Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/80735
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilva, José António Pereira da-
dc.contributor.advisorMatos, João Pedro Vitória Vieira de-
dc.contributor.authorMelim, Joana Catarina Trindade-
dc.date.accessioned2018-09-10T11:35:51Z-
dc.date.available2018-09-10T11:35:51Z-
dc.date.issued2011-03-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/80735-
dc.descriptionTrabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Reumatologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbrapt
dc.description.abstractIntrodução: a fibromialgia (FM) é um síndrome controverso caracterizado por dor musculoesquelética generalizada crónica com uma duração mínima de 3 meses. É frequentemente associada a comorbilidades psiquiátricas, nomeadamente ansiedade e depressão. Várias hipóteses tem sido geradas em relação à sua etiologia, como o papel de factores ambientais (neste caso, eventos traumáticos precoces) cuja contribuição no desenvolvimento destes distúrbios se deve a alterações na modulação do eixo Hipotálamo-Hipófise-Suprarrenal e Sistema Nervoso Autónomo. Objectivo: O objectivo deste trabalho prende-se com a confirmação de que mulheres com fibromialgia apresentam maior história de trauma precoce quando comparadas com as irmãs sem a doença. Averiguou-se também qual o tipo de trauma mais frequente. Por fim, tentou-se aferir se a mãe corroborava o acontecimento de tais traumas ou se o seu relato se deveria a uma hipervalorização por parte da doente. Métodos: a população consistiu em 20 famílias compostas por uma filha com fibromialgia, a sua irmã saudável e a mãe de ambas. Usou-se o Early Trauma Inventory para avaliar a história de traumas nas doentes e controlos. A mãe respondeu também a este inquérito em função de cada uma das filhas. O Hospital Anxiety and Depression Scale foi usado para medir os níveis de depressão e ansiedade em doentes e controlos. Resultados: os resultados demonstram que as doentes com FM reportavam maior quantidade de traumas durante a infância, por oposição às irmãs saudáveis (53,4% vs 33,7%). Esta informação foi corroborada pela mãe. O tipo de trauma mais frequente foi Trauma Geral. Demonstrou-se uma correlação estatisticamente significativa positiva entre diferentes tipos de trauma no grupo das doentes. Mostrou-se ainda uma correlação positiva entre eventos traumáticos precoces e altos níveis de ansiedade e depressão nas doentes. Conclusão: A hipótese de que eventos traumáticos precoces estão correlacionados cmo o desenvolvimento de fibromialgia no futuro foi confirmada. Nesta população é claro que mais traumas ocorreram na vida das doentes quando comparados com o número de traumas na vida das suas irmãs saudáveis. Este facto foi reconhecido pela mãe e está também associado a maior prevalência de distúrbios psiquiátricos como a ansiedadept
dc.description.abstractBackground: Fibromyalgia (FM) is a controversial syndrome characterized by a history of widespread musculoskeletal pain for at least three months and is frequently associated with psychiatric co-morbidities such as anxiety and depression. Several hypothesis have been suggested for its etiology, namely the role of environmental factors (traumatic events) on the development of these disorders, mainly involving the Hypothalamus-Pituitary-Adrenal (HPA) axis and the Autonomic Nervous System (ANS). Objective: The main goal of this study is try to understand if female patients with fibromyalgia have had a bigger history of early traumatic events compared to their healthy sisters and which dimension of trauma was more frequent. Also, we tried to ascertain if the mother corroborated the happening of those traumatic events, or if they had been hyper valorized as trauma. Methods: the population consisted in 20 families composed by a daughter with FM, a healthy sister and their mother. We used the Early Trauma Inventory to access the history of traumatic events on the lives of both patients and controls. Also, the mother answered the same questionnaire regarding each daughter. The Hospital Anxiety and Depression Scale has been used to measure depression and anxiety levels. Results: Results showed that the FM patients reported a higher number of traumas during childhood, opposing to their healthy sisters. This information has been corroborated by the mother. The most frequent dimension of trauma reported was “General Trauma”. There was a positive statistically significant correlation between different dimensions of trauma on the FM group. Also, a positive correlation has been established between the incidence of traumatic events and high levels of anxiety and depression on the patients. Conclusions: The hypothesis that early traumatic events are associated with the development of FM in the future has been confirmed. In this population it´s clear that more traumas occurred in the FM patients, and less on the healthy sisters. This is fact is recognized by their mothers and is also related to the development of psychiatric disorders such as anxietypt
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccesspt
dc.subjectReumatologiapt
dc.subjectFibromialgiapt
dc.subjectFisiologiapt
dc.subjectPatologiapt
dc.subjectAnsiedadept
dc.subjectDepressãopt
dc.subjectTraumapt
dc.titleThe influence of early stressful life events on fibromyalgia and other psychiatric co-morbidities : a familiar approachpt
dc.typemasterThesispt
dc.peerreviewedyespt
dc.date.embargo2011-03-01*
dc.date.periodoembargo0pt
thesis.degree.grantor00500::Universidade de Coimbrapt
uc.rechabilitacaoestrangeiranopt
item.fulltextCom Texto completo-
item.languageiso639-1pt-
item.grantfulltextopen-
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
Show simple item record

Page view(s)

79
checked on Aug 6, 2020

Download(s)

26
checked on Aug 6, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.