Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29691
Title: O primado da experiência : histórias de consumo e perspetivas sobre os medicamentos pelos estudantes universitários
Authors: Cunha, Liliana Filipa Mendes 
Orientador: Nunes, João Arriscado
Keywords: Saúde; Publicidade; Consumo; Doença; Bem-estar; Estudante universitário; MNSRM; Indústria farmacêutica
Issue Date: 15-Sep-2015
Publisher: FEUC
Citation: Cunha, Liliana Filipa Mendes - O primado da experiência : histórias de consumo e perspetivas sobre os medicamentos pelos estudantes universitários, Coimbra, 2015.
Abstract: Quando foi a última vez que consumiu um medicamento? Hoje? Ontem? No último mês? Mas, mais importante: recorda-se do porquê? Problemas como o stress, os distúrbios alimentares e a depressão fazem parte de um novo paradigma que transforma o nosso olhar sobre o que representa a saúde e a doença. A medicalização da sociedade é a expressão da discussão sociológica da afirmação do sujeito enquanto indivíduo mobilizador de recursos e de informação sobre a sua própria saúde. Ao longo do presente estudo, propomo-nos a refletir sobre a sociedade medicalizada em que vivemos, através de uma abordagem crítica que evidenciará as razões desencadeadoras por detrás do consumo de Medicamentos sem Receita Médica. Para este efeito, circunscrevemos a nossa investigação ao grupo-alvo que consideramos mais relevante por meio das suas particularidades: os estudantes universitários. A presente investigação demonstra como a presente geração de jovens - entre os 18 e 30 anos de idade -rapidamente se converteu numa das maiores consumidoras de fármacos desde que há registo, essencialmente devido a três principais fatores: a influência determinante dos pares, as necessidades de medicamentos no contexto de pressão e a habituação dos medicamentos. E tudo apesar da existência de uma reação adversa ao lobby de influências de consumo, o que indica a presença de uma disposição de resistir ao absolutismo da farmaceuticalização. Ainda assim, poucos são os que acabam por recusar os tratamentos com fármacos, assistindo-se a um incremento do “pluralismo terapêutico”, o uso alternado de fármacos e produtos naturais como forma de tratamento e prevenção de doenças.O estudo constitui-se com base numa metodologia qualitativa, recorrendo às técnicas de observação participante e focus group, para acolher as visões a partir das experiências e contacto que os estudantes tiveram com medicação nos tempos universitários. A partir do material empírico, emergem considerações sobre saúde e doença associadas aos medicamentos e ao seu uso, sobre a reflexividade na opção pela toma e atribuição de sentido a fármacos e produtos naturais, e ainda sobre os processos igualmente influenciáveis de prescrição médica e aconselhamento farmacêutico.
Description: Dissertação de mestrado em Sociologia, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de João Arriscado Nunes.
URI: http://hdl.handle.net/10316/29691
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Liliana Cunha.pdf29.21 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

410
checked on Sep 16, 2020

Download(s) 50

358
checked on Sep 16, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.