Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/30533
Title: Avaliação funcional dos resultados do tratamento conservador das fracturas diafisárias da clavícula no adolescente
Authors: Silva, Sara Melissa Machado da 
Orientador: Casanova, José
Alves, Cristina
Keywords: Adolescente; Fracturas da clavícula; Diáfise; Avaliação funcional
Issue Date: 2015
Abstract: Introdução: O tratamento da fractura diafisária da clavícula no adolescente é tradicionalmente conservador. Alguns autores têm defendido o tratamento cirúrgico, alegando menores taxas de consolidação viciosa, mas não está provado que o tratamento cirúrgico permita obter melhores resultados em adolescentes. O objectivo deste estudo foi determinar os resultados funcionais do tratamento conservador das fracturas diafisárias da clavícula em adolescentes. Material e métodos: Realizou-se um estudo coorte retrospectivo, que incluiu adolescentes, com idades entre os 10 e os 17 anos, diagnosticados com fractura diafisária da clavícula e tratados de forma conservadora, no Serviço de Ortopedia Pediátrica do Hospital Pediátrico – CHUC, EPE, no período de 1 de Julho de 2008 a 30 de Junho de 2014. Excluíram-se os doentes que não tinham radiografia inicial disponível no Programa de Imagem do Hospital ou que sofreram fractura do membro superior ipsilateral. A partir dos processos clínicos, obtiveram-se dados demográficos e informações relativas ao exame clínico e radiológico. As radiografias foram analisadas para determinar o alinhamento/desvio dos topos ósseos, angulação, encurtamento e resultado final em termos de consolidação óssea. Aplicou-se telefonicamente o questionário QuickDASH, para avaliação funcional dos doentes. Determinou-se, ainda, a satisfação global dos doentes com o resultado final. Resultados: Incluíram-se neste estudo 91 doentes. A idade foi de 13,7 ± 2,0 anos e 41 doentes eram do sexo masculino. As fracturas tipo 2A2 de Robinson foram as mais frequentes (38,8%) seguidas das fracturas tipo 2B1 (33,0%). O tipo de fractura, com ou sem desvio, não foi influenciado pelo género (p=0,485) ou faixa etária (p=0,089). Após tratamento conservador, 2 dos 91 doentes apresentaram pseudartrose da clavícula. A avaliação funcional pelo QuickDASH foi realizada em 49 doentes, com quem foi possível estabelecer contacto telefónico. A pontuação no QuickDASH foi de 1,7 ± 3,3, não se verificando diferenças AVALIAÇÃO FUNCIONAL DOS RESULTADOS DO TRATAMENTO CONSERVADOR DAS FRACTURAS DIAFISÁRIAS DA CLAVÍCULA NO ADOLESCENTE 2 consoante o sexo do doente (p=0,562) ou o tipo de fractura (p=0,096). Destes 49 doentes, 28 afirmaram estar muito satisfeitos e 21 satisfeitos com o resultado final. A pontuação no QuickDASH foi um bom preditor da satisfação dos adolescentes (p=0,014). Conclusão: O tratamento conservador das fracturas da clavícula em adolescentes permite a obtenção de excelentes resultados funcionais, com elevados níveis de satisfação, independentemente do grau de desvio da fractura
Background: The treatment for midshaft clavicle fractures in adolescents is traditionally conservative. Some authors have defended surgical treatment, claiming lower rates of malunion, but it is not proven that surgical treatment yields better functional results in teenagers. The purpose of this study was to determine the functional outcome of the conservative treatment of mid-shaft clavicle fractures in adolescents. Methods: A retrospective cohort study was performed, including adolescents (10 to 17 years of age), diagnosed with a midshaft clavicle fracture and conservatively treated, at the Pediatric Orthopaedics Division of Hospital Pediátrico – CHUC, EPE, between July 1st 2008 and June 30st 2012. Patients who did not have the initial radiography available in the Hospital Imaging Program or who had an ipsilateral fracture of the upper limb were excluded from this study. Demographic data and information regarding clinical and radiographic examination were collected from the medical records. The x-rays were reviewed to determine fracture alignment/displacement, angulation and union. Functional outcome assessment was performed using the QuickDASH questionnaire, applied over telephone. We also determined patient global satisfaction with the final result. Results: 91 patients were included in this study. Age was 13,7 ± 2,0 years and 41 patients were male. Type 2A2 fractures were the most frequent (38,4%) followed by type 2B1 fractures (33,0%). The type of fracture, displaced or non-displaced, was not influenced by gender (p=0,485) or age group (p=0,089). After non-operative treatment, 2 of the 91 patients had a non-union. Functional evaluation was performed in the 49 adolescents who were successfully contacted. The QuickDASH score was 1,7 ± 3,3, with no differences regarding gender (p=0,562) or fracture type (p=0,096). Of these 49 patients, 28 were very satisfied and 21 satisfied with the final outcome. The QuickDASH score was a good predictor of the adolescents satisfaction (p=0,014). AVALIAÇÃO FUNCIONAL DOS RESULTADOS DO TRATAMENTO CONSERVADOR DAS FRACTURAS DIAFISÁRIAS DA CLAVÍCULA NO ADOLESCENTE 4 Conclusion: Conservative treatment of clavicle fractures in adolescents allows excellent functional results with high satisfaction levels, regardless of the degree of fracture displacement
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/30533
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Sara Melissa.pdf1.39 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

281
checked on Feb 20, 2024

Download(s) 50

274
checked on Feb 20, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.