Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25643
Title: Contributos para o estudo da relação entre tipos de conflito, sua gestão e eficácia grupal
Authors: Marques, Francisca 
Orientador: Lourenço, Paulo Renato
Keywords: Grupos - equipas; Estratégias de gestão de conflitos
Issue Date: 20-Feb-2014
Serial title, monograph or event: Contributos para o estudo da relação entre tipos de conflito, sua gestão e eficácia grupal
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: No contexto actual, o grupo tem vindo a afirmar-se cada vez mais como elemento estruturante das organizações. Como fenómeno grupal, o conflito tem constituído, nos últimos anos, um dos principais pólos de interesse das ciências que se dedicam ao estudo das organizações (Bowditch, Buono, & Stewart, 2008; Greenberg, 2002; Kreitner & Kinicki, 2010). Neste âmbito, a presente investigação, partindo da tipologia de estratégias de abordagem aos conflitos proposta por Rahim (1983a) e da distinção entre conflito de tarefa e conflito afectivo (Jehn, 1997a) pretendeu, em primeira instância, estudar se a frequência de utilização no grupo de uma mesma estratégia de abordagem aos conflitos difere em função do tipo de conflito representado na situação conflitual emergente. Adicionalmente, constituiu, também, objectivo da investigação realizada, averiguar se em diferentes tipos de conflito, as diferentes estratégias (a frequência da sua utilização), constituem preditores significativos da eficácia grupal, nas dimensões de tarefa e afectiva, avaliadas através do desempenho e da satisfação dos grupos observados. Para tal, desenvolvemos um estudo empírico de natureza correlacional, com recurso a três instrumentos: a ROCI-II (Rahim Organizational Conflict Inventory – II) adaptada de Rahim (1983a) por Dimas (2007), a ESAG (Escala de Satisfação Grupal) de Dimas (2007) e a EADG – Forma II (Escala de Avaliação do Desempenho Grupal – Forma II) de Dimas (2007). Sendo um estudo centrado no nível de análise grupal, a nossa amostra foi constituída por 73 equipas de trabalho pertencentes a 14 organizações dos sectores industrial e dos serviços. Os resultados revelaram, por um lado, que os grupos utilizam mais frequentemente estratégias de integração em situações de conflito de tarefa do que em conflitos afectivos e mais estratégias de evitamento em conflito afectivo do que em conflito de tarefa. Por outro, mostraram que a frequência de utilização da estratégia integrativa constitui um preditor significativo (positivo) da dimensão sócio-afectiva (satisfação) da eficácia grupal, em ambos os tipos de conflito (afectivo e de tarefa). Os resultados são debatidos no contexto do enquadramento conceptual que apresentamos sobre a temática abordada. São abordadas as implicações do estudo realizado, bem como as suas limitações e a relevância de realizar novos estudos que contribuam para uma compreensão mais aprofundada das relações entre as variáveis estudadas.
The group/team is recognized more and more as the building block of today’s organizations. As a group phenomenon, conflict has been one of the main subjects studied by the organizational sciences in recent years (Bowditch, Buono, & Stewart, 2008; Greenberg, 2002; Kreitner & Kinicki, 2010). Firstly, with this study we intended to understand if the frequency at which the group chooses to use a certain strategy is associated with the type of conflict represented in a given situation. Furthermore, we also sought to understand if different conflict handling patterns could be considered significant predictors of group efficacy, in its affective and task dimensions, for different types of conflict. We measured this through group performance and satisfaction. We developed a correlational empirical study, at the group level, and used three measuring instruments: the ROCI-II (Rahim Organizational Conflict Inventory – II) adapted from Rahim (1983a) by Dimas (2007), the ESAG (Escala de Satisfação Grupal) from Dimas (2007) and the EADG – Forma II (Escala de Avaliação do Desempenho Grupal – Forma II) from Dimas (2007). The sample was composed of 73 work groups, taken from 14 organizations in the industrial and service sectors. The results showed that groups in task conflict situations choose integrative strategies more often than when in relational conflict situations. Moreover, avoiding strategies were more likely to be used in relational conflict situations than in task conflict situations. On the other hand, our results also showed that the frequency at which a group uses the integrative strategy can be considered a significant positive predictor of group satisfaction for both types of conflict situations (task and relational). Our results, as well as the implications and limitations of the study, are discussed and compared with our previous literature review. However, there is still the need for further investigation in the subject in order to get a deeper understanding of the studied variables and the connections between them.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia das organizações, do trabalho e dos recursos humanos, apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/25643
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_Francisca_Marques.pdf2.63 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

366
checked on Oct 21, 2020

Download(s) 50

309
checked on Oct 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.