Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29928
Title: Residensity : leituras sobre o habitar de Macau
Authors: Ullmann, Marianne 
Orientador: Figueira, Jorge
Keywords: Habitação, Macau, estudo; Desenvolvimento Urbano, Macau; Macau, séc. 20-21
Issue Date: 17-Nov-2015
Abstract: A presente dissertação irá abordar o tema do habitar de Macau tendo em conta, a par do aspecto arquitectónico, factores externos igualmente determinantes no processo de concepção de habitação. O estudo foca-se em dois diferentes momentos na história da cidade: o que abrange os anos entre 1960 e 1990 e o que vem desde 1999 até à actualidade. Analisando o tema no seu enquadramento em ambos os períodos, pretende-se perceber o modo como a ponderação da habitação na cidade de Macau foi alterada, tendo em conta as bruscas mudanças que têm acontecido a nível político, económico e social. Macau faz parte da dominante realidade contemporânea de cidades que crescem de modo contínuo e cada vez menos desenhado. Institui-se, nos dias de hoje, uma conjuntura em que é o pensamento económico, os processos de logística, a política e a especulação que constroem a cidade actual. Desde a sua fundação até à aos dias de hoje, Macau tem-se caracterizado por constantes transformações a nível físico e social. No entanto, a maior viragem ideológica da cidade deu-se com a liberalização da indústria do jogo. O turismo dos casinos tem assumido, desde 2002, um papel preponderante como impulsionador de um estado de mutação imparável, estimulando, por um lado, um estado de prosperidade económica e levantando, por outro, diversas problemáticas que envolvem, entre outras, a sobrelotação populacional e lacunas na habitação. Numa sociedade governada pelo enaltecimento de actividades de capitalismo puro, não se pode deixar de questionar até que ponto age (ou não) a sua política para os habitantes da cidade. Assim, o estudo do espaço que pertence ao indivíduo por direito – a habitação – torna-se o meio mais franco e indispensável para perceber o diálogo que se estabelece entre arquitectura e poder. O arquitecto, que se vê hoje muito mais limitado no exercício da sua profissão, cingindo-se a uma imensidão de regras e falta de liberdade de expressão, não deixa, no entanto, de ter um importante papel como mediador entre a população e o estado. Através do desenho de habitação, pode fazer-se valer, apesar de diluída na cidade, a vontade de um tipo de intervenção por parte dos arquitectos que vai para além dos interesses económicos e tem uma significância social e colectiva.
The following dissertation will approach the matter of inhabitability in the city of Macau. It will take into account, besides its architecture, external factors that are of extreme importance in the housing design process. The investigation will thus focus on two different determinant moments in the city’s history: the first between 1960 and 1990 and the second one featuring the episode that started in 1999 and has extended to the present day. Taking into account both time frames, the aim of the present work is to understand how the deliberation of housing in the city of Macau has been continuously affected by the abrupt political, economical and social changes. Macau belongs to a reality of contemporary cities that are fiercely developing without any design or planning. Economical thinking, logistic processes, politics and speculation are the most relevant factors that drive the city of today. Since its establishment, Macau has been subjected to endless physical and social transformations. However, the biggest ideological turn happened with the casino liberalization episode. Since 2002, gaming industry has been playing a major role boosting the unstoppable condition of mutation faced by the city of Macau. On the one hand, it has stimulated a welcoming state of economical success and development but, on the other hand, it has raised several issues such as overpopulation and derived housing needs. In a society driven exclusively by capitalist-oriented activities, it is impossible not to question whether its politics bears in mind any actions concerning the inhabitants’ needs and wishes. The best way to figure this out is to study the space that belongs to the people by right, their homes. Housing is thus the most truthful and substantial subject to understand the dialectics between architecture and power. The architect, in spite of seeing his profession much more limited today by strangling rules and crescent lack of self-expression, comes out as a major character as a mediator between the people and the administrative state. Through housing thinking and design, the architect may have his position valued. Notwithstanding the random distribution throughout the city, the architects’ actions through housing are able of standing up for a humanist point of view and a type of intervention that, by affirming public concern, surpasses all the economical interests.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitectura, apresentada ao Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/29928
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
residensity - Marianne Ullmann.pdf114.87 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

566
checked on Jul 7, 2020

Download(s)

104
checked on Jul 7, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.