Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82310
Title: Particularidades da avaliação e tratamento da dor no idoso: contributo para a validação da Escala de Avaliação da Qualidade da Dor e abordagem terapêutica na população idosa
Other Titles: Particularities of pain evaluation and management in the elderly: contributing to the validation of the Pain Quality Assessment Scale and therapeutic approach in the elderly population
Authors: Ribeiro, Hugo Alexandre da Cruz 
Orientador: Dourado, Marilia Assunção Rodrigues Ferreira
Moutinho, Rita de Sousa
Keywords: Geriatria; Idoso; Dor crónica; Tratamento; Validação de escala; Geriatrics; Elderly; Chronic pain; Treatment guidelines; Scale validation
Issue Date: 12-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Particularidades da avaliação e tratamento da dor no idoso: contributo para a validação da Escala de Avaliação da Qualidade da Dor e abordagem terapêutica na população idosa
Place of publication or event: Unidade de Tratamento da Dor do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho
Abstract: In Portugal, as in most occidental countries, the elderly population has been increasing as a consequence of diminished fecundity and increased longevity, representing nowadays 20% of the overall population, value estimated to rise up to 50% by the year 2050.Aging leads to a diminished physiologic integrity, with a slow and progressive loss of function and increased vulnerability that escalates until the end of life. Among the vast physiological changes associated with aging many must be taken into consideration when starting a therapy including pain management. According to the International Association for the Study of Pain (IASP) pain is defined as an “unpleasant sensory and emotional experience associated with actual or potential tissue damage, or describe in terms of such damage”. This problem has a high prevalence in the elderly: about 50% of those living in the community and 83% of those institutionalized.Many studies have shown an insufficient characterization and validation of pain in elderly patients, with about 25 to 50% of patients with chronic pain under no pain medication and nearly up to 50% managed with drugs unsuited for their disease, pain and individual characteristics, either related and unrelated with aging. The aims of this work are establishing a clinical orientation guideline to chronic pain management in the elderly and contributing to the validation of the Pain Quality Assessment Scale® in the Portuguese population. This scale is a practical instrument in pain characterization and of pain treatment efficacy evaluation.Regarding the contribution to the questionnaire validation its cultural validation was done after applying it to a total of 25 patients through a convenience sampling process.As such this preliminary study allowed a consensual translation of the PQAS and the identification of response and non-response rates. The characteristics of the studied population didn’t allow definite conclusions about the large scale applicability of this instrument. Despite the small sample number there were no statistically significant variations between sexes or different levels of education. The preliminary results of this study suggest that the PQAS might not be a true pain evaluation scale and be more of a questionnaire that seeks to investigate the a specific nature of the pain of each individual.The PQAS, despite having some major advantages like evaluating all kinds of pain, quantifying the various pain characteristics and allowing patient follow up, has proven to be too extensive, tiresome and of difficult interpretation by the patients evaluated in this preliminary study which suggests that it may be indicated only to patients with high health literacy and such relationship should be studied in a later study. In this sense, a new analysis of the questionnaire will be carried out soon, and a structural change request should be considered in order to better fit the portuguese population characteristics.
Em Portugal, tal como na grande maioria dos países ocidentais, a população idosa tem vindo a aumentar, em consequência da diminuição da fecundidade e do aumento da longevidade, representando hoje cerca de 20% da população total, estimando-se que este valor aumente para cerca de 50% em 2050.O envelhecimento leva a uma diminuição da integridade fisiológica, com uma lenta e progressiva perda de função, aumento da vulnerabilidade que se prolonga até ao fim da vida. Das inúmeras alterações fisiológicas, associadas ao envelhecimento, muitas são as que devem ser tidas em conta quando se institui uma terapêutica, nomeadamente uma terapêutica analgésica.A dor é definida, segundo a International Association for the Study of Pain (IASP), como uma “experiência sensorial e emocional desagradável, relacionada com uma lesão real ou potencial dos tecidos, ou descrita em termos que evocam essa lesão”. Este problema apresenta uma alta prevalência no idoso: cerca de 50% dos que vivem em comunidade e cerca de 83% dos que estão institucionalizados.Vários estudos têm comprovado que há uma insuficiente avaliação, caracterização e valorização da dor no idoso, sendo que cerca de 25 a 50% dos doentes idosos com dor crónica não fazem qualquer terapêutica analgésica e, dos que a fazem, cerca de 50% não será adequada à patologia de base, à sua dor e às suas características individuais, causadas ou não pelo envelhecimento.O presente trabalho tem como objectivos o estabelecimento de uma guia de orientação clínica para a abordagem terapêutica da dor crónica nos idosos e o contributo para a validação do questionário Pain Quality Assessment Scale© para a população portuguesa, um instrumento prático de caracterização da dor, e de avaliação da eficácia da terapêutica analgésica instituída. Relativamente ao contributo para a validação do questionário, procedeu-se à sua validação cultural tendo sido aplicada a um total de 25 doentes, através de um processo de amostragem por conveniência. Assim, este estudo preliminar permitiu efetuar a tradução consensual da PQAS e identificar taxas de resposta e ausência de resposta. As características da população do estudo não permitiram tirar conclusões definitivas quanto à possibilidade de aplicar este instrumento em larga escala. Apesar do tamanho da amostra ser pequeno, não foram demonstradas variações estatisticamente significativas entre sexos nem entre diferentes níveis de escolaridade. Os resultados preliminares deste estudo sugerem-nos que a PQAS possa não ser uma verdadeira escala de avaliação da dor, mas sim um questionário que procura investigar a natureza específica da dor de cada indivíduo.A PQAS, apesar de ter algumas vantagens evidentes, nomeadamente por avaliar todos os tipos de dor, quantificar várias características associadas à dor e poder permitir um follow-up dos doentes, demonstrou ser um questionário demasiado extenso, cansativo e de difícil interpretação para os doentes avaliados neste estudo preliminar, pelo que sugere que poderá estar indicada apenas para doentes com alta literacia em saúde, sendo que seria importante averiguar essa relação num estudo posterior. Nesse sentido, será efetuada em breve uma nova análise do questionário, sendo de considerar efetuar um pedido de alteração à estrutura do mesmo para melhor se adaptar às características da população portuguesa.
Description: Dissertação de Mestrado em Geriatria apresentada à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82310
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Hugo Ribeiro.pdf2.44 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

421
checked on Nov 13, 2019

Download(s) 50

382
checked on Nov 13, 2019

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons