Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/16104
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlberto, Isabel-
dc.contributor.authorPereira, Inês Fernandes Marques-
dc.date.accessioned2011-09-28T14:27:25Z-
dc.date.available2011-09-28T14:27:25Z-
dc.date.issued2009-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/16104-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Psicologia Clínica, sub-área de especialização em Sistémica, Sáude e Família apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbrapor
dc.description.abstractA maternidade é uma das situações da vida adulta que mais transformações comporta a vários níveis. O principal objectivo deste estudo exploratório prende-se com a comparação entre dois grupos de mulheres: mães pela primeira vez até há um ano (N=42) e mulheres em diferentes fases do ciclo vital familiar (N=33). As variáveis estudadas consistem em: a) qualidade de vida percebida, estudada através do Inventário Qualidade de Vida – Versão Parental (Olson & Barnes, 1982); b) estratégias familiares de coping, identificadas através das Escalas de avaliação pessoal orientadas para a crise em família (F-COPES - McCubbin, Larsen, & Olson, 1981); c) forças familiares, reconhecidas no Questionário de Forças Familiares (Melo & Alarcão, 2007). Foram ainda utilizados um Questionário Sócio- -demográfico e um Questionário específico para as mães recentes. As principais conclusões remetem para a inexistência de diferenças significativas entre os dois grupos no que concerne a qualidade de vida global percebida e a utilização das estratégias de coping. Os resultados revelaram ainda uma correlação positiva entre as forças familiares percebidas e o índice de qualidade de vida e as estratégias de coping.por
dc.description.abstractMotherhood is one of the situations of adult life that brings more changes in so many levels. The main goal of this exploratory study is to compare two groups of women: mothers for the first time in last than one year (N=42) and other women in the initial stages of the family life cicle (N=33). The variables studied are: a) perception of quality of life, with the Quality of Life – Parental version (Olson & Barnes, 1982); b) family coping strategies, identified by the Family Crisis Oriented Personal Evaluation Scales (F-Copes – McCubbin, Larsen & Olson, 1981); c) family strengths, recognised by the Family Strengths Questionnaire (Melo & Alarcão, 2007). It was also used a Social-demographical quiz and a Specific questionnaire to the recent mothers. The main conclusions point out to the inexistence of significant differences between the two groups in which concerns the global perception of quality of life and the utilization of coping strategies. The results reveal also a positive correlation between the perceived family strengths and quality of life and coping strategies.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsembargoedAccesspor
dc.subjectParentalidadepor
dc.subjectMaternidadepor
dc.subjectQualidade de vidapor
dc.titleO nascimento do primeiro filho – perspectiva materna das estratégias de coping, qualidade de vida e forças familiares: um estudo exploratóriopor
dc.typemasterThesispor
degois.publication.locationCoimbrapor
degois.publication.titleO nascimento do primeiro filho – perspectiva materna das estratégias de coping, qualidade de vida e forças familiares: um estudo exploratóriopor
dc.peerreviewedNopor
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s)

64
checked on Sep 10, 2019

Download(s)

18
checked on Sep 10, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.