Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/33564
Title: O papel da vergonha, do autocriticismo e da autocompaixão na relação entre ansiedade social e perfecionismo em estudantes do ensino superior
Authors: Oliveira, Marina Faria de 
Orientador: Salvador, Maria do Céu
Keywords: Ansiedade social; Perfecionismo; Vergonha; Autocriticismo; Autocompaixão
Issue Date: 2016
Serial title, monograph or event: O papel da vergonha, do autocriticismo e da autocompaixão na relação entre ansiedade social e perfecionismo em estudantes do ensino superior
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O medo de ser avaliado negativamente pelos outros é o aspeto central da ansiedade social, podendo a vergonha ter um papel no seu desenvolvimento. Os indivíduos com elevada ansiedade social tendem a apresentar padrões irrealistas e perfecionistas para o seu desempenho social, tendendo a adotar uma autoapresentação perfecionista. Porém, o perfecionismo pode também representar uma estratégia para evitar o criticismo e a desaprovação na relação consigo e com os outros. Neste seguimento, o desenvolvimento da autocompaixão nos indivíduos com ansiedade social pode fazer a diferença, ajudando-os a aceitar padrões de desempenho menos perfeitos e a desenvolver uma relação compassiva consigo próprios. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi explorar o papel mediador da vergonha, do autocriticismo e da autocompaixão na relação entre ansiedade social e perfecionismo. A amostra foi constituída por estudantes universitários (n = 310), com idades entre os 18 e 30 anos (M = 20.93; DP = 2.32). Os resultados indicaram que as críticas parentais podem ter um papel no desenvolvimento da ansiedade social, sendo esta relação totalmente mediada pela vergonha e parcialmente mediada pelo perfecionismo socialmente prescrito. Por sua vez, o papel do perfecionismo socialmente prescrito na predição da ansiedade social é totalmente mediado pela preocupação com os erros e dúvidas sobre as ações. Verificámos que a ansiedade social foi um preditor do desenvolvimento da autoapresentação perfecionista, tanto direto como indireto através do autocriticismo e da autocompaixão. Em conclusão, a ansiedade social pode ter (em parte) origem nas críticas parentais, através da vergonha, da preocupação com os erros, dúvidas sobre as ações e perceção que os outros esperam que seja perfeito. Para além disso, indivíduos com ansiedade social podem preocupar-se em ocultar e não revelar imperfeições, não só para que os outros não os critiquem, mas também para evitar a sua própria crítica.
Fear of being negatively evaluated by others is the main feature of social anxiety, and shame may have a role in its development. Individuals with high social anxiety tend to have unrealistic and perfectionistic standards for their social performance, and they tend to adopt a perfectionistic self-presentation. However, perfectionism can also represent a strategy to avoid criticism and disapproval in the relationship with themselves and with the others. In line with this, the development of self-compassion in social anxious individuals could make a difference, helping them to accept less than perfect social performances and to develop a kind and compassionate relationship with themselves. Therefore, the aim of the current study was to explore the mediator role of shame, self-criticism and self-compassion in the relationship between social anxiety and perfectionism. The sample was composed by college students (n = 310), aged between 18 and 30 years old (M = 20.93; DP = 2.32). The results indicate that parental criticism may have a role in the development of social anxiety, being this relationship totally mediated by shame and partially mediated by socially prescribed perfectionism. In turn, the socially prescribed perfectionism role in predicting social anxiety is fully mediated by concern over mistakes and doubts about actions. Social anxiety can also promote the development of perfectionistic self-presentation through self-criticism and lack of self-compassion. In conclusion, social anxiety can be (partly) originated in parental criticism, through shame, concern over mistakes, doubts over actions and perception that others expect the person to be perfect. Additionally, individuals with social anxiety may try to hide and not reveal imperfections, not only to avoid criticism by others, but also to avoid their own criticism.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e Saúde (Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas e da Saúde), apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/33564
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE MIP - Marina Oliveira - 2016.pdf859.27 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

281
checked on Dec 11, 2019

Download(s) 50

201
checked on Dec 11, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.