Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29965
Title: Desenvolvimento de um Nanofluido Biodegradável para Libertação de Fármaco no Cérebro
Authors: Santos, Paulo Henrique da Costa 
Orientador: Costa, Maria Benilde Faria de Oliveira e
Durães, Luísa Maria Rocha
Ribeiro, Olga Maria Fernandes Borges
Keywords: Engenharia biomédica; Ciências da Saúde; Materiais biocompatíveis; Libertação controlada de fármacos; Biomedicina
Issue Date: Sep-2015
Citation: Santos, Paulo Henrique da Costa / Desenvolvimento de um Nanofluido Biodegradável para Libertação de Fármaco no Cérebro
Abstract: Os sistemas de libertação localizada de fármaco são uma necessidade atual. A condução de nanopartículas de óxido de ferro até ao seu alvo através de um campo magnético aplicado é o princípio do desenvolvimento de nanopartículas superparamagnéticas de óxido de ferro (SPIONs) como novos veículos de libertação de fármaco. O principal objetivo deste trabalho foi desenvolver um nanofluido magnético biodegradável para libertação de fármacos no cérebro. Um sistema de libertação de fármaco alia a versatilidade associada ao superparamagnetismo das nanopartículas de óxido de ferro, com a sua capacidade de aumentar a adsorção de proteínas terapêuticas. O método de síntese – decomposição térmica, que cria estes SPIONs foi estudado e, diferentes procedimentos a partir deste método foram testados, de modo a melhorar o produto da reação e a aumentar a eficácia do sistema de libertação localizada de fármaco. Estes novos procedimentos avaliaram o efeito: da alteração do rácio inicial de oleilamina/éter benzílico (A, B e C), do tempo de crescimento dos nanocristais (A*, B* e C*), da adição de sementes no processo de síntese (A+A, B+B e C+C) e da quantidade de precursor (A(2x) e C(2x)) usado; nas características das nanopartículas obtidas. A estabilidade das suspensões de SPIONs e a sua capacidade de adsorver proteínas (BSA e α-caseína) foi também testado, assim como a citoxicidade dos SPIONs produzidos. O procedimento C(2x) revelou-se o mais promissor na síntese de SPIONs de altaqualidade e de tamanho controlado. Como era desejado, os testes de DLS, XRD e TEM exibiram um aumento nos tamanhos das partículas (~10 nm) para amostras obtidas por este procedimento. Apesar das análises recorrendo a espectroscopia de Mössbauer e XRD indicarem uma mistura de magnetite e maghemite, o conteúdo de magnetite foi também aumentado. Os resultados obtidos por VSM mostraram uma saturação de magnetização melhorada (68 emu/g a 300 K e 78 emu/g a 2 K) com os SPIONs obtidos pelo procedimento C(2x). Os testes de adsorção proteica nos SPIONs provaram que esta pode ser aprimorada, quando a relação de dependência entre a solução dispersiva e a proteína a ser adsorvida foi considerada. Os resultados obtidos na caracterização das várias amostras, parecem promissores na obtenção de um nanofluido magnético biodegradável de óxido de ferro para libertação de fármaco no cérebro. Contudo, estudos adicionais são ainda necessários de modo a melhorar o sistema de libertação de fármaco e avaliar a cinética de libertação do mesmo. Palavras-chave: SPIONs; libertação de fármaco; superparamagnetismo; adsorção proteica; nanofluido magnético biodegradável, TEM, XRD, espectroscopia de Mössbauer.
URI: http://hdl.handle.net/10316/29965
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Física - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
DM_Paulo_Santos_2015.pdf7.98 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

297
checked on Oct 8, 2019

Download(s) 50

196
checked on Oct 8, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.