Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/45904
Title: Implantação de prótese valvular aórtica por via percutânea
Authors: Oliveira, Ana Filipa Sequeira 
Orientador: Gonçalves, Lino
Teixeira, Rogério
Keywords: Prótese das válvulas cardíacas; Estenose aórtica
Issue Date: Feb-2011
Abstract: Actualmente, a estenose aórtica é a mais frequente valvulopatia na Europa, tem uma longa e latente fase assintomática, mas quando os sintomas finalmente ocorrem, a deterioração clínica pode ser rápida. Pacientes com estenose aórtica severa sintomática têm uma sobrevida média de dois anos e a substituição cirúrgica da válvula aórtica continua a ser o único tratamento efectivo que melhora o prognóstico e a qualidade de vida. Embora os resultados sejam excelentes com a cirurgia convencional, alguns pacientes com sintomas severos, são considerados de elevado risco para este procedimento. Para estes pacientes até aproximadamente oito anos atrás não havia outra opção se não serem muitas vezes deixados com estratégias subóptimas como o tratamento médico ou a valvuloplastia por balão, como medida paliativa ou como ponte para a cirurgia de coração aberto. Os últimos oito anos de experiência com técnicas percutâneas de implantação de prótese valvular aórtica mostram que esta técnica menos invasiva pode tornarse uma promissora opção terapêutica para pacientes com estenose aórtica severa sintomática. Nesta revisão, são apresentados os tipos de válvulas aórticas implantáveis por via percutânea que estão comercializadas, a técnica, vantagens e limitações. Temos por objectivo analisar a literatura desde o desenvolvimento experimental até à aplicação clínica desta nova modalidade de tratamento para pacientes com estenose aórtica severa e alto risco cirúrgico, sendo feita uma revisão dos principais aspectos do procedimento, resultados clínicos e hemodinâmicos a curto e médio prazo. O primeiro caso, num humano, de implantação de prótese valvular aórtica por via percutânea para o tratamento da estenose aórtica sintomática realizou-se em 2002. Seguiram-se uma série de registos que demonstraram que esta nova tecnologia era viável para o tratamento de pacientes inoperáveis ou de alto risco para a cirurgia clássica de substituição de válvula aórtica. Resultados de recentes ensaios multicêntricos usando quer a válvula Edwards SAPIEN quer a CoreValve Revalving System têm mostrado que o procedimento é seguro e eficaz. Na maioria dos ensaios, as duas tecnologias estavam associadas a uma taxa de sucesso >90% e a uma mortalidade aos 30 dias do procedimento <10% apesar dos ensaios envolverem pacientes de risco muito elevado. Também se deve notar que numerosos estudos têm demonstrado que estas próteses valvulares têm boas características hemodinâmicas a curto e médio prazo.
Currently the aortic valve stenosis is the most frequent valvular heart disease in Europe. It has a long and asymptomatic phase, but when the symptoms occur, the clinical deterioration can be rapid. Patients with severe symptomatic aortic stenosis have a survival rate of two years and the surgical replacement of the aortic valve is still the only effective treatment which improves the prognosis and the quality of life. Despite the excellent results of the conventional surgery, some patients with severe symptoms are considered of high-risk for this procedure. Until eight years ago for these patients there was no other option either than going through medical treatment or the balloon aortic valvuloplasty as a palliative strategy or as a bridge to open heart surgery. The last eight years of experiments with percutaneous techniques of implantation of prosthetic cardiac valves show that this less invasive technique can become a promising therapeutical option for patients with severe symptomatic aortic stenosis. This study shows the different types of aortic valves commercialized for percutaneous implantation, the technique, advantages and limitations. Our aim is to analyse the literature from the experimental development to the clinical application of the new treatment modality for patients with severe symptomatic aortic stenosis and high-surgical risk. We also focused the principle aspects of the procedure, the clinical results and hemodynamics in a short and medium term. The first human case of percutaneous implantation of a prosthetic cardiac valve took place in 2002. A series of other registered cases showed that this technology was possible for the treatment of inoperable patients as well as for those who faced a high-surgical risk for the classical aortic valve replacement surgery. The results of some recent multicentric experiments using both the Edwards SAPIEN valve and the CoreValve Revalving System have shown that the procedure is safe and effective. In most experiments both techniques were associated to a success rate of >90% and a mortality by the end of the 30 days of the procedure of <10%, although the experiments involved high risk patients. It must be noted that many studies have shown that these valve prosthesis have good hemodynamics in a short and medium term.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área cientifica de Cardiologia, apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/45904
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Capa Tese Ana Filipa Sequeira.pdf65.31 kBAdobe PDFView/Open
Tese Ana Filipa Sequeira.pdf638.27 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

152
checked on Nov 20, 2019

Download(s) 20

979
checked on Nov 20, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.