Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82438
Title: As plantas aromáticas na culinária dos séculos XVI e XVII Um contributo para a história da alimentação
Other Titles: The aromatic plants in cooking in the 16th and 17th centuries A contribution to the history of food
Authors: Godinho, Carla Susana Anjos 
Orientador: Santos, Maria José Azevedo
Keywords: Ervas aromáticas; Plantas aromáticas; Receitário histórico; Séculos XVI e XVII; História da alimentação; Aromatic herbs; Aromatic plants; Historical cooking recipe; XVI and XVII centuries; History of food
Issue Date: 4-Oct-2018
Serial title, monograph or event: As plantas aromáticas na culinária dos séculos XVI e XVII Um contributo para a história da alimentação
Place of publication or event: SASUC
Abstract: O tema em análise desta dissertação é o uso das plantas aromáticas na alimentação portuguesa dos séculos XVI e XVII cuja base são os poucos registos que existem da época.O primeiro livro que nos leva a desenvolver o tema é O livro de Cozinha da Infanta D. Maria. A partir daqui viajámos durante, sensivelmente, um século pelas receitas de mais duas obras para além desta, analisámos As Receitas de Cozinha de um Frade Português no Século XVI e ainda Arte de Cozinha de Domingues Rodrigues.Ingredientes tão simples como as plantas aromáticas, mas que têm um grande valor desde há séculos!Quando nos deparamos com este tema inevitavelmente encontramos também uma enorme escassez de fontes para o desenvolvimento do mesmo.Um desafio constante na procura de mais um pouco, na expectativa de conseguir mais dados num tema tão simples, mas ao mesmo tempo tão complexo.O tema em apreço é dedicado especificamente a plantas aromáticas usadas nas receitas em estudo, tendo a noção de que muitas das plantas aromáticas existentes não constam do nosso estudo, seja porque caíram em desuso até ao século XVI, seja porque simplesmente não constam nestas receitas. Não quer de todo dizer que não se usassem mais plantas aromáticas do que as que aqui fazemos abordagem, mas, não havendo registo do seu uso em qualquer uma das obras em estudo e das suas receitas com os critérios que usámos, seria arriscado pressupor o uso de outras que não as que de facto encontramos nas nossas fontes.Entraremos nas cozinhas abastadas da época, imaginaremos o aspecto, a cor, os cheiros que deviam resultar destas receitas e constataremos que nem sempre a culinária, a arte de cozinhar, foi como hoje a conhecemos. A amálgama de sabores era uma constante e as misturas do doce com o acre, assim como, das plantas aromáticas com as especiarias tinham um simbolismo próprio da época na classe a que nos vamos referir. Ao longo dos três capítulos tentaremos fazer o enquadramento histórico, para além da caracterização das plantas constataremos as suas conjugações com os ingredientes novos, consequência da época dos Descobrimentos que se vivia e o uso que cada autor de cada obra lhes dá.
The topic under consideration of this dissertation is the use of aromatic plants in Portuguese food in the 16th and 17th centuries whose basis are the few records that exists from the era.The first book that leads us to develop the topic is “O Livro de Cozinha da Infanta D. Maria”.From here we travelled for approximately a century by two more books in addition to this, we looked at “As Receitas de Cozinha de um Frade Português no Século XVI” and “Arte de Cozinha” de Domingues Rodrigues.Ingredients as simple as the aromatic plants, but with a majestic greatness for centuries!When we face this topic inevitably we also found enormous shortages of sources for its development.A constant challenge in the search for a little more, hoping to get more data on a subject so simple, but at the same time so complex in sources.The topic under consideration is dedicated specifically to aromatic plants used in recipes, of each book, and the sense that many of the existing aromatic plants are not included in our study, is because it fell into disuse until the 16th century, or simply because they are not specified in these recipes. Not wanting to say that more aromatic plants weren’t used besides the ones we focus here, there is no record of their usage in any book under this study neither in their recipes with the criteria we used, it would be risky to assume the use of other than the ones we found in our sources.We will enter in the wealthy kitchens at that era, imagine the appearance, color, smells that should result from these recipes, and we can see that the cuisine, the art of cooking, was not how we know it today.The amalgam of flavors was a constant and mixtures of sweet with the acre, as well as the aromatic plants with spices had a symbolism of the era in class to which we will refer.Throughout the three chapters will try to do the historical context for the characterization of the plants, reveal their conjugations with new ingredients, a consequence of the age of discovery that crossing at that era and the usage that each author gives them in each book.
Description: Dissertação de Mestrado em Alimentação: Fontes, Cultura e Sociedade apresentada à Faculdade de Letras
URI: http://hdl.handle.net/10316/82438
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
CarlaGodinho_versaofinal.pdf4.75 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 50

528
checked on Oct 4, 2022

Download(s) 50

365
checked on Oct 4, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons