Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/47913
Title: Dador com mais de 65 anos na transplantação renal : condição do dador e função do enxerto
Authors: Mateus, José Eduardo Granada 
Orientador: Bastos, Carlos Alberto
Parada, Belmiro
Keywords: Transplantação do rim; Dadores de tecidos; Urologia
Issue Date: Mar-2010
Abstract: Introdução: O transplante com dadores marginais permitiu diminuir o número de doentes em lista de espera. Esta técnica possibilita uma melhor qualidade de vida, menor morbilidade e mortalidade que a hemodiálise. Dadores marginais definem-se por idade superior a 60 anos ou superior a 50 anos e dois ou mais dos seguintes factores de risco: história de Hipertensão Arterial, Diabetes mellitus tipo 2, Acidente Vascular Cerebral (AVC) como causa de morte ou creatinina sérica superior a 1,5 mg/dl. Objectivos: Avaliar as condições dos dadores marginais com mais de 65 anos de todos os transplantes renais realizados no Serviço de Transplantação dos Hospitais da Universidade de Coimbra (ST-HUC) e analisar a sobrevivência do doente, do enxerto, bem como, a sua função um e três meses após o transplante. Metodologia: Análise retrospectiva dos transplantes renais realizados no ST-HUC, entre Março de 1994 e Fevereiro de 2012, cujo dador tinha idade igual ou superior a 65 anos. Resultados: Foram transplantados 198 doentes, com idade média de 59,4 anos, maioria do sexo masculino (68,7%). A etiologia mais frequente de Doença Renal Crónica foi indeterminada e o tempo médio de diálise de 4,6 anos. A idade média dos dadores foi de 69,6 anos, a maioria do sexo feminino (55,6%). A principal causa de morte dos dadores foi AVC (68,8%). O tempo médio de isquémia foi de 19,0 horas. Do total de transplantados, 85,8% permaneceram vivos. As principais causas de morte foram pneumonia e doença cardiovascular. Verificou-se função inicial em 72,2%, rejeição aguda em 7,6% e perda de enxerto em 24,2%, cuja principal causa foi a morte. Os níveis médios de creatinina eram de 2,3 mg/dl e 1,9 mg/dl, um e três meses após o transplante, respectivamente. Metade dos doentes com tempo de diálise superior a 10 anos teve função tardia do enxerto. Quanto maior o tempo de isquémia, maior a função tardia, menor a sobrevivência do enxerto e maior a mortalidade. Para tempos de isquémia superiores a 30 horas, foram encontrados valores de creatinina significativamente mais elevados ao terceiro mês. Conclusões: Os dadores marginais são uma alternativa aceitável, com boa função do enxerto, permitindo combater a escassez de órgãos disponíveis para transplante. A idade do dador não foi causa de perda do enxerto, diminuição da sobrevivência do mesmo ou do doente. Contudo, verificou-se que tanto o tempo de diálise pré-transplante como o tempo de isquémia a que o enxerto foi sujeito são factores de mau prognóstico.
Introduction: Transplantation from marginal donors has allowed the reduction of waiting lists. Comparing to hemodialysis, it gives patients a better quality of life, less morbility and mortality. A marginal donor is either over 60 years old, or over 50 years old but having two or more of the following risk factors: history of arterial hypertension, type 2 Diabetes mellitus, stroke as death cause or serum creatinine higher than 1,5 mg/dl. Objectives: To typify marginal donors over 65 years old of every renal transplantation performed in Serviço de Transplantação dos Hospitais da Universidade de Coimbra (ST-HUC) and analyze patient’s and graft’s survival as well as the grafting role one and three months after transplantation. Methods: Retrospective analysis of the renal transplantations performed in ST-HUC, between March 1994 and February 2012, whose donor was 65 years old or older. Results: One hundred ninety eight patients were grafted, on average of 59,4 years old, mostly men (68,7%). The most frequent etiology of Chronic Kidney Disease was indefinite and the average dialysis period was 4,6 years. The average donors’ age was 69,6 years old, mostly women (55,6%). The major donor’s death cause was stroke (68,8%). The average period of ischemia was 19,0 hours. Eighty five point eight percent of the people who received transplantation remained alive. The main causes of death were pneumonia and cardiovascular disease. Initial function has been found in 72,2%; acute rejection occurred in 7,6% and grafting loss happened in 24,2%, mainly because of death. The creatinine average levels one and three months after transplantation were 2,3 mg/dl and 1,9 mg/dl, respectively. Half the patients with dialysis period over 10 years had late graft function. The bigger the ischemia period, the later the function, the lower the graft survival and the bigger the mortality. Whenever the ischemia period was over 30 hours, significant higher creatinine values were found three months after transplantation. Conclusion: Marginal donors are an acceptable option, with an adequate grafting function, and they may help in cases of reduced organs’ availability for transplantation. The donors age was not referred as a grafting loss cause, or involved in its survival reduction, or so the patient’s. However, the dialysis period before transplantation and the ischemia period to which the grafting was submitted are bad prognosis factors.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina àrea científica de Urologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/47913
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Jose_Mateus_DADOR COM MAIS DE 65 ANOS NA TRANSPLANTACAO RENAL_FMUC_2013.pdf749.44 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

131
checked on Aug 12, 2020

Download(s) 20

776
checked on Aug 12, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.