Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81012
Title: O papel da terapêutica não farmacológica no tratamento da diabetes mellitus tipo 2
Authors: Vieira, Luís Miguel dos Santos 
Orientador: Teixeira, Frederico
Reis, Flávio
Keywords: Diabetes mellitus não insulino-dependente; Terapêutica não farmacológica
Issue Date: Jan-2009
Abstract: A Diabetes Mellitus tipo 2 (DMT2), à qual se associam um conjunto de outras perturbações cardiometabólicas, atinge actualmente grandes proporções. Esta “epidemia” assume dimensões tão mais preocupantes quando se constata que nos últimos 20 anos a prevalência da DMT2 aumentou dramaticamente entre crianças e adolescentes. Os indivíduos com esta patologia apresentam um aumento da mortalidade precoce por enfarte agudo de miocárdio (2/3 dos casos) e por acidente vascular cerebral (1/3 dos casos), de tal modo que é considerada por alguns cardiologistas como uma doença cardiovascular, cujo marcador precoce é a hiperglicemia. Neste contexto, é fundamental instituir medidas de prevenção primária e secundária o mais eficazes possível. Um dos principais factores de risco para a DMT2 é o aumento da prevalência de obesidade, resultante de dietas inapropriadas e do sedentarismo. A elevada actividade metabólica nefasta da gordura visceral, associada à glicotoxicidade, fomentam um estado de resistência à acção da insulina em tecidos periféricos, que contribui decisivamente para a deterioração das células-beta pancreáticas, agravando a progressão da doença para estadios severos, nos quais as graves complicações micro/macrovasculares são uma realidade. Neste contexto, a adopção de medidas dietéticas adequadas e a prática regular de exercício físico apresentam comprovados benefícios para a saúde, podendo eventualmente constituir uma importante ferramenta terapêutica não-farmacológica para a prevenção e/ou tratamento da DMT2. Embora a avaliação do efeito preventivo do exercício físico na DMT2 tenha sido estudada sobretudo de uma forma indirecta, através de estudos epidemiológicos retrospectivos, sabe-se que, quando praticado de forma regular, apresenta efeitos benéficos no controlo glicémico, nomeadamente por melhorar a sensibilidade à insulina a nível periférico, mas também por uma acção anti-inflamatória e antioxidante, desempenhando assim um papel importante na prevenção da progressão da diabetes e das suas complicações. Assim, o principal objectivo do presente trabalho é o de proceder a uma revisão da literatura relativa à eficácia dos programas de modificação do estilo de vida na fisiopatologia da DMT2 e suas complicações, tendo como especial enfoque a prática de exercício físico, distinguindo-se o exercício agudo do crónico. Como forma de complementar esta análise com a avaliação dos efeitos a nível celular e molecular e considerando a dificuldade de o fazer em humanos, será feita referência aos estudos realizados no Instituto de Farmacologia e Terapêutica Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra num modelo experimental de diabetes tipo 2, o rato Zucker Diabetic Fatty (ZDF). De facto, os resultados obtidos confirmaram que o exercício físico, moderado e regular, parece exercer efeitos benéficos comprovados a nível metabólico através de mecanismos relacionados com a atenuação dos processos inflamatórios e de stresse oxidativo subjacentes à fisiopatologia da DMT2. Deste modo, a prática de um programa de exercício físico regular poderá ser vista como uma medida coadjuvante da terapêutica farmacológica antidiabética.
Type 2 diabetes mellitus (T2DM) currently reaches epidemic proportions. The fact that in the last 20 years, the prevalence of T2DM has dramatically increased in children and teenagers is of particular concern. Individuals suffering from this pathology show increased precocious mortality, by acute myocardial-infarction (2/3 of the cases) and brain vascular accident (1/3 of the cases), thus some cardiologists consider T2DM a cardiovascular disease, whose earlier biochemical marker is hyperglycaemia. Having this in mind it seems fundamental to assure the most efficient primary and secondary measures. One of the main risk factors for T2DM is the increased prevalence of obesity, as a result of inappropriate diets and physical inactivity. The harmful visceral fat high metabolic activity, associated with hyperglycemia glucotoxicity, contribute to the resistance to insulin action in peripheral tissues, which contributes significantly to the deterioration of pancreatic beta-cells, exacerbating the progression to severe stages, in which serious micro / macro vascular complications are a reality. In this context, the adoption of appropriate diet and the regular practice of physical exercise presents proven health benefits, eventually being able to constitute an important therapeutic tool in the prevention and/or treatment of T2DM. Although the evaluation of the preventive effect of physical exercise has been studied, mainly in an indirect way through epidemiologic retrospective studies, it is known that, when practiced in a regular way, it presents benefits in the glicemic control, namely in the attenuation of the insulin-resistance, but also as an anti-inflamatory and anti-oxidant effects, playing an important role in the prevention of the progression of diabetes and its complications. Thus, the aim of this work is to undertake a review of the literature on the effectiveness of lifestyle modification programmes in the pathophysiology of T2DM and its complications, focusing on the practice of physical exercise, distinguishing acute from chronic exercise. In order to complement this analysis with the evaluation of the cellular and molecular effects of physical exercise and considering the difficulty of doing so in humans, there will be reference to the studies at the Institute of Pharmacology and Experimental Therapeutics of the Faculty of Medicine of Coimbra University, in an experimental model type 2 diabetes, the Zucker Diabetic Fatty rat (ZDF). In fact, the obtained results confirmed that moderate and regular exercise training, seems to exert beneficial effects, proven at the metabolic level, through mechanisms related with the attenuation of the inflammatory processes and of the oxidative stress underlying the pathophysiology of the T2DM. Thus, the practice of a regular exercise training program may be seen as an adjuvant measure for the anti-diabetic drug therapy
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Farmacologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/81012
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
Show full item record

Page view(s)

154
checked on Nov 21, 2022

Download(s)

141
checked on Nov 21, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.