,1-3,8% of hospitalized patients, and 0,37% in community studies. Treatment of the infections with antibiotics it is effective in most patients. Antibiotic prophylaxis and vaccination may be necessary in patients with recurrent and severe infections.Despite the low prevalence of Selective IgM Deficiency and its good prognosis, antibody deficiencies are often associated with chronic complications that have an impact on quality of life, as a result of a late diagnosis and/or inadequate treatment.It is of great importance to acknowledge this disease in order to facilitate an early diagnosis and put into practice an adequate treatment plan as soon as possible.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: https://hdl.handle.net/10316/82785
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese - Défice selectivo de IgM (DsIgM).pdf931.98 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

989
checked on Feb 20, 2024

Download(s) 20

1,342
checked on Feb 20, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons