Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29749
Title: Sobre dignidade e morte: a experiência de profissionais em cuidados paliativos na realidade de um serviço de oncologia pediátrica do Brasil
Authors: Lopes, Fernanda Gomes 
Orientador: Dourado, Marília
Barbosa, António
Keywords: Direito de morrer; Cuidados paliativos; Pediatria
Issue Date: 2015
Abstract: O câncer é considerado um problema de saúde pública, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, e encontra-se entre as dez maiores causas de morte do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde. Trata-se de uma doença crônica e estigmatizada como fatal, envolta por sentimentos adversos, como medo e angústia, tanto nos pacientes quanto em seus familiares. Quando ocorre em crianças, os sentimentos intensificam-se, possivelmente por, culturalmente, essa idade não ser associada a aspectos negativos e a morte. Esse momento torna-se mais delicado quando se constata o prognóstico desfavorável e o paciente é inserido na equipe de cuidados paliativos. Todo esse processo de cuidados pressupõe o acompanhamento de uma equipe multiprofissional, preparada técnica e emocionalmente, para lidar com todas as nuances envolvidas na doença, inclusive com a morte, que se faz presente cotidianamente. O presente trabalho visa compreender a experiência da promoção da dignidade no morrer vivenciada pelos profissionais de uma equipe de cuidados paliativos em oncologia pediátrica. Para o alcance desse objetivo geral, busca-se especificamente identificar o que entendem os profissionais de saúde sobre os cuidados paliativos e sua prática, compreender como os profissionais lidam com o processo de morrere reconhecer os recursos e estratégias utilizados pelos profissionais de saúde para trabalhar com crianças em cuidados paliativos.Baseia-se em uma pesquisa de campo, realizada a partir de entrevistas semi-estruturadas, com nove profissionais da equipe de cuidados paliativos, de um hospital de referência em oncologia pediátrica do estado do Ceará/Brasil. Com caráter descritivo e abordagem qualitativa, utiliza para análise dos dados, a hermenêutica crítica de Gadamer. Nos resultados da pesquisa, constata-se que a maioria dos profissionais entrevistados, compreendem o conceito de cuidados paliativos e seus princípios, e estabelecem, em sua prática, condutas condizentes com os objetivos da área, priorizando a qualidade de vida e proporcionando maior dignidade no processo de morrer dos pacientes. Além disso, demonstram encontrar bons recursos de enfrentamento que lhes servem como suporte para o trabalho cotidiano com a morte. Contudo, apresentam dificuldade em lidar com a temática, referenciando sentimentos negativos e evitando o contato com o assunto, fatores que podem trazer implicações à sua prática cotidiana.Acredita-se que essas dificuldades sejam evidenciadas, não somente por se tratar de um assunto estigmatizado cultural e socialmente, mas também devido à falta de formação teórica e emocionalpara o trabalho com essas questões. Torna-se evidente, portanto, a necessidade de criação de espaços formativos em prol da capacitação teórica dos profissionais para temáticas que envolvem a morte, bem como, a criação de momentos para a elaboração das demandas emocionais suscitadas. Com intuito de contribuir, de maneira efetiva, na melhoria do serviço prestado, essa pesquisa propõe a criação desses dois espaços, para que os profissionais possam exprimir seus sentimentos, compartilhar percepções, emoções e pensamentos, visando a minimização das dores e dúvidas diante das perdas sentidas constantemente. Essa proposta deve fortalecer a coesão da equipe, tornando-a mais preparada, tanto teórico quanto emocionalmente, para trabalhar com a morte em seu cotidiano de trabalho.
Cancer is considered a public health problem, according to the National Cancer Institute, and it is among the ten main causes of death in the world, according to the World Health Organization. It is a chronic and stigmatized disease as well as fatal, surrounded by adverse feelings as fear and anguish, both in patients and in their families. When it occurs in children, feelings are more intense, possibly because, in a cultural perspective, this age is not associated with negative aspects and death. This moment becomes even more delicate when an unfavorable prognosis is concluded and the patient hasto enter the palliative care team. This whole process of care requires the monitoring of a multidisciplinary team, technically and emotionally prepared to deal with all the nuances involved in the disease, including death, which is currently present. This study aims to understand the experience of promoting dignity in death, experienced by a professional team of palliative care in pediatric oncology. To achieve this overall objective, we aim to specifically identify what health professionals comprehend about palliative care and its practice, to understand how professionals deal with the dying process and to recognize the resources and strategies used by these professionals to work with children in palliative care. This study is based on a field of research, conducted from semi-structured interviews, which were held bynine professionals of a palliative care team of a reference hospital in pediatric oncology in Ceará/Brazil. It has a descriptive content and qualitative approach, and ituses as data analysis the critical hermeneutics of Gadamer. In the results of this research it appears that most of the professionals interviewed understands the concept of palliative care and its principles, and establish, in their practice, they conduct in line with the objectives of the area, giving priority to quality of life and providing a greater dignity in the process of dying of the patients. They also show to find good facing resources, which serve them as a support for the daily work with the death. However, they have difficulty to deal with thisissue, referencing negative feelings and avoiding contact with the subject, factors that can have implications in their daily practice. It is believed that these difficulties are evidenced not only because it is a stigmatized matter in a cultural and social perspective, but also due to the lack of theoretical and emotional training to work with these issues. It is thereforeclear that there is the need to create training spaces in order to promote the theoretical training of professionals in themes that involves issues as death, as well as the creation of spaces that allowsprofessionals to elaborate their emotional demands. To effectivelycontribute with the improvement of the providedservice, this research proposes the creation of these two spaces so that professionals can express their feelings, share perceptions, emotions and thoughts, in order to decrease pain and doubts in the face of losses they constantlyfeel. This proposal should strengthen the team cohesion, turningit more prepared, both theoretical and emotionally in order to work with death in their daily work.
Description: Dissertação de mestrado em Cuidados Continuados e Paliativos, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/29749
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Exemplar tese CD.pdf1.77 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

673
checked on Jul 2, 2020

Download(s) 20

595
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.