Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/27538
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCarvalheiro, Manuela-
dc.contributor.authorSá, Filomena Isabel Faria de-
dc.date.accessioned2014-11-06T17:27:46Z-
dc.date.available2014-11-06T17:27:46Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10316/27538-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Medicina (Endocrinologia), apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.por
dc.description.abstractA diabetes mellitus tipo 2 é já considerada uma “epidemia mundial”. A sua prevalência está a aumentar rapidamente tanto em países desenvolvidos como em vias de desenvolvimento. Actualmente, há uma tendência para encarar a diabetes mellitus tipo 2 mais como uma ”doença vascular” e não tanto como um distúrbio metabólico, devido ao elevado risco de eventos cardiovasculares que esta doença acarreta. A doença coronária constitui a maior causa de morbilidade e mortalidade entre doentes diabéticos, manifestando-se, nestes, geralmente de forma mais difusa e agressiva do que nos não diabéticos. O objectivo deste artigo de revisão é esclarecer a relação entre diabetes mellitus tipo 2 e doença coronária, quais os factores que nela estão implicados, bem como os avanços recentes a nível de prevenção e tratamento da doença coronária em doentes com diabetes mellitus tipo 2, recorrendo a uma revisão bibliográfica actualizada do tema para alcançar tal objectivo. Existe uma série de factores intervenientes na relação entre diabetes mellitus tipo 2 e doença coronária, nomeadamente: disfunção endotelial, “dislipidémia diabética”, hipercoagulabilidade, comprometimento da fibrinólise, hiperagregação plaquetar, stress oxidativo, neuropatia autónoma e, ainda, um possível contributo genético. Em termos de prevenção, para além da optimização do controlo glicémico, é fundamental implementar uma intervenção multifactorial focada na modificação dos factores de risco para doença coronária. O tratamento ideal de doentes diabéticos tipo 2 com isquémia aguda do miocárdio requer o uso de terapêuticas comprovadas (tais como a aspirina ou bloqueadores-beta), um controlo glicémico óptimo, o uso de inibidores das glicoproteínas IIb/IIIa e a aplicação do procedimento de revascularização mais adequado. A colocação cirúrgica de bypass coronário por enxerto continua a ser o procedimento de eleição nestes doentes, contudo, os avanços técnicos realizados nesta área, durante os últimos anos, têm resultado numa melhoria significativa da capacidade de revascularização e segurança crescente no que respeita à realização de intervenção coronária percutânea. Os resultados de estudos actualmente em curso são aguardados para uma melhor compreensão e comparação da eficácia destes dois métodos de revascularização em doentes com diabetes mellitus.por
dc.description.abstractType 2 diabetes mellitus is already considered a “global epidemic”. Its prevalence is rapidly increasing in both developed and developing countries. Nowadays, there is a tendency to face the type 2 diabetes mellitus as a “vascular disease” rather than as a metabolic disorder, due to the high risk of cardiovascular events of this illness. Coronary heart disease is the major cause of morbidity and mortality in diabetic patients and it usually occurs, in these, more diffuse and aggressive than in non-diabetics. The purpose of this review article is to clarify the relationship between type 2 diabetes mellitus and coronary heart disease, which factors are involved in it as well as recent advances in terms of prevention and treatment of coronary disease in patients with type 2 diabetes, using an update literature review of the issue to achieve this goal. There is a number of factors involved in the relationship between type 2 diabetes mellitus and coronary artery disease, including: endothelial dysfunction, “diabetic dyslipidemia”, hypercoagulability, impaired fibrinolysis, platelet hyperaggregability, oxidative stress, autonomic neuropathy and, even, a possible genetic contribution. In terms of prevention, in addition to optimization of glycemic control is essential to implement a multifactorial intervention focused on modification of risk factors for coronary heart disease. The ideal treatment of type 2 diabetic patients who have acute myocardial ischemia requires the use of proven therapeutic strategies (such as aspirin or beta-blockers), an optimal glycemic control, the use of glycoprotein IIb/IIIa inhibitors and the application of the revascularization procedure more appropriate. The coronary artery bypass graft surgery remains the procedure of choice in these patients, however, technical advances in this field, during the last few years, have resulted in a significant improvement in the ability of revascularization and increasing security concerning to the performance of percutaneous coronary intervention. The results of on-going studies are expected to better understand and compare the effectiveness of these two methods of revascularization in patients with diabetes mellitus.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectDoença coronáriapor
dc.subjectTerapêuticapor
dc.titleDiabetes mellitus tipo 2 e doença coronáriapor
dc.typemasterThesispor
dc.peerreviewedYespor
item.languageiso639-1pt-
item.openairecristypehttp://purl.org/coar/resource_type/c_18cf-
item.openairetypemasterThesis-
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
item.cerifentitytypePublications-
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FMUC Medicina - Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho final 6º ano_Filomena.pdf799 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 50

456
checked on Feb 27, 2024

Download(s) 50

497
checked on Feb 27, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.