Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27351
Title: Sindicatos bancários independentes, um sindicalismo emergente
Authors: Mota, Maria Antónia Gaspar da 
Orientador: Costa, Hermes Augusto Tadeu Moreira
Keywords: Organizações sindicais; Sindicalismo independente; Sindicalismo bancário; Sindicalismo de serviços; Ligações entre sindicatos e partidos
Issue Date: 26-Sep-2014
Publisher: FEUC
Citation: Mota, Maria Antónia Gaspar da - Sindicatos bancários independentes, um sindicalismo emergente, Coimbra, 2014.
Abstract: Nesta, dissertação intitulada Sindicatos bancários independentes, um sindicalismo emergente, desenvolve-se um exercício reflexivo sobre o perfil do sindicalismo independente (moderno e emergente), face ao sindicalismo tradicional (estagnado, burocrático e envelhecido), num processo de transposição de sindicatos focados na contestação e na luta sindical, para outros que enaltecem a negociação e o consenso. Partindo da contextualização do tema do sindicalismo, onde se abordam conceitos, tipologias e modelos, passa-se para um espaço em que se confere destaque a alguns elementos caraterizadores do modelo de sindicalismo independente no setor bancário. Os traços deste são apreendidos através de várias dimensões, nomeadamente: da interpretação da relação entre sindicatos e partidos políticos, recolhendo indicadores sobre a influência na ou da política sobre o sindicalismo; do reconhecimento das especificidades do sindicalismo prestador de serviços, focando o caso particular do papel dos sindicatos bancários na gestão dos Serviços de Assistência Médico-Social; a problematização da concretização de um verdadeiro sindicalismo independente. Através das várias estratégias de observação é possível perceber que o sindicalismo independente baseia a sua ação numa reconfiguração das funções tradicionais dos sindicatos, propondo modelos alternativos de intervenção que refletem a abertura a uma conceção do sindicato como prestador de serviços. Face à falta de reconhecimento dos sindicatos independentes como parceiros sociais, devido à sua posição marginal face ao sistema político-partidário, o sindicalismo independente opta pela conquista de representatividade através da operacionalização de estratégias de proteção dos trabalhadores, numa perspetiva global, para além do contexto das relações laborais, visando o seu bem-estar pessoal e profissional. A área dos serviços de saúde revela as potencialidades dos sindicatos independentes, uma vez que com estruturas mais flexíveis e de menor dimensão conseguem reforçar as comparticipações e diversificar a oferta de serviços, fazendo concorrência aos outros sindicatos. O sindicalismo independente conquista espaços de representação através de uma maior proximidade/permeabilidade à esfera económica, por oposição à contiguidade/porosidade dos sindicatos tradicionais à esfera político-partidária, procurando através de vários serviços reduzir o impacto tendencialmente diferenciado entre capital e trabalho, afirmando se como um sindicalismo alternativo.
Description: Dissertação de mestrado em Sociologia, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Hermes Augusto Tadeu Moreira Costa.
URI: http://hdl.handle.net/10316/27351
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_M.A.Mota.pdf2.04 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

576
checked on Nov 28, 2022

Download(s) 50

606
checked on Nov 28, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.