Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28357
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlberto, Isabel Maria Marques-
dc.contributor.authorFernandes, Daniela Antónia Rosária-
dc.date.accessioned2015-02-26T11:28:30Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/28357-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde (Psicologia Forense), apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbrapor
dc.description.abstractA impulsividade faz parte do comportamento humano e tem gerado investigações em todo o mundo desde há muito tempo. Em Portugal, a investigação nesta área é recente e, especificamente ao nível da avaliação psicológica é bastante escassa. O presente estudo pretende colmatar a lacuna existente quanto a instrumentos de medição desse construto, com o objetivo de validar um instrumento de avaliação da impulsividade para a população portuguesa (Escala de Impulsividade de Barratt- 11º versão – BIS-11). Recorrendo a uma amostra da população geral (N = 371) cujos participantes têm idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, procurou-se apurar as qualidades psicométricas da BIS-11 a nível da precisão e de validade da escala, assim como estabelecer as medidas de tendência central e de dispersão. Analisou-se igualmente a influência de algumas variáveis sociodemográficas (sexo, idade e escolaridade) na impulsividade. Os resultados obtidos nos estudos de precisão indicam qualidades psicométricas razoáveis ao nível da consistência interna, porém a estabilidade temporal não foi garantida. A estrutura multidimensional subjacente à BIS-11 permitiu a identificação de três fatores, tal como é corroborado na bibliografia: Atenção, Planeamento, Ponderação e Perseverança.por
dc.description.abstractImpulsiveness is part of human behavior and has generated research worldwide for a long time. In Portugal, research in this area is new, and specifically psychological assessment is rather scarce. The present study aims to fill the gap regarding instruments measuring this construct, with the purpose of validating an assessment tool of the impulsivity of the Portuguese population (Barratt Impulsiveness Scale - version 11 - BIS-11). Using a general population sample (N = 371) whose participants are aged between 18 and 65, we sought to determine the psychometric properties of the BIS-11, accuracy and validity of the scale, as well as establish measures of central tendency and dispersion. It was also examined the influence of sociodemographic variables (sex, age and education) in impulsivity. The results obtained in precision studies show reasonable psychometric properties in terms of internal consistency, but the temporal stability was not assured. The underlying BIS-11 multidimensional structure allowed the identification of three factors, as is borne out in the literature: Attention, Planning, Weighting and Perseverance.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectImpulsividadepor
dc.titleEstudos de validação da escala de impulsividade BIS-11 de Barratt para uma amostra da população portuguesapor
dc.typemasterThesispor
degois.publication.locationCoimbrapor
degois.publication.titleEstudos de validação da escala de impulsividade BIS-11 de Barratt para uma amostra da população portuguesapor
dc.peerreviewedYespor
dc.identifier.tid201443120-
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
crisitem.advisor.deptFaculty of Psychology and Educational Sciences-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-0372-8449-
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE - Daniela Fernandes.pdf890.98 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 1

4,120
checked on Oct 5, 2022

Download(s) 20

1,358
checked on Oct 5, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.