Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25942
Title: Células estaminais pluripotentes induzidas no estudo de mecanismos de doença e avaliação de novas terapias
Authors: Correia, Liliana dos Santos Tavares 
Orientador: Almeida, Luís Pereira de
Keywords: Células estaminais
Issue Date: 2013
Abstract: A obtenção de células estaminais pluripotentes induzidas (piscas) a partir da reprogramação directa de células somáticas foi um dos avanços mais importantes da biologia, nos últimos anos. As iPSCs são células somáticas que foram reprogramadas para um estado de pluripotência através da introdução de um conjunto de factores específicos. Podem ser obtidas a partir de diferentes tipos de células, como os fibroblastos, queratinócitos, hepatócitos e células do sangue. As iPSCs são similares às células estaminais embrionárias, quer na morfologia e na expressão de marcadores de pluripotência, como também na capacidade de desenvolver teratomas. Como células estaminais pluripotentes podem diferenciar-se em todas as linhagens celulares, incluindo neurónios, células do sangue e células cardíacas. O progresso da investigação no domínio das iPSCs veio demonstrar o seu enorme potencial e adquiriu uma considerável relevância científica, social e económica por contribuir para o conhecimento dos processos do desenvolvimento dos organismos vivos e os mecanismos de regeneração, e potencialmente vir a permitir transplante celular, a descoberta de novos fármacos, a identificação dos mecanismos de doenças e seu tratamento. Apesar dos imensos problemas técnicos que ainda têm que ser ultrapassados, nomeadamente no que diz respeito à segurança e eficácia destas células, espera-se que a sua utilização venha a trazer benefícios inimagináveis, em medicina humana. Nesta dissertação faz-se uma revisão da literatura sobre os diferentes tipos de células estaminais e as suas características específicas, focando-se nas células estaminais pluripotentes induzidas.
Obtaining induced pluripotent stem cells (aspics) from direct reprogramming of somatic cells is one of the most important biology advances in recent years. The iPSCs are somatic cells that have been reprogrammed to a pluripotent state by introducing a number of specific factors. These cells can be obtained from different types of cells, such as fibroblasts, keratinocytes, hepatocytes and blood cells. iPSCs are similar to embryonic stem cells, both in morphology and expression of pluripotency markers, but also on the ability to develop teratomas. As pluripotent stem cells, they can differentiate into all cell lines, including neurons, blood and heart cells. The progress of iPSCs research has demonstrated its enormous potential and has acquired considerable scientific, social and economic relevance, by contributing to the increase of knowledge about living organisms development processes, improving regeneration mechanisms, organ transplantation and gene therapy, discovering new drugs, identifying the mechanisms of emergency and development of diseases and finding new treatments. Despite the huge technical problems that have yet to be overcome, particularly regarding safety and efficacy, it is expected that the use of this cells will bring unimaginable benefits to human medicine. In this sense, this dissertation is intended to review literature on the different types of stem cells and their specific characteristics, focusing on pluripotent stem cells.
Description: Dissertação de mestrado em Biotecnologia Farmacêutica, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/25942
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Mestrado Liliana Tavares Correia.pdf1.03 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

307
checked on Sep 18, 2019

Download(s) 10

1,464
checked on Sep 18, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.