Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25461
Title: Direções da agregação escolar: progresso ou retrocesso? : quatro discursos de liderança em análise
Authors: Carvalho, Eduarda Maria dos Anjos 
Orientador: Ferreira, António Gomes
Keywords: Agrupamento de escolas
Issue Date: 21-Oct-2013
Serial title, monograph or event: Direções da agregação escolar: progresso ou retrocesso? : quatro discursos de liderança em análise
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: No presente contexto de crise financeira e económica mundial, este estudo procede à análise de quatro discursos de liderança, após a fase de agregação escolar no final do ano letivo de 2009-2010. Intitulado “Direções da agregação escolar: progresso ou retrocesso?”, procura compreender as implicações de tal processo, tendo em conta três dimensões interligadas: a Dimensão Política, a Dimensão Organizacional e a Dimensão Estratégica. Estas dimensões formam a base de um guião de entrevista aplicado a quatro dirigentes escolares entre setembro de 2012 e fevereiro de 2013. Entendida na sua polissemia, a palavra “Direções” foi utilizada, não somente para proceder a uma interpretação do discurso de dirigentes escolares, mas também para procurar perceber o sentido da agregação, quer no que respeita às políticas educativas, quer quanto às opções efetuadas pelos sujeitos entrevistados, no contexto particular em que cada um se insere. Esse contexto particular é o da agregação escolar concelhia, dado não despiciendo na nossa análise, por levantar questões que se prendem com a autonomia escolar e autárquica, a gestão do território e a sua relação com a escola pública portuguesa. O regime aplicado às escolas públicas não constitui aquilo que muitos desejariam que fosse o “pacto para a educação”. Pelo contrário, verifica-se que, não obstante a linguagem emprestada do mundo empresarial – o rigor, a eficiência e a eficácia, por exemplo –, a escola pública portuguesa padece de um mal que lhe retira defesas, reduzindo o seu parco espaço de autonomia, num processo oscilatório de políticas educativas pendulares. Simultaneamente, a terminologia empresarial e estratégica entrou no terreno da escola pública, fazendo dela refém de teorias e de conceitos mal aplicados ao contexto específico da educação e que parecem variar de sentido ou de interpretação, consoante o contexto e a voz de quem os profere. A agregação escolar, ironicamente, tende a fazer parte de um processo tão multifacetado quanto monolítico: nela convergem políticas educativas de origem diversa, mas também através dela se acentua a força centralizadora dominante do Ministério da Educação, que tem assim reduzido o espaço para a diversidade de alternativas educativas. Às escolas agregadas não resta outra escolha senão obedecer.
In the current financial and economic world crisis, this study analyses four discourses of leadership, after the constitution of school clusters at the end of the school year of 2009-2010. Entitled “Directions of school clusters: progress or regress?” it tries to understand some of the main implications of the process in course, taking into account three interconnected dimensions: The Political Dimension, the Organizational Dimension and the Strategic Dimension. These dimensions form the basis for an interview with four school managers, from September 2012 to February 2013. The polysemy of the word “Directions” was used, not only to understand the four discourses in analysis, but also to comprehend the process of forming school clusters, in terms of governmental school policy and in the actions of the interviewees and their particular contexts. Those particular contexts have to do with the fact that in the range of school clusters are whole councils, an important aspect in our analysis, due to the sort of issues raised: school and municipal autonomy, the territory and its relations with Portuguese state governed schools. There is no such thing as a “pact for education”. Far from it, and in spite of the borrowed terms from the business world – precision, efficiency and efficacy, for example –, the Portuguese state school suffers from an illness which curbs its defences, narrowing its meagre room for autonomy, in the pendulum of state school policies. Simultaneously, the entrepreneurial and strategic terminology invaded school grounds, with dominating, but often misapplied, theories and concepts, which seem to vary in sense or in use, according to where and by whom they are used. School clustering, ironically, tends to be part of a process as much Janus-faced as monolithic: educational policies diverse in nature are conveyed there, but also through it the centralizing force of the Ministry of Education is felt, thus decreasing room for the diversity of educational options. Aggregated schools are left with little choice but to comply.
Description: Dissertação de mestrado em Gestão da Formação e Administração Educacional (Organizações Educativas e Gestão Escolar) apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/25461
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_Eduarda_Carvalho_set_2013.pdf2.69 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

144
checked on Oct 16, 2019

Download(s)

104
checked on Oct 16, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.