Title: Zika virus: a review
Other Titles: Vírus Zika: uma revisõa
Authors: Vicente, Beatriz Helena de Sousa e Castro Nunes 
Orientador: Duque, Vitor Manuel Jorge
Keywords: Vírus Zika;Aedes aegypti;Epidemiologia;Patogenia;Febre de Zika;Zika Virus;Aedes aegypti;Epidemiology;Pathogenesis;Zika fever
Issue Date: 26-May-2017
Abstract: Contrariamente a outras doenças transmitidas por mosquitos e capazes de causar doenças graves no ser humano, o vírus Zika surgiu de forma discreta, causando infeções assintomáticas ou caracterizadas por uma febre exantemática ligeira considerada pouco ou nada preocupante.Não obstante o vírus ter sido descoberto há mais de 60 anos no Uganda, menos de 20 casos foram identificados até 2007. A epidemia que ocorreu nas ilhas do Pacífico em 2007 e 2013, associadas à estirpe Asiática, surgiu antes do surto da América Latina em 2015. Estes eventos, juntamente com a primeira associação do vírus a alterações neurológicas graves e malformações congénitas, despoletaram, finalmente, a preocupação internacional.Apesar dos esforços recentes, todo o conhecimento relacionado com o vetor, modos transmissão, patogenia e meios de diagnóstico ainda é escasso, exigindo-se estudos aprofundados e céleres em tempo útil.Assim, face à inexistência de terapias antivirais específicas e ao facto de o desenvolvimento vacinal ainda não estar concluído, o controlo epidémico da infecção pelo vírus Zika exige uma série de medidas de proteção, que comportam não só uma luta direta contra o vetor, mas também o uso de meios de proteção individual contra a picada do mosquito, a prevenção junto daqueles que viajam de e para estes locais, e a educação das comunidades onde o vírus foi identificado, com particular enfoque na redução do risco de transmissão venérea do vírus e entre mãe e filho através de uma educação sexual adequada.
Unlike other mosquito-borne relatives capable of causing severe human diseases, the Zika virus has initially appeared in a discreet manner, causing asymptomatic or mild exanthematous febrile infections which were considered little or no problematic.Even though the virus was discovered in Uganda more than 60 years ago, less than 20 human cases were identified before 2007. Epidemics in the Pacific islands associated with the Asian lineage of the virus in 2007 and 2013 emerged before the explosive outbreaks in Latin America in 2015. These events, along with the first association of the virus with severe neurological alterations and the development of congenital malformations, ended up triggering international concern.Despite recent efforts, vector-related knowledge, modes of transmission, pathogenesis and diagnosis are still scarce, thereby demanding rapid and thorough study to be concluded in useful time.Thus, as no specific antiviral treatment exists and the development of the vaccines is still in progress, epidemic control of Zika virus infection requires a series of protection measures, which comprise, apart from direct fight against the vector, personal protection against mosquito bites, prevention among those who travel to and from these sites, and the education of the communities where the virus has been identified, particularly in view of reducing the risk of venereal mother-to-child transmission through appropriate sexual education.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Description: Trabalho de Projeto do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82482
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FINALpdf.pdf4.22 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons