Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28850
Title: O melhor lugar é a memória. Um estudo sobre o papel da coleção nos museus de arte contemporânea: Museu de Arte Contemporânea de Serralves e Museu de Arte Moderna de São Paulo
Authors: Dias, Aline Maria 
Orientador: Grande, Nuno
Keywords: Arte contemporânea; Museus
Issue Date: 24-Sep-2015
Citation: DIAS, Aline Maria - O melhor lugar é a memória : um estudo sobre o papel da coleção nos museus de arte contemporânea : Museu de Arte Contemporânea de Serralves e Museu de Arte Moderna de São Paulo. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/28850
Abstract: Esta dissertação analisa o papel da coleção no museu de arte contemporânea, refletindo sobre a coleção como lugar e discurso; as transformações no campo museológico e artístico contemporâneo; a exposição como dispositivo do museu e, simultaneamente, parte constituinte da obra de arte. Através de dois casos de estudo, o Museu de Arte Moderna de São Paulo e o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, as coleções são situadas no contexto histórico, arquitetônico e programa expositivo de cada museu. Atentando para a dimensão interrogativa que as obras de arte introduzem nos modos correntes de conceber e praticar a coleção, são abordados especificamente os trabalhos “O trabalho dos dias”, de Rivane Neuenschwander, “Bala”, “Quadris” (da série Homem=Carne/Mulher=carne) e “Palhaço com buzina reta - monte de irônicos”, de Laura Lima, “Expediente”, de Paulo Bruscky, “Máquina Curatorial”, de Nicolás Guagnini e “Café Educativo”, de Jorge Menna Barreto, provenientes do acervo do MAM-SP e “Outro fumador”, de André Guedes, “This is new”, de Tino Sehgal, “Boots”, de Tacita Dean e “Transporte aos quadradinhos”, de Armanda Duarte, do Museu de Serralves. Incidindo em materiais, práticas e conceitos dissonantes instaurados pelas obras, a pesquisa investiga a reconfiguração da relação entre obra, coleção e exposição, notadamente através da adesão à materialidade efêmera, dimensão performativa, especificidade do lugar/contexto e intervenção nas dinâmicas institucionais. A leitura desenvolvida aponta a contribuição destes trabalhos para desestabilizar a dimensão objetal, fisicamente delimitada e normativa do discurso do museu. Inserindo uma dimensão temporal à coleção, toma-se a memória como um trabalho crítico, a partir do pensamento de Georges Didi-Huberman, no que comporta de compromisso, negociação e transformação. Para além da afirmação de projetos políticos e da popularização midiática que o museu contemporâneo protagoniza, a dissertação reivindica a vocação crítica da produção artística interveniente na função conservadora e instituidora do museu, através da relação da coleção com a exposição (enquanto lugar de produção), com o arquivo e a memória, tendo o trabalho “Inserções em Circuitos Ideológicos – Projeto coca-cola”, de Cildo Meireles, artista representado em ambas as coleções estudadas, como ponto nodal desta reflexão. Finalmente, considerando que a pesquisa é ancorada na prática artística da autora, gênese das inquietações que impulsionam a investigação, integra a dissertação a série fotográfica “Lição de casa: museus”, antecedendo cada um dos capítulos e um conjunto de imagens e relatos artísticos relacionados ao tema investigado, apresentados como anexo, uma vez que não constituem o objeto de análise, embora dele participem.
Description: Tese de doutoramento em Arte Contemporânea, apresentada ao Colégio das Artes da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/28850
Rights: openAccess
Appears in Collections:Colégio das Artes - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Estudo sobre o papel da coleção nos museus de arte contemporânea.pdf171.93 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,315
checked on Dec 4, 2019

Download(s) 20

832
checked on Dec 4, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.