Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/24080
Title: Coping parental e resistência familiar na asma e na diabetes: um estudo exploratório
Authors: Almeida, Ana Rita Fernandes 
Orientador: Cunha, Ana
Major, Sofia de Oliveira
Keywords: Coping parental; Resistência familiar; Doença crónica; Diabetes; Asma
Issue Date: 2013
Serial title, monograph or event: Coping parental e resistência familiar na asma e na diabetes: um estudo exploratório
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A asma e a diabetes são duas das doenças crónicas mais frequentes nas crianças e adolescentes, com impacto no funcionamento familiar. Um instrumento que avalia as estratégias de coping que a família utiliza nessas situações é o Coping Health Inventory for Parents (CHIP; McCubbin, McCubbin, Nevin, & Cauble, 1981). O primeiro objetivo do presente estudo passa por realizar um estudo exploratório de adaptação e validação com o CHIP (N=107). Os resultados do estudo de análise fatorial exploratória apontaram para uma estrutura de cinco fatores com valores do coeficiente de alfa de Cronbach que variam entre .611 e .848. O segundo objetivo é avaliar se a perceção dos pais acerca dos seus comportamentos de coping e da sua resistência familiar difere consoante o diagnóstico, através da administração do CHIP e do Family Hardiness Inventory (FHI; McCubbin, McCubbin, & Thompson, 1986) a um grupo de pais de crianças com asma (n=38) e com diabetes (n=43). Da comparação entre estes dois grupos resultou apenas uma diferença estatisticamente significativa no Fator 5 do CHIP – Compreensão da Situação Médica da Criança. No estudo referente à frequência de cotação dos itens do CHIP, apesar de os pais das crianças dos dois grupos cotarem de forma distinta os itens do CHIP, os referidos como “Extremamente útil” com mais frequência incluem-se no mesmo fator. No grupo da diabetes, a correlação mais elevada foi de .45 entre a Subescala 2 do FHI (Desafio) e o Fator 1 do CHIP (Manutenção do Suporte Social e da Estabilidade Psicológica). Para o grupo da asma, a correlação mais elevada (r=.48) foi obtida entre a Subescala 2 do FHI (Desafio) e o Fator 5 do CHIP (Compreensão da Situação Médica da Criança). Por fim, a variável relativa à perceção que os pais têm sobre a gravidade da doença da criança revelou um impacto estatisticamente significativo nos dois primeiros fatores do CHIP (Manutenção do Suporte Social e da Estabilidade Psicológica, e Integração Familiar e Definição Otimista da Situação) e nas duas primeiras subescalas do FHI (Compromisso e Desafio).
Asthma and diabetes are two of the most common chronic diseases in children and adolescents, with an impact on family functioning. An instrument that assesses coping strategies that families use in these situations is the Coping Health Inventory for Parents (CHIP; McCubbin, McCubbin, Nevin, & Cauble, 1981). The first aim of this study is an exploratory study of adaptation and validation with the CHIP (N=107). Results from the exploratory factor analysis indicated a five factor structure with Cronbach's alpha values ranging between .611 and .848. The second aim of this study is to assess whether the perception of parents about their coping behaviors and their family strength differs depending on the diagnosis, through the administration of CHIP and Family Hardiness Inventory (FHI; McCubbin, McCubbin, & Thompson, 1986) to a group of parents of children with asthma (n=38) and diabetes (n=43). The comparison of these two groups resulted in only one statistically significant difference in Factor 5 CHIP - Understanding the Medical Situation of Children. In the study about the frequency of rating of CHIP items, although parents of children in both groups rated differently CHIP items, the ones rated as "Extremely useful" are most often included in the same factor. In the diabetes group, the highest correlation was .45 between Subscale 2 of the FHI (Challenge) and Factor 1 CHIP (Maintenance of Social Support and Psychological Stability). For the group of asthma, the highest correlation (r=.48) was obtained between the subscale 2 of the FHI (Challenge) and Factor 5 CHIP (Understanding the Medical Situation of Children). Finally, the variable parents’ perception about the severity of the child's illness revealed a statistically significant impact on the first two factors of the CHIP (Maintenance of Social Support and Psychological Stability, and Family Integration and Optimistic Definition of the Situati
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde (Sistémica, Saúde e Família), apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/24080
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação de Mestrado 2013 Rita Almeida.pdf1.05 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,146
checked on Nov 30, 2021

Download(s)

146
checked on Nov 30, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.