Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/34236
Title: A dicotomia microbiota : agente etiológico e terapêutico na doença inflamatória intestinal
Authors: Silva, Joana Cristina Marialva 
Orientador: Pinto, Anabela Mota
Gradiz, Rui Vasco Quintais
Keywords: Doenças inflamatórias dos intestinos; Etiologia; Fisiopatologia; Terapia; Microbiota; Probióticos; Prebióticos
Issue Date: Mar-2016
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A etiologia das doenças inflamatórias intestinais, nomeadamente da doença de Crohn e da colite ulcerosa, é ainda desconhecida. No entanto, a microflora intestinal vem assumindo um papel determinante no início e manutenção da resposta inflamatória na mucosa intestinal. Efetivamente, nos últimos anos encontramos na literatura um reforço da hipótese de que a doença inflamatória intestinal resulta de interações desreguladas entre a microbiota e o sistema imune da mucosa, levantando-se a possibilidade de que de alguma forma a modulação da microbiota intestinal possa constituir um potencial alvo terapêutico para a doença. Há evidência científica que implica que elementos específicos da microbiota saudável podem apresentar capacidades anti-patogénicas, conferindo maior resistência à colonização bacteriana patogénica do intestino. Tais resultados levaram à introdução de novos meios de intervenção terapêutica e profilática no contexto das doenças inflamatórias intestinais, baseados no consumo de culturas únicas ou mistas de microrganismos (probióticos), e/ou ingredientes nutricionais não digeríveis (prébioticos), com benefício para o equilíbrio intestinal, e contribuindo para o reforço imunológico. Assim, o objetivo deste artigo de revisão foi o de sistematizar, através de uma revisão bibliográfica, os dados científicos publicados nos últimos dez anos, ao abrigo da temática do papel da flora intestinal na doença inflamatória intestinal. Pretendemos abordar não só a sua vertente etiológica, com referências ao desequilíbrio imune e ao estabelecimento de processos fisiopatológicos e inflamatórios, mas também a perspetiva terapêutica, que tem por base o restabelecimento da normal flora intestinal como chave da resolução dos fenómenos inflamatórios adjacentes. Encontrámos evidências de que a utilização de probióticos e/ou prebióticos confere benefícios na manutenção do estado de remissão das doenças inflamatórias intestinais, com particular relevância na colite ulcerosa. No entanto, a falta de sistematização dos estudos efetuados, de desenhos de investigação adequados, bem como amostras populacionais pouco representativas, enviesam a aceitação e aplicação rotineira desta terapêutica. Assistimos a uma tendência da sua incorporação nas linhas de orientação das organizações médicas europeias, mas com cautela, e estipulando critérios para a sua utilização. Para que a terapêutica com probióticos seja definitivamente aceite, são necessários ensaios mais sólidos, que selecionem e estudem separadamente os agentes probióticos, e não em combinação.
The etiology of inflammatory bowel diseases, including Crohn's disease and ulcerative colitis, is still unknown. However, the gut microbiota has assumed a critical role initiating and maintaining the inflammatory response in intestinal mucosa. Indeed, in recent years we find in the literature a strengthening hypothesis that inflammatory bowel disease results from dysregulated interactions between microbiota and the immune mucosal system, raising possibility that somehow the modulation of intestinal microbiota could be a potential therapeutic target for the disease. There is scientific evidence implicating that specific types of healthy microbiota may have anti- pathogenic abilities, providing greater resistance to pathogenic bacterial colonization of the intestine. These results led to the introduction of new ways of therapeutic and prophylactic intervention in the context of IBD based on the use of single or mixed cultures of microorganisms (probiotics) and/or nondigestible nutritional ingredients (prebiotics), contributing to gut and immune system health. The aim of this review article was to systematize through a literature review, scientific data published in the last ten years, about the role of the gut in inflammatory bowel disease. We intend to address not only their etiological component, with references to immune imbalance and establishing pathophysiological and inflammatory processes, but also a therapeutic perspective, based on the restoration of normal intestinal flora as the key to solving the adjacent inflammatory phenomena. We found evidence that the use of probiotics and/or prebiotics confers benefits in maintaining the state of remission in inflammatory bowel disease, with particular relevance in ulcerative colitis. However, the lack of systematization of the studies, appropriate research designs as well as some non-representative population samples, skew acceptance and routine application of this therapy. We witness a trend of its incorporation into European medical organizations guidelines, but not without caution, stipulating criteria for their use. For therapy with probiotics to be finally accepted, it takes more robust testing, that select and separate probiotic agents in each study, instead of a single study using several probiotics.
Description: Trabalho final do mestrado em medicina do desporto com vista à atribuição do Grau de Mestre (área científica de fisiopatologia), apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/34236
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese MIM_Joana Marialva_FINAL.pdf589.13 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

398
checked on Nov 13, 2019

Download(s) 50

445
checked on Nov 13, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.