Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/13205
Title: Competências Psicológicas e Traço de Ansiedade Competitiva em Atletas de Elite
Authors: Santos, Maria Gabriela Gondar Marques dos 
Orientador: Ferreira, José Pedro Leitão
Gaspar, Pedro Miguel Pereira
Keywords: Psicologia do desporto; Ansiedade competitiva; Habilidades psicológicas; Atletas de elite
Issue Date: 2006
Keywords: Psicologia do desporto; Ansiedade competitiva; Habilidades psicológicas; Atletas de elite
Issue Date: 2006
Abstract: Este estudo teve como objectivo realizar uma descrição e uma caracterização psicológica, através da apreciação das competências psicológicas e do traço de ansiedade competitiva, de atletas da Selecção Nacional de várias modalidades desportivas. Esta investigação pretendeu analisar também a influência da idade, anos de experiência, sessões semanais de treino, tempo de treino, modalidades, sexo, tipo de desporto, nível desportivo actual, escalão e trabalho com um psicólogo desportivo nas diferentes dimensões das competências psicológicas e nas sub-escalas do traço de ansiedade. A amostra desta investigação foi constituída por 66 atletas da Selecção Nacional, praticantes das modalidades Pentatlo Moderno, Esgrima, Ténis de Mesa, Natação, Patinagem Artística, Tumbling e Pólo Aquático, sendo 48 atletas do género masculino e 18 atletas do género feminino, e cujas idades se encontram compreendidas entre os 13 e os 31 anos (média = 18,21 e desvio padrão = 3,08). Os instrumentos para a recolha de dados consistiram num Questionário de Experiências Atléticas, com o intuito de se avaliarem as diferenças individuais das competências psicológicas, e um Questionário de Reacções à Competição, para a medida do traço de ansiedade competitiva. A análise e o tratamento estatístico dos dados foi realizado através do programa “Statistical Package for Social Sciences – SPSS for Windows” (versão 13.0), tendo sido inclusivamente utilizada a estatística descritiva, utilizando frequências, percentagens, mínimos, máximos e medidas de tendência central, como a média e o desvio padrão. Os resultados obtidos permitem-nos verificar que, de todas as competências psicológicas avaliadas, a treinabilidade foi a que expressou valores mais elevados e, pelo contrário, a competência psicológica com o menor valor verificou-se ao nível da ausência de preocupações. Quanto ao traço de ansiedade competitiva, os atletas apresentaram níveis elevados de ansiedade somática e valores mais baixos ao nível da perturbação da concentração, verificando-se no geral, valores moderados de traço de ansiedade. Os resultados do estudo evidenciam a existência de correlações negativas e significativas na grande maioria das dimensões das competências psicológicas e o traço de ansiedade competitiva. Podemos concluir também que existe uma correlação positiva entre a dimensão recursos pessoais de confronto e a idade, entre a sub-escala ansiedade somática e os anos de experiência e que não existem correlações estatisticamente significativas entre o número de sessões semanais de treino e as diversas variáveis psicológicas. Os resultados obtidos revelam, inclusivamente, que existem diferenças estatisticamente significativas entre determinadas competências psicológicas e a idade, os anos de experiência, as sessões semanais de treino, as diferentes modalidades e o nível desportivo actual. Quanto ao traço de ansiedade, os dados também revelam diferenças estatisticamente significativas entre algumas sub-escalas e a idade dos atletas, os anos de experiência, as diferentes modalidades, o tipo de desporto e o nível desportivo actual. Pelo contrário, não se verificam diferenças estatisticamente significativas entre as variáveis e o tempo de treino dos atletas; entre as diferentes variáveis psicológicas e o sexo, apesar de haver uma tendência do sexo masculino apresentar valores médios mais elevados nas dimensões das competências psicológicas e o sexo feminino apresentar valores mais elevados de traço de ansiedade competitiva; entre as diversas variáveis psicológicas e o escalão, apesar de se verificar uma tendência para os atletas seniores apresentarem valores médios mais elevados em determinadas competências psicológicas, comparativamente aos atletas juniores; e entre as diversas variáveis psicológicas e o trabalho com um Psicólogo desportivo, apesar de se observar uma tendência para os atletas demonstrarem valores mais elevados de treinabilidade e valores médios mais baixos da dimensão preocupação. Os resultados também demonstram que os atletas de Natação e de Ténis de mesa apresentam valores médios mais elevados nas competências psicológicas, enquanto que os atletas de Pólo aquático apresentaram valores médios mais baixos no traço de ansiedade competitiva.
Description: Disponível em suporte de papel na Biblioteca da FCDEF/UC
URI: http://hdl.handle.net/10316/13205
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Monografia_Gabriela.pdf955.8 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

214
checked on Aug 20, 2019

Download(s)

113
checked on Aug 20, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.