Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/82127
Title: Comparação do estado nutricional, aferido por bioimpedância, entre adultos e idosos e suas implicações: um estudo retrospetivo
Other Titles: Comparison of the nutritional status, evaluated by bioimpedance analysis, between adults and the elderly and its implications: a retrospective study
Authors: Jesus, Sofia Candoso Néri de 
Orientador: Santos, Lélita Conceição
Mendes, Patrícia Filipa Afonso Pais Pacheco
Keywords: Bioimpedância; Composição corporal; Estado nutricional; Obesidade; Envelhecimento; Bioimpedance analysis; Body composition; Nutritional status; Obesity; Aging
Issue Date: 6-Jun-2018
Serial title, monograph or event: Comparação do estado nutricional, aferido por bioimpedância, entre adultos e idosos e suas implicações: um estudo retrospetivo
Place of publication or event: FMUC
Abstract: Introdução: A composição corporal é um dos componentes-chave da avaliação do estado nutricional de um indivíduo, permitindo identificar fatores influenciadores do prognóstico de várias doenças. A bioimpedância é um método de análise da composição corporal muito utilizado na prática clínica, por ser económico, rápido e não invasivo.Este trabalho pretende caracterizar a composição corporal e os perfis clínico e analítico de uma amostra de 205 doentes que realizaram bioimpedância nos CHUC entre 2010 e 2017 e estabelecer uma comparação entre dois grupos etários. Métodos: Foram colhidas variáveis antropométricas através do dispositivo de bioimpedância, sendo as variáveis de interesse o IMC, grau de obesidade, massa gorda corporal, percentagem de massa gorda, massa muscular esquelética, área de gordura visceral e o rácio cintura-anca. Para avaliar o perfil clínico global de cada doente, recolheram-se dados bioquímicos próximos da data da bioimpedância e em contexto de consulta, dados relativos à presença de comorbilidades, medicação e realização de cirurgia bariátrica. Dividiu-se a amostra em dois grupos etários: adultos com mais do que 65 anos e adultos com idade igual ou inferior a 65 anos. Resultados: Verificou-se que a incidência da obesidade para esta amostra era de 79,8% nos adultos jovens e 59,4% nos adultos com mais de 65 anos. A incidência da massa muscular esquelética acima do limite normal foi de 68,2% nos adultos jovens e de 21,9% nos adultos com mais de 65 anos. Registou-se maior prevalência de valores excessivos de glicose, azoto ureico, creatinina, ácido úrico, triglicerídeos e HbA1c no grupo de adultos com mais de 65 anos. No grupo dos adultos jovens havia maior incidência de níveis aumentados de colesterol total e LDL. As percentagens de adultos com mais de 65 anos com diagnóstico de HTA e de dislipidémia (78,1% e 68,8%, respetivamente) foram aproximadamente o dobro das dos adultos jovens. Também, as percentagens de adultos com mais de 65 anos que toma habitualmente medicação hipoglicemiante, anti-hipertensores e anti-dislipidémicos como parte da sua terapêutica crónica era cerca do dobro da dos adultos jovens. Uma pequena percentagem dos doentes realizou cirurgia bariátrica, nomeadamente gastrectomia vertical ou bypass gástrico em adultos com 65 anos ou menos. Verificou-se que a glicose sérica está relacionada positivamente com o peso, IMC, rácio cintura-anca e área de gordura visceral, sendo que tem maior força no grupo de adultos com mais de 65 anos. Discussão e Conclusões: Na amostra estudada verificou-se que os adultos mais velhos são maioritariamente obesos ou com excesso de peso e os adultos maioritariamente obesos. Esta conclusão está de acordo com outros estudos que indicam que a prevalência de obesidade aumenta com a idade com um pico por volta dos 60 anos e posterior declínio. Conclui-se que a maioria dos doentes apresentou múltiplos fatores de risco cardiovascular, com várias comorbilidades já instaladas, polimedicação e alteração da composição corporal.
Introduction: Body composition is one of the key aspects of the assessment of the nutritional status of a patient, allowing the identification of factors influencing the prognosis of various diseases. Bioimpedance is a method of estimating body composition widely used in clinical practice for being cost-effective, fast and non-invasive.This thesis aims to characterize the body composition and the clinical and analytical profile of a sample of 205 patients who performed bioimpedance analysis in CHUC between 2010 and 2017 and establish a comparison between two age groups. Methods: Anthropometric variables were collected through the bioimpedance device, the variables of interest being BMI, obesity degree, body fat mass, percentage of fat mass, skeletal muscle mass, visceral fat area and waist-hip ratio. In order to evaluate the overall clinical profile of each patient, biochemical data were collected close to the bioimpedance test date and in the context of an appointment. Data regarding the presence of comorbidities, medication and bariatric surgery were also collected. The sample was divided into two age groups: adults over 65 years and adults aged 65 years or less. Results: The incidence of obesity was 79.8% in young adults and 59.4% in adults over 65 years. The incidence of skeletal muscle mass above the normal limit is 68.2% in young adults and 21.9% in adults over 65 years. There was a higher prevalence of excessive values of glucose, blood urea nitrogen, creatinine, uric acid, triglycerides and HbA1c in the group of adults over 65 years. In the group of young adults there was a higher incidence of increased levels of total and LDL-cholesterol. The percentages of adults over 65 years of age with diagnosis of hypertension and dyslipidemia (78,1% and 68,8%, respectively) were approximately twice of that of young adults. Similarly, the fraction of adults over 65 who routinely take hypoglycemic, antihypertensive and anti-dyslipidemic chronic medication was generally twice of that of young adults. A small percentage of patients underwent bariatric surgery, typically vertical gastrectomy or gastric bypass. It was verified that serum glucose was positively related to weight, BMI, waist-hip ratio and visceral fat area, being stronger in the group of adults over 65 years. Discussion and conclusions: The sample studied showed that the elderly are mostly obese or overweight and the adults are mostly obese. This finding is consistent with other studies indicating that the prevalence of obesity increases with age with a peak at around 60 years and subsequent decline. It was concluded that the majority of the patients had multiple cardiovascular risk factors, with several co-morbidities already present, polymedication and alteration of the body composition.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: https://hdl.handle.net/10316/82127
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
TESE Sofia Néri 260318.pdf2.27 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 20

658
checked on Feb 27, 2024

Download(s) 50

387
checked on Feb 27, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons