Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/1604
Title: Caracterização da libertação de neurotransmissores pelas células da retina em cultura: evidências para a libertação diferencial de acetilcolina e ácido g-aminobutírico
Authors: Santos, Paulo Fernando Martins dos 
Orientador: Duarte, Carlos Jorge Alves Miranda Bandeira
Carvalho, Arsélio Pato de
Keywords: Biofísica Celular; Biologia
Issue Date: 28-Jan-2000
Citation: Caracterização da libertação de neurotransmissores pelas células da retina em cultura: evidências para a libertação diferencial de acetilcolina e ácido g-aminobutírico. Coimbra: [s.n.], 1999, 179 p.
Santos, Paulo Fernando Martins dos - Caracterização da libertação de neurotransmissores pelas células da retina em cultura: evidências para a libertação diferencial de acetilcolina e ácido g-aminobutírico. Coimbra, 1999.
Abstract: As células amácrinas da retina contêm vários neurotransmissores e regulam a propagação do sinal visual, desde os fotoreceptores até às células ganglionares. Nesta dissertação utilizámos células com características semelhantes às células amácrinas, isoladas a partir de embriões de pinto com 8 dias de desenvolvimento, ou a partir de ratos recém-nascidos, para estudar a regulação da libertação dos neurotransmissores acetilcolina (ACh), ácido g-aminobutírico (GABA) e ATP pelas células amácrinas. A libertação de ACh, de GABA, e de ATP, estimulada pela despolarização das células da retina em cultura com KCl, ocorreu, maioritariamente, através de um mecanismo dependente de Ca2+, sendo afectada de forma diferente por bloqueadores dos canais de Ca2+ sensíveis à voltagem (CCSV). Os resultados mostraram que a libertação de ACh pelas células da retina é mais sensível ao influxo de Ca2+ através dos CCSV do tipo N, e que a libertação de GABA é mais sensível à entrada de Ca2+ através dos CCSV do tipo L. O influxo de Ca2+ responsável pela libertação de ATP ocorre, em parte, através de canais do tipo P/Q e do tipo N. Neste trabalho investigámos também o efeito da adenosina endógena na libertação de[3H]ACh, de [14C]GABA e de ATP pelas células amácrinas em cultura. Observámos que a libertação de [3H]ACh e de ATP, estimulada por despolarização das células com KCl, foi potenciada na presença de ADA, ou na presença de DPCPX, um antagonista dos receptores A1 da adenosina. Pelo contrário, quando estes receptores da adenosina foram especificamente activados pelo agonista CPA, na presença de ADA, a libertação de [3H]ACh e de ATP foi inibida até aos níveis observados na situação controlo. Apesar da co-localização do GABA em células colinérgicas, a libertação deste neurotransmissor não foi afectada pela activação dos receptores A1 da adenosina. Os resultados apresentados indicam que, nas células da retina em cultura, a libertação de [3H]ACh e de ATP é inibida tonicamente pela adenosina, através da activação dos seus receptores A1. O efeito da adenosina na libertação destes dois neurotransmissores pode ser devido à inibição directa dos CCSV do tipo N, e/ou ser devido, secundariamente, à inibição da fosfolipase C. Com base nos resultados apresentados sugerimos que, nas células amácrinas, as vesículas sinápticas que contêm ACh ou GABA estão localizadas em diferentes zonas dos prolongamentos celulares, que contêm diferentes tipos de CCSV e/ou diferentes densidades de receptores A1 da adenosina.
The retinal amacrine cells contain several neurotransmitters and regulate the flow of visual signal from the photoreceptors to the ganglion cells. In the present work, we used cultures of retinal amacrine-like cells isolated form 8-days-old chick embryos or newborn rats to investigate the mechanisms controlling the release of acetylcholine (ACh), g-aminobutyric acid (GABA) and ATP from these retinal neurons. The release of ACh, GABA, and ATP, evoked by KCl depolarization, was mostly Ca2+-dependent, and the release of these neurotransmitters had different sensitivities to the effect of voltage-sensitive Ca2+ channels blockers. The results show that the release of ACh is highly sensitive to Ca2+-influx through w-CgTx GVIA-sensitive N-type VSCC, whereas the release of GABA is more sensitive to Ca2+-influx trough nitrendipine-sensitive L-type VSCC. The Ca2+ influx necessary to trigger the release of ATP occurs, in part, through L- and P/Q-type VSCC, but not through N-type VSCC. We also investigated the effect of endogenous adenosine on the release of [3H]ACh, [14C]GABA and ATP from cultures enriched in amacrine-like. The release of [3H]ACh and of ATP, evoked by KCl, was increased in the presence of ADA, or in the presence of DPCPX, an adenosine A1 receptor antagonist. On the contrary, when these adenosine receptors were specifically activated with the specific agonist CPA, in the presence of ADA, the release of [3H]ACh or ATP was inhibited to control levels. Although GABA was found in some cholinergic cells, the release of this neurotransmitter was not affected by adenosine A1 receptors. Our results indicate that in cultured amacrine-like neurons the KCl-evoked release of [3H]ACh, and of ATP, is under tonical inhibition by adenosine, which activates A1 receptors. The effect of adenosine on the release of these two neurotransmitters may be due to a direct inhibition of Ca2+ influx through N-type Ca2+ channels and/or is secondary to the inhibition of phospholipase C. We suggest that, in amacrine-like neurons, the synaptic vesicles containing ACh and those containing GABA are located in different zones of the neurites, containing different VSCC and/or different densities of adenosine A1 receptors.
Description: Tese de doutoramento em Biologia (Biologia Celular) apresentada à Fac. de Ciências e Tecnologia de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/1604
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

184
checked on Oct 15, 2019

Download(s) 50

454
checked on Oct 15, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.