Title: A-LIFE interview: a longitudinal study of the course of psychological status, psychosocial functioning and some pshycometric properties
Authors: Martins, Inês Rocha 
Orientador: Matos, Ana Paula Soares de
Keywords: Avaliação psicológica-adolescentes;Psicopatologia-adolescentes
Issue Date: 10-Feb-2014
Abstract: Desde os últimos anos do século 20, que se têm vindo a desenvolver esforços no sentido de criar instrumentos standardizados de avaliação psicológica. Entrevistas estruturadas e semi-estruturadas têm sido cada vez mais utilizadas, defendendo-se que estas aumentam a fiabilidade e precisão dos diagnósticos clínicos. Algumas dessas entrevistas têm sido validadas, alcançando reconhecimento internacional através da sua tradução, sendo algumas delas largamente utilizadas a nível epidemiológico e de tratamento (Sørensen, Thomsen &Bilenberg, 2007). No âmbito da psiquiatria infantil e da adolescência, algumas entrevistas estruturadas e semi-estruturadas têm-se desenvolvido durante as últimas décadas com o intuito de estabelecer diagnósticos mais objetivos e passíveis de serem replicados (Kim et al., 2004). A Adolescent – Longitudinal Interval Follow-up Evaluation (A-LIFE) é uma entrevista clínica semi-estruturada, dividida em secções, que avalia diferentes variáveis complementares. Foi desenvolvida a partir da LIFE (Longitudinal Interval Follow-up Evaluation), a versão original, para adultos. Sendo uma entrevista de avaliação em follow-up, a A-LIFE fornece informação acerca do curso psicopatológico do indivíduo avaliado, durante um período alargado de tempo (Keller et al.,1987). Depois de já ter sido feita a sua tradução para a língua portuguesa, este estudo tem como objetivo analisar o curso da psicopatologia, o funcionamento psicossocial e a relação entre o funcionamento psicossocial e a severidade dos sintomas psicopatológicos. Analizámos ainda algumas características psicométricas da A-LIFE, nomeadamente a validade concurrente e descriminante, e a validadede consensual. A amostra deste estudo foi composta por 25 adolescentes (17 dos quais doentes de um hospital psiquiátrico e os restantes 8 com diagnóstico feito por entrevista) com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos. Do protocolo de avaliação faziam parte as entrevistas A-LIFE e a Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School Aged Children-Present and Lifetime Version (K-SADS-PL), e os questionários de auto-resposta Child Depression Inventory (CDI), Multidimensional Anxiety Scale for Children (MASC) para os adolescents e o Brief Symptom Inventory (BSI) e o Children Behavior Checklist (CBCL) para os pais ou cuidadores. Os resultados mostraram que a intervenção psicoterapêutica tem efeitos na recuperação e remissão dos adolescentes e que o nível de gravidade dos sintomas, avaliado no final do período de follow-up, estava significativamente associado a resultados mais elevados de sintomatologia depressiva no início do período de follow-up. Os adolescentes avaliados pela A-LIFE como recuperados ou em remissão obtiveram valores significativamente mais baixos de sintomatologia depressiva do que os que não recuperaram. O recurso a este instrumento pode, assim,ser importante ao nível da investigação assim como pode conferir vantagens à avaliação clínica, nomeadamente, na descrição mais detalhada do curso psicopatológico do adolescente.
Since the last years of the 20th century efforts have been made in order to develop standard psychiatric assessment. Structured and semi-structured interviews have been administered, and it has been suggested that they increase the reliability and precision of diagnosis. Some of these interviews have been validated, achieved international acceptance through translation and a few have been greatly used in epidemiological and treatment research (Sørensen, Thomsen & Bilenberg, 2007). In child and adolescents psychiatry several structured and semi-structured diagnostic instruments have been developed during the last decades to make more objective and replicable diagnoses in younger (Kim et al., 2004). The Adolescents – Longitudinal Interval Follow-up Evaluation (A-LIFE) is a semi-structured and sectioned interview that evaluates different and complementary variables. It was developed from LIFE (Longitudinal Interval Follow-up Evaluation) the original version for adults. Being a follow-up interview, A-LIFE provides information about the course of psychopathology over an extend period of time (Keller et al., 1987). Having already been made its translation into Portuguese, this study aims to evaluate the course of psychopathology, psychosocial functioning and the relationship between both psycosocial functioning and severity of psychopathologic symptoms. We also analyzed some of the A-LIFE psychometric characteristics as concurrent and discriminant validity and the inter-rater validiy. The sample of this study was comprised by 25 adolescents (17 psychiatric patients and 8 students with a diagnostic made by an interview), from 12 to 18 years-old. The assessment protocol included the Adolescent – Longitudinal Interval Follow-up Evaluation (A-LIFE), the Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School Aged Children-Present and Lifetime Version (K-SADS-PL), the Child Depression Inventory (CDI), the Multidimensional Anxiety Scale for Children (MASC) for adolescents and the Brief Symptom Inventory (BSI) and the Children Behavior Checklist (CBCL) for parents or carers. Results generally showed that psycotherapy has effects on recovery or remission and that higher symptom severity levels assessed at the end of follow-up period are significantly related to higher scores of depressive symptoms at the intake. The adolescents evaluated by the A-LIFE as partial or total recovered obtained significant lower scores of depressive symptoms at the intake than those who did not achieved recovery or remission. A-LIFE revealed to be an important instrument to the research and to the clinical evaluation, namely in a more detailed description of the course of psychopathology in adolescence.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde (Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas e da Saúde), apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/25606
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese - Inês Martins.pdf591.15 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.