Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28354
Title: A escrita dobra a imagem. Daniel Blaufuks e a construção da pós-memória
Authors: Quintais, Ana Margarida dos Santos Pires 
Orientador: Ribeiro, António
Portela, Manuel
Georges Perec
Keywords: Daniel Blaufuks; W.G. Sebald; escrita; fotografia; memória
Issue Date: 28-Aug-2015
Citation: QUINTAIS, Ana Margarida dos Santos Pires - A escrita dobra a imagem : Daniel Blaufuks e a construção da pós-memória. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/28354
Abstract: A investigação realizada teve como objecto alguma da produção artística do português Daniel Blaufuks à luz do conceito postulado por Marianne Hirsch de “pós-memória”. Na formulação do termo, Hirsch propõe determinadas directrizes de orientação que estabelecem e definem um quadro teórico que pode ser utilizado como ferramenta analítica perante certas expressões artísticas e literárias. Foi, precisamente, este o corpus teórico utilizado para investigar e enquadrar o trabalho artístico de Blaufuks, testando simultaneamente as potencialidades e fragilidades do termo cunhado por Hirsch. Verificou-se que as obras analisadas obedecem aos pressupostos concebidos para o trabalho de pós-memória, incluindo o artista português num círculo designado de geração pós-memorial. Esta geração tematiza acontecimentos históricos e de carácter traumático, caracterizando-se, por exemplo, pela utilização da imagem fotográfica na sua expressão artística. A fotografia funciona como um meio de transmissão de um trauma que foi recebido através dos pais e/ou avós, testemunhas dos eventos catastróficos que causaram o trauma. Dentro da geração de artistas e escritores pós-memoriais destacaram-se W.G. Sebald e Georges Perec, autores que têm grande influência sobre a obra e o percurso de Daniel Blaufuks. Procurou-se identificar elementos comuns e estabelecer as relações que mostrassem as estratégias artísticas e literárias pós-memoriais nos três autores. De entre estes elementos, sublinha-se uma ideia de memória de família, veiculada através da utilização e reinvenção artística do álbum de família, e o destaque dado a determinados objectos, nos quais se inscreve a fotografia, e que se afiguram como objectos de testemunho. Outro tema importante diz respeito a uma ideia de arquivo, que é formulada através de “um impulso de arquivo”, e que se liga não só à presença de um passado no presente mas que confronta o sujeito com uma busca interior. Neste cruzamento entre escrita e imagem, biografia e memória, arquivo e deslocamento, clarificaram-se conceitos e definiram-se linhas de leitura que permitiram refinar e consolidar os pressupostos teóricos do trabalho de pós-memória.
The present investigation had as its main goal the work of the Portuguese artist Daniel Blaufuks in the light of Marianne Hirsch’s concept of “postmemory”. In her formulation, Hirsch proposes a certain number of assumptions which build and define a theoretical frame used as an analytic tool on some artistic and literary productions. It was, precisely, such theoretical corpus that was used to investigate and frame the artistic work of Blaufuks, in order to test simultaneously the validity and problems of the concept coined by Hirsch. As it turns out, the analised works confirm the main conceptual assumptions in relation to postmemory work, which justifies including the Portuguese artist in a postmemorial generation. The production of this generation addresses historical and traumatic events and is characterized, for instance, by the use of the photographic image in its artistic expression. Photography operates as a medium for the transmission of trauma which was received through their parents and/or grandparents, witnesses of the catastrophic events that caused the trauma. W.G. Sebald and Georges Perec, two writers who also belong to a postmemorial generation, have had a strong influence on the work of Daniel Blaufuks. The aim was to highlight common elements and establish connections among the three authors that showed their postmemorial artistic and literary strategies. A major element is an idea of family memory through the use and artistic reinvention of the family album and the importance given to particular objects, in which photography is inscribed and which assume the status of testimonial objects. Another important theme is an idea of the archive articulated through an “archive impulse” that is connected not only to a presence of the past in the present, but also to a confrontation of the individual with an inner search. At this intersection between writing and image, biography and memory, archive and displacement, concepts were clarified and readings were made that allowed to refine and expand the theoretical assumptions of postmemory work.
Description: Tese de doutoramento em Linguagens e Heterodoxias: História, Poética e Práticas Sociais, no ramo de Estudos Anglo Americanos, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/28354
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Estudos Anglo-Americanos - Teses de Doutoramento
I&D CES - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A escrita dobra a imagem.pdf10.49 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

493
checked on May 15, 2019

Download(s) 50

253
checked on May 15, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.