Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/25610
Title: Participação na comunidade de adultos com dificuldades intelectuais
Authors: Dias, Joana Inês dos Santos 
Orientador: Albuquerque, Cristina Petrucci
Keywords: Dificuldade intelectual - adulto; Participação comunitária
Issue Date: 4-Feb-2014
Serial title, monograph or event: Participação na comunidade de adultos com dificuldades intelectuais
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Este estudo visa compreender qual o nível de participação na comunidade de adultos com dificuldades intelectuais (DI), através de 5 objetivos gerais. Em primeiro, identificar e caracterizar as atividades sociais e recreativas realizadas no local de residência por adultos com DI. Em segundo lugar, averiguar se a disponibilidade das atividades está relacionada com a ruralidade e urbanidade da zona de residência. Em terceiro lugar, determinar em que medida a zona de residência influencia a frequência da realização de atividades sociais. Em quarto lugar, analisar a influência das variáreis individuais (género, grau de DI e idade) ao nível da frequência de realização de atividades sociais. Em quinto lugar, verificar se o sentimento de pertença à comunidade e o grau de satisfação com a vida estão relacionados com o número de atividades sociais. E por último, identificar as barreiras ao desempenho das atividades que não foram realizadas no decurso do último mês. Os dados foram recolhidos junto de uma amostra de 89 sujeitos com dificuldades intelectuais de grau ligeiro e moderado, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 53 anos, a frequentarem instituições de reabilitação. Para o efeito, foi utilizado o Questionário de Atividades Sociais (Albuquerque, 2013). Os resultados obtidos revelaram que: (1) os níveis de participação na comunidade dos sujeitos com DI apresentam-se baixos; (2) na sua maioria os sujeitos realizam com maior facilidade atividades de presença física na comunidade em detrimento da real participação na comunidade; (3) ruralidade e urbanidade da zona de residência interfere na disponibilidade das atividades, mas não na frequência com que os sujeitos desenvolvem atividades na comunidade; (4) a frequência com que os sujeitos participam em atividades na comunidade é influenciada pelo género e pela idade, mas não pelo grau da dificuldade (ligeiro ou moderado); (5) a satisfação com a vida e o sentimento de pertença à comunidade não se encontram associados à frequência com que os sujeitos desenvolvem atividades de participação na comunidade, mas o contrário acontece com a satisfação com os amigos; (6) as barreiras à participação na comunidade que mais se destacaram dizem respeito à baixa autodeterminação, à falta de uma pessoa que assuma funções de suporte, ao nível socioeconómico e à falta de interesse pelas atividades dos sujeitos com DI.
This study aims to understand the level of participation in the community of adults with Intellectual Disabilities (ID) through five general goals. Firstly, to identify and characterize the social and recreational activities performed in the place of residence. Secondly, to check whether the availability of activities is related to rurality and urbanity of the area of residence. Thirdly, to determine in what extent the area of residence influences the frequency of social activities. Fourthly, to analyze the influence of individual variables (gender, age and degree of ID) in the frequency of performing social activities. Fifthly, to verify if the sense of belonging to the community and the degree of satisfaction with life are connected to the number of social activities. And at last, to identify barriers to the performance of activities that didn’t took place during the last month. Data were gathered from a sample of 89 individuals with ID of mild and moderate degree, of both genders, aged between 18 and 53 years, attending rehabilitation institutions. The assessment instrument used was the Social Activities Questionnaire (Albuquerque, 2013) was used. The results showed that: (1) the levels of participation in the community of individuals with ID are low; (2) most of individuals perform with ease activities of physical presence in the community with ease rather than activities that require an actual participation in the community; (3) the area of residence affects the availability of activities, but not the frequency with which individuals do activities in the community; (4) the frequency with which individuals participate in community activities is influenced by the gender and age, but not by the degree of difficulty (mild or moderate); (5) satisfaction with life and the sense of belonging to the community are not associated with the frequency with which individuals carry out participation activities in the community, but the contrary happens with the satisfaction with friends; (6) the barriers to the participation in the community that stand out were the low self-determination, the lack of a person to assume support functions, the socio-economic level and the lack of interest of individuals with ID.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia da Educação, Desenvolvimento e Aconselhamento, apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/25610
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
Show full item record

Page view(s) 50

557
checked on May 14, 2024

Download(s)

182
checked on May 14, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.